After market

Bradesco e Santander comentam oferta pelo HSBC, Petrobras e mais 4 notícias no radar

Confira o que aconteceu no mercado depois do encerramento do pregão desta terça-feira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A noite desta terça-feira (7) conta com notícias envolvendo a Petrobras, além do Santander e Bradesco comentando uma possível oferta de compra do HSBC. Confira os destaques deste after market:

Petrobras
Segundo fontes citadas pela Bloomberg, a argentina YPF está preparando oferta pelos ativos da Petrobras (PETR3; PETR4) na Argentina após receber carta-convite, disseram duas pessoas com conhecimento direto do assunto. A carta foi recebida na sexta-feira e estabelece prazo até 15 de julho para as empresas informarem interesse, disseram as fontes, que pediram anonimato porque as discussões são privadas. 

As fontes, comentaram ainda sobre o campo de Sierra Chata da Petrobras, que tem enorme potencial e pode interessar à YPF. Segundo sua assessoria de imprensa, a YPF não quis comentar. Esta seria a 3ª vez que a YPF faz oferta pelos ativos da Petrobras na Argentina. 

Aprenda a investir na bolsa

Santander e Bradesco
Os bancos Santander (SANB11) e Bradesco (BBDC3BBDC4) divulgaram comentários ao mercado hoje sobre possíveis ofertas para a compra do banco HSBC e afirmaram que continuam analisando as oportunidades de investimento que estiverem mais em linha com suas estratégias de crescimento e que possam agregar valor aos seus acionistas. 

Gafisa
A Gafisa (GFSA3) comunicou hoje ao mercado que a Polo Capital atingiu participação relevante de 18,28% do total do capital social da Companhia, por meio da aquisição de ações ordinárias de emissão da Companhia pelo conjunto de fundos e carteiras geridos por ele, totalizando uma participação de 69.108.486 ações ordinárias da Companhia, incluindo 2.962.380 ADRs, cada qual representando 2 ações.

Equatorial
A Equatorial Energia (EQTL3) veio ao mercado comunicar que os investidores não residentes e fundos de investimento geridos pela Verde reduziram sua participação acionária na Companhia. Eles agora detêm 9.877.736 das ações ordinárioas emitidas pela companhia, o que corresponde a 4,97% do capital social e do total emitido nessa espécie de ação. 

Cesp
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou projeto de lei que autoriza elétrica estatal Cesp (CESP6) a participar de novos projetos tendo outras empresas como sócias, por meio de Sociedades de Propósito Específico (SPEs), o que facilita uma eventual retomada dos investimentos pela empresa.

Apesar de ter o capital aberto, a estatal não possuía aval legislativo para entrar em SPEs, o que dificultava a participação em leilões e a realização de investimentos em parceria.

Além disso, Alckmin afirmou que o governo paulista não cogita privatizar a companhia. Os planos para a Cesp, segundo ele, caminham na direção contrária, na tentativa de fortalecimento da companhia. “Não há nenhum estudo hoje para a privatização. O que tem é um esforço grande para novos investimentos. E por isso sancionamos a lei que permite a criação de SPEs”, disse Alckmin, em referência a um projeto que permite à estatal participar de sociedades de propósitos específicos.

PUBLICIDADE

Cremer
A empresa de investimento brasileira Tarpon Investimentos SA contratou o Morgan Stanley para explorar uma venda da Cremer (CREM3), maior fornecedora da nação de produtos de saúde.

Tarpon, que no ano passado assumiu o controle da Cremer com sede no Brasil Blumenau, lançou um processo formal de venda destinada especialmente à licitantes estrangeiros, disseram as fontes, que pediram anonimato já que o assunto é privado. A companhia detém 96% da Cremer. As fontes disseram que a Tarpon paulista quer, pelo menos, R$ 600 milhões (US$ 190 milhões) pela Cremer. Um ano atrás, a companhia concordou em comprá-la por cerca de US$ 60 milhões. 

(com Reuters)