5 assuntos

Bolsas mundiais sobem com China em semana marcada por inflação nos EUA e BCE; veja mais assuntos do mercado hoje

Por aqui, atenção para suspensão por liminar de assembleia de debenturistas de Furnas, enquanto semana contará com IPCA de maio

Por  Equipe InfoMoney -

Os índices futuros de Nova York e mercados europeus sobem na manhã desta segunda-feira (6), após uma semana de perdas, com a aposta dos investidores de que o Federal Reserve (Fed) apertará a política monetária agressivamente para combater a inflação crescente.

Os investidores têm enfrentado temores de que o Fed possa aumentar as taxas de juros muito rápido e demais, causando uma recessão.

Os mercados estarão focados na leitura do índice de preços ao consumidor para maio, que está programado para ser divulgado na manhã de sexta-feira. Espera-se que o principal indicador de inflação seja apenas um pouco mais fraco do que abril, o que pode ser interpretado por alguns como uma confirmação de que a inflação atingiu o pico.

Enquanto isso, as ações asiáticas fecharam em alta em sua maioria nesta segunda-feira. Em destaque, estão dados da China e notícias de que os reguladores chineses estariam se preparando para encerrar investigações sobre a Didi Global Inc. Além disso, atenção para novo relaxamento de restrições em Pequim para a maior parte da cidade nesta segunda, aumentando as expectativas de recuperação da economia.

No Brasil, durante a semana, são destaques na agenda o IPCA e o IGP-DI, enquanto, em Brasília, a discussão continuará focada na proposta de redução do ICMS dos setores de combustíveis, energia, telecomunicações e transporte público. O PLP 18/22 foi aprovado na Câmara e atualmente tramita no Senado. Ademais, será importante acompanhar de perto a discussão sobre preços de combustíveis e possíveis subsídios.

Do lado corporativo, a assembleia de debenturistas de Furnas prevista para esta segunda-feira (6) foi suspensa por uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro(TJ-RJ). A juíza do plantão judicial, Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz, concedeu no último domingo uma tutela provisória de urgência atendendo a um pedido da Associação dos Empregados de Furnas (Asef), em ação que apontava uma série de supostas irregularidades cometidas pela companhia. A disputa judicial pode afetar a oferta pública de ações da Eletrobras (ELET3;ELET6), que tem como objetivo a privatização da estatal.

Confira mais destaques:

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em alta nesta manhã de segunda-feira (6) se recuperando de uma queda semanal.

Na sexta, um sólido relatório de empregos diminuiu as esperanças de uma pausa no agressivo aperto da política monetária em curso pelo Federal Reserve, necessário para esfriar a inflação mais alta em décadas. O relatório do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos mostrou que as folhas de pagamento fora do setor agrícola aumentaram em 390 mil no mês passado e os salários cresceram, enquanto a taxa de desemprego se manteve em 3,6%. Todos os indicadores sinalizam um mercado de trabalho apertado.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,84%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +1,13%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +1,49%

Ásia

Os mercados asiáticos tiveram alta em sua maioria. Pesquisa privada mostrou que a atividade de serviços chinesa apresentou recuperação, ainda que em contração em maio.

O Índice de Gerentes de Compras de Serviços Caixin da China, divulgado na segunda-feira, chegou a 41,4, melhor do que a leitura de abril de 36,2, mas ainda no território de contração. Já o índice composto avançou de 37,2 em abril para 42,2 em maio.

O apetite por risco também se eleva com o alívio às duras restrições para conter a Covid-19; atenção para novo relaxamento de restrições em Pequim para a maior parte da cidade nesta segunda, aumentando as expectativas de recuperação da economia.

Ainda em destaque, o Wall Street Journal informa que os reguladores chineses estariam se preparando para encerrar sua investigação sobre a Didi Global Inc. Com isso, ainda nesta semana, a companhia poderia voltar a adicionar usuários à sua base de clientes.

Em outros desenvolvimentos geopolíticos, a secretária de Comércio dos EUA, Gina Raimondo, disse à CNN que o governo do presidente Joe Biden está “analisando” a possibilidade de suspender algumas tarifas sobre a China para combater a inflação.

  • Shanghai SE (China), +1,28%
  • Nikkei (Japão), +0,56%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +2,71%
  • Kospi (Coreia do Sul), fechado por feriado

Europa

Os mercados europeus avançam nesta segunda-feira, com os mercados internacionais se preparando para a divulgação de dados dos EUA, incluindo a leitura mais recente da inflação.

A atenção no Reino Unido na segunda-feira se voltará para a política doméstica, com o primeiro-ministro Boris Johnson enfrentando um voto de confiança de membros de seu partido conservador em meio à crescente insatisfação em sua liderança.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +1,19%
  • DAX (Alemanha), +0,98%
  • CAC 40 (França), +1,17%
  • FTSE MIB (Itália), +1,52%

Commodities

As cotações do petróleo operam em leve alta neste início da semana, com o Brent subindo acima de US$ 120 o barril depois que a Arábia Saudita aumentou os preços de suas vendas de petróleo em julho, sinalizando oferta apertada mesmo depois que a Opep + ter concordado em acelerar os aumentos de produção nos próximos dois meses.

  • Petróleo WTI, +0,82%, a US$ 119,84 o barril
  • Petróleo Brent, +0,80%, a US$ 120,70 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,65%, a 925,00 iuanes, o equivalente a US$ 139,21

Bitcoin

  • Bitcoin, +5,82% a US$ 31.414,62 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

Esta é mais uma semana em que dados de inflação prometem dar a tônica dos negócios no mercado financeiro, com destaque o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) do mês de maio.

O indicador será divulgado na quinta-feira (9) pelo IBGE e, segundo as projeções do Bradesco, deve apresentar alta de 0,58% frente abril. “A despeito do impacto baixista da bandeira tarifária verde sobre os preços de energia elétrica, os núcleos devem continuar pressionados em todas as métricas”, aponta o banco.

Antes disso, o IGP-DI de maio será divulgado na quarta-feira. “Esperamos alta mensal de 0,70%, levando a taxa anual para 10,6%, ante 13,5% em abril. A leitura será pressionada pelo atacado agrícola, enquanto os preços dos combustíveis podem desacelerar”, avalia o Itaú.

Nesta segunda-feira (6), o Banco Central fará uma “atualização parcial” da Pesquisa Focus às 8h30.

Segundo o BC, a informação será divulgada por meio de uma nota à imprensa, com uma parcial das projeções de mercado feitas até sexta-feira (3).

Lá fora, na quarta-feira (8), tem o PIB da zona do euro, região que terá uma semana agitada. O Banco Central Europeu anuncia na quinta (9) sua decisão sobre os juros.

Nos EUA, investidores estarão focados na leitura do índice de preços ao consumidor para maio, que está programado para ser divulgado na manhã de sexta-feira (10).

Brasil

8h: Paulo Guedes, ministro da Economia, participa de reunião dos BRICS

8h25: Boletim Focus parcial

9h: Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, profere palestra no evento Valor’s Crypto Summit Rio 2022

12h30: Campos Neto almoça com Cliff Sobel, da Valor Capital Group

15h: Balança comercial semanal

18h: Guedes participa de reunião do Conselho de Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI)

3. PL do teto do ICMS

O senador Fernando Bezerra (MDB-PE) disse ao Broadcast que trabalha para concluir até terça-feira (7) o relatório do projeto que impõe um teto de 17% para a alíquota do ICMS sobre combustíveis, energia e outros serviços. Amanhã, ele se reúne com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e com Paulo Guedes para tratar do assunto. Pacheco, diz Bezerra, quer que o relatório seja apreciado antes do dia 14 de junho. Na Câmara, a expectativa é que os deputados avancem na análise do projeto que prevê a devolução integral de créditos tributários cobrados indevidamente dos consumidores nas tarifas de energia. O projeto já foi aprovado pelo Senado.

Gastos e inflação

A coluna de Lauro Jardim/O Globo conta que até agora Paulo Guedes conseguiu convencer Jair Bolsonaro a não aumentar gastos para baixar os preços dos combustíveis e dar um reajuste de 5% aos servidores federais. É o desejo de Bolsonaro, que quer a reeleição, e exigência do Centrão. Guedes tem insistido que essas medidas elevariam a inflação e fariam o dólar subir ainda mais. “Explodiria tudo”, disse ele a Bolsonaro. Segundo Jardim, um ministro próximo do presidente avalia que a impressão de todos que o rodeiam é que ele tem medo de enfrentar e contrariar o ministro. Mas apesar desse temor, a urgência da eleição pode falar mais alto agora. O Centrão quer uma decisão para os próximos dias.

Tarcísio pretende revogar impostos em SP

Pré-candidato a governador de São Paulo, o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) cogita revogar impostos que foram elevados no ano passado, durante a gestão João Doria (PSDB). “Estamos fazendo contas já para voltar à situação que nós tínhamos antes de 2019”, afirmou em entrevista ao Valor.

4. Covid

No último domingo (5), o Brasil registrou 12 mortes e 4.591 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 80, recuo de 17% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 29.342, o que representa alta de 103% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Chegou a 166.344.538 o número de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 77,43% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 178.578.775 pessoas, o que representa 83,13% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 93.629.821 pessoas, ou 43,58% da população.

5. Radar Corporativo

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A assembleia de debenturistas de Furnas prevista para esta segunda-feira foi suspensa por uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ). A juíza do plantão judicial, Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz, concedeu neste domingo, 5, uma tutela provisória de urgência atendendo a um pedido da Associação dos Empregados de Furnas (Asef), em ação que apontava uma série de supostas irregularidades cometidas pela companhia. Entre elas, estariam a quebra de contrato de debêntures e a violação de regras sobre prazos.

A decisão menciona o direito de exercício de voto pelo debenturista e que o aporte “de R$ 681.446.626,81, sem aprovação da Assembleia Geral de Debenturistas” poderia “vir a caracterizar o rompimento do contrato de debêntures”. A disputa judicial pode afetar a oferta pública de ações da Eletrobras (ELET3;ELET6), que tem como objetivo a privatização da estatal.

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroRecôncavo (RECV3) anunciou que fará uma oferta restrita de ações, que pode girar até R$ 2,171 bilhões, pela cotação do último pregão, da última sexta-feira (3), de R$ 27,42. O preço da ação na oferta primária (novas ações) será definido após o bookbuilding, de 6 a 14 de junho. De acordo com o fato relevante divulgado pela empresa, os recursos serão usados no financiamento de potenciais aquisições, como a do Polo Bahia Terra, e para o reforço do caixa.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR3; PETR4) divulgou nesta sexta-feira (3) o teaser referente à venda da totalidade de sua participação de 18,80% na sociedade UEG Araucária, localizada no estado do Paraná.

A UEGA é uma sociedade entre a Copel (CPLE6) e a Petrobras, constituída de uma usina termelétrica a gás natural (ciclo combinado, com duas turbinas a gás e uma turbina a vapor) e localizada em Araucária – PR, próxima ao gasoduto Bolívia-Brasil (GASBOL). Entrou em operação em 2002 e possui capacidade instalada total de 484 MW.

 

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)

Transforme seu FGTS em investimento: use até 50% do seu FGTS para investir na Eletrobras, a maior empresa de energia da América Latina.

Compartilhe