5 Assuntos

Bolsas operam de forma mista, com preocupação com ômicron; veja esses e outros assuntos que vão movimentar o mercado hoje

No último pregão do ano, os índices futuros americanos têm leve alta, enquanto as bolsas europeias e asiáticas tem resultados mistos

Por  Equipe InfoMoney -

No último pregão do ano as preocupações dos investidores seguem com a pandemia, em meio aos alertas da Organização Mundial da Saúde de que as novas variantes de Covid possam se espalhar em regiões com baixa taxa de imunização e se tornem resistentes às vacinas.

Nos EUA, o número de novos casos subiu para uma média de 265 mil por dia, impulsionados em grande medida pela variante Ômicron do coronavírus. Isso levou as ações do setor aéreo a recuarem em meio a preocupações com a propagação da Covid.

Assim, na última jornada do mercado em 2021, os índices futuros americanos operam em leve alta, enquanto as bolsas europeias e asiáticas tem resultados variados entre si.

Por aqui, os investidores monitoram os movimentos de paralisações de funcionários federais, que reivindicam por reajustes salariais, com a aprovação de um calendário de mobilização a partir de 18 de janeiro.

No radar, a Aneel decide nesta quinta sobre a bandeira tarifária relativa a janeiro. Já entre os indicadores, às 9h30, será divulgado o resultado bruto consolidado do governo em novembro. 

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros de NY operam em alta, mudando pouco em relação ao fechamento da véspera, quando o S&P 500 avançou 0,14%, fechando pela 70ª vez em um patamar recorde. O Dow avançou 0,25%, em sua sexta sessão positiva consecutiva, fechando também em recorde; e o Nasdaq perdeu 0,1%.

Tradicionalmente as bolsas têm altas nos cinco últimos dias de negociação do ano e nos primeiros dois, um período conhecido como “rali de Natal” (“Santa Claus rally” em inglês).

No mês de dezembro os três principais índices americanos operam no positivo. Em um ano marcado por estímulos do governo dos Estados Unidos e de políticas expansionistas do Federal Reserve, o S&P acumula alta de 27,6%; o Dow de 19,2%; e o Nasdaq, 22,3%.

Índices Futuros de NY, às 7h40:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,02%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +0,06%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +0,14%

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam em resultados variados entre si na quinta-feira, apesar dos resultados positivos nos Estados Unidos. Estreando em Hong Kong, os papéis da empresa chinesa de inteligência artificial SenseTime Group avançaram mais de 8%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fechamentos asiáticos:

  • Nikkei (Japão), -0,4% (fechado)
  • Shanghai SE (China), +0,62% (fechado)
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +0,11% (fechado)
  • Kospi (Coreia do Sul), -0,52% (fechado)

Europa

Na Europa, o índice Euro Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, se mantém estável, com as principais bolsas apontando para direções diferentes. O FTSE, do Reino Unido, e o Dax, da Alemanha, apontam para ganhos de 15% no ano, enquanto que o francês CAC aponta para um ganho de quase 30%.

Veja o desempenho das bolsas:

  • FTSE 100 (Reino Unido), -0,01%
  • Dax (Alemanha), -0,04%
  • CAC 40 (França), +0,13%
  • FTSE MIB (Itália), +0,05%

Commodities

  • Petróleo WTI, -0,90%, a US$ 75,85 o barril
  • Petróleo Brent, -0,72%, a US$ 78,66 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,98%, a 669,5 iuanes, o equivalente a US$ 105,02

Bitcoin

Criptos hoje: Bitcoin bate US$ 46 mil antes de vencimento de US$ 6 bi em opções; ADA cai 6% e Polygon revela bug.

  •  Bitcoin, -1,77% a US$ 46.885,23 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

Brasil

  • 8h00: Confiança empresarial da FGV;
  • 9h30: Resultado do setor público consolidado de novembro, que engloba números de estatais e dos governos federal, dos estados e dos municípios, com expectativa de R$ 4,775 bilhões, segundo analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters.
  • A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) define a bandeira tarifária de energia relativa a janeiro.

Estados Unidos

  • 10h30: O Departamento de Trabalho informa pedidos semanais de seguro-desemprego relativos à semana encerrada em 25 de dezembro, com a expectativa de 208 mil, segundo analistas ouvidos pela Reuters.

China

  • 22h: Índices do Gerente de Compras (PMIs na sigla em inglês) composto, industrial e não-manufatura, relativos a dezembro.

3. Mobilização de servidores

Servidores das carreiras típicas de Estado decidiram nesta quarta-feira, em assembleia, promover dias de paralisação das atividades em janeiro e avaliar a realização de uma greve geral em fevereiro, em protesto pela falta de uma política de reajuste salarial do governo do presidente Jair Bolsonaro.

As carreiras típicas de Estado, que alcançam mais de 200 mil servidores públicos, envolvem diplomatas, advogados públicos federais, funcionários do Ipea e do Banco Central, oficiais de inteligência vinculados à Abin, entre outros.

O anúncio dessas categorias é mais uma reação à decisão do Executivo Federal de conceder aumentos no próximo ano apenas para categorias vinculadas às forças policiais, como a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal.

Auditores da Receita Federal e fiscais agropecuários federais já haviam iniciado mobilizações, incluindo a entrega de cargos em comissão e realização de operações padrão, em protesto pela falta de reajuste.

A iniciativa dos servidores das carreiras típicas de Estado, aprovada pelo Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), prevê um calendário de mobilização.

Banco Central

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) espera que os cargos de chefia do órgão devam começar a ser entregues no dia 3 de janeiro. Nessa data, o sindicato vai começar a rodar uma lista eletrônica para adesão ao movimento, no contexto da insatisfação de diversas categorias de servidores federais com o reajuste previsto apenas para policiais em 2022.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o Sinal irá aderir às paralisações nacionais aprovadas pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) nesta quarta-feira (29) – a primeira está prevista para dia 18 de janeiro.

Dentro do BC, o sentimento é de descontentamento com a decisão do governo de contemplar a recomposição salarial de apenas uma categoria. Na autarquia, o último reajuste foi em janeiro de 2019.

O presidente do Sinal, Fábio Faiad, afirmou que a expectativa de adesão é grande entre os 500 cargos gerenciais do BC. Segundo ele, houve pressão de parte dos funcionários para que a lista já estivesse circulando nesta semana.

4. Ômicron no Brasil

O jornal O Estado de S. Paulo traz que uma análise a partir de 640 exames com resultado positivo para o coronavírus no Brasil indicou que 31,7% das infecções foram causadas pela variante Ômicron.

O estudo é realizado pelo instituto Todos pela Saúde, em parceria com os laboratórios Dasa e DB Molecular, a partir de 30,4 mil testes RT-PCR realizados em 16 estados entre 1º e 25 de dezembro.

Dos testes positivos, 203 indicaram presença da Ômicron nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia, Goiás, Santa Catarina e Tocantins.

Oficialmente, o Ministério da Saúde confirma 74 casos de Ômicron no país e outros 116 em investigação. A variante vem contribuindo para a alta de casos no Hemisfério Norte.

Balanço

O Brasil registrou 117 mortes por Covid-19 em 24 horas. Assim, a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 106, queda de 27% em comparação com o patamar de 14 dias antes, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa divulgadas às 20h da quarta-feira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os números continuam a ser afetados por um ataque hacker realizado em 10 de dezembro contra o site do Ministério da Saúde e ao aplicativo e à página do ConectSUS, que vêm prejudicando o registro de casos por estados.

Em um dia foram registrados 9.958 novos casos de Covid. A média móvel de novos casos em sete dias foi de 6.022, o que representa alta de 53% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Chegou a 143.195.464 o número de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 67,13% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 161.168.191 pessoas, o que representa 75,55% da população. A dose de reforço foi aplicada em 25.938.928 pessoas.

5. Radar Corporativo

Positivo (POSI3)

A Positivo comunicou que firmou com o TSE –Tribunal Superior Eleitoral contrato para fornecimento de 139,415 mil urnas eletrônicas, no valor de R$ 844,931 milhões. Isso representa 79% do total de urnas previstas na licitação.

Na segunda-feira, a empresa havia informado sobre contrato de 176 mil urnas.

CSN (CSNA3)

O Conselho de Administração da CSN aprovou o pagamento, a título de antecipação do dividendo mínimo obrigatório, de juros sobre o capital próprio no valor de R$ 256,952 milhões, à conta de lucros apurados em balanço levantado em 30 de novembro de 2021.

O Valor corresponde ao valor bruto de R$ 0,19150790423 por ação. Os juros sobre o capital próprio serão pagos aos acionistas até 30 de maio de 2022,  Fazem jus ao recebimento dos JCPs os acionistas inscritos na instituição depositária Banco Bradesco S.A., em 04/01/2022.

A partir do dia 05/01/2022, inclusive, as negociações das ações desta companhia em bolsa de valores brasileira serão realizadas ex-direitos sobre os respectivos juros sobre o capital próprio

Valid Soluções (VLID3)

Na quarta-feira, a Valid comunicou que o conselho de administração aprovou o pagamento aos acionistas de juros sobre capital próprio, referentes a 2021 no valor bruto de R$ 23,145 milhões, ou R$ 0,29 para cada uma de 79,713 milhões de ações ordinárias.

EDP Brasil (ENBR3)

A EDP Brasil comunicou o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) no valor de R$ 454,8 milhões para os detentores de ações da empresa até 4 de janeiro de 2022. A partir do dia seguinte, 5 de janeiro, os papéis serão negociados ex-juros –sem direito aos pagamentos. A empresa não fixou data para o pagamento, mas disse que este ocorrerá até 31 de dezembro de 2022, sem correção.

Syn Prop (SYNE3)

A Syn Prop e Tech, antiga Cyrela Commercial Properties, comprou, em conjunto com a CCP/CPP Parallel Holding Cajamar I LLC, 5 andares comerciais da Torre D do setor “C” do Condomínio WTorre JK por R$ 51,5 milhões.

O imóvel fica localizado na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, em São Paulo. Considerando as vagas de garagem, a área é de 2.283,22 m². A Syn responde por 30% da compra, e a Parallel LLC, com 70%.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe