5 assuntos

Bolsas mundiais operam sem direção definida na primeira sessão de agosto; PMI, resultados e mais assuntos do mercado hoje

Futuros dos EUA operam em baixa, enquanto Europa e Ásia têm alta, apesar de dados decepcionantes na China; semana no Brasil conta com Copom

Por  Felipe Moreira -

Os mercados asiáticos fecharam com alta, mesma direção de operação das bolsas da Europa, enquanto índices futuros dos Estados Unidos recuam nesta segunda-feira (1), à medida que investidores aguardam mais uma semana de resultados corporativos e dados econômicos.

As empresas Uber, Starbucks, AirBnB e Paypal divulgarão seus resultados nesta semana.

Além disso, o relatório de folha de pagamento não-agrícola de sexta-feira dará mais informações sobre o resiliente mercado de trabalho americano. Até agora este ano, o sólido crescimento de empregos levou muitos economistas a dizerem que os EUA não estão em recessão, mesmo com dois trimestres consecutivos de PIB negativo.

Nos mercados da Ásia-Pacífico, as ações da China subiram junto com a maioria dos outros índices regionais na sessão de hoje, após regulador prometer estabilizar mercado. Já uma pesquisa privada sobre a atividade fabril chinesa mostrou um ligeiro crescimento da atividade.

A temporada de resultados do segundo trimestre de 2022 ganha fôlego, com diversas divulgações previstas ao longo da semana. Bradesco (BBDC4), Embraer (EMBR3) e TIM (TIMS3) estão entre os destaques na agenda brasileira.

Em indicadores, segundo relatório do Itaú, o relatório Focus do Banco Central de hoje será “particularmente relevante, pois acreditamos que as incertezas sobre a inflação estão maiores que o normal, considerando recentes cortes de impostos”. Para o economista Mario Mesquita, uma deterioração nas perspectivas do mercado sobre a inflação pode levar o Copom a fazer um novo ajuste nos juros na reunião de setembro.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em baixa à espera de uma nova rodada de balanços corporativos e indicadores econômicos importantes. Julho marcou o melhor mês para as bolsas americanas desde 2020. O S&P 500 subiu cerca de 9,1% em julho, maior ganho percentual mensal desde novembro daquele ano, enquanto o Nasdaq saltou cerca de 12,3% em julho, melhor mês desde abril de 2020.

Hoje, empresas como Activision Blizzard, Devon Energy , Loews e outras divulgam resultados. No final da semana Uber, Caterpillar, Starbucks, Eli Lilly, Amgen e outros também apresentaram seus números.

No front de dados econômicos, investidores aguardam nesta semana pela divulgação dos relatórios JOLTs, payrol, com dados de emprego, e PMI.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), -0,26%
  • S&P 500 Futuro (EUA), -0,39%
  • Nasdaq Futuro (EUA), -0,45%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam em alta; na China, a sessão foi de leves ganhos depois que o chefe do órgão regulador de valores mobiliários do país disse que a agência fará das operações estáveis do mercado de capitais uma prioridade, enquanto as montadoras subiram na esperança de aumento da demanda por veículos de energia renovável.

“Devemos sempre aderir à mentalidade do resultado final e impedir resolutamente que ‘falhas de mercado’ causem flutuações anormais”, disse Yi Huiman, presidente da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China.

Ao mesmo tempo, para estimular o consumo, a China estenderá uma isenção de imposto sobre compras de veículos de energias renováveis, na esteira de um corte no imposto de compra de carros, impulsionando os setores de automóveis.

Uma pesquisa privada sobre a atividade fabril chinesa mostrou um ligeiro crescimento, apesar de abaixo das projeções.

O Índice de Gerentes de Compras de manufatura Caixin/Markit da China para julho ficou em 50,4, em comparação com os 51,5 previstos em uma pesquisa da Reuters. Em junho, a leitura foi de 51,7.

Ainda assim, a leitura foi melhor do que os dados oficiais do Índice de Gerentes de Compras da China divulgados no fim de semana, que mostraram uma contração na atividade fabril.

  • Shanghai SE (China), +0,21%
  • Nikkei (Japão), +0,69%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +0,05%
  • Kospi (Coreia do Sul), +0,03%

Europa

Os mercados europeus operam em alta no primeiro pregão do novo mês, com os investidores digerindo uma nova rodada de lucros corporativos. Os ganhos na segunda-feira vieram do HSBC, Pearson, Heineken e Erste Group.

As ações da Pearson subiram mais de 6,6% no início do pregão para liderar o Stoxx 600 depois que a empresa britânica de educação e publicação divulgou fortes resultados trimestrais, enquanto o HSBC subiu 6% após elevar sua principal meta de lucratividade .

Na frente de dados, a atividade manufatureira da zona do euro contraiu em julho, revelou o PMI (índice de gerentes de compras) final da S&P Global na segunda-feira, aprofundando os temores de que o bloco possa estar entrando em recessão.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +0,46%
  • DAX (Alemanha), +0,25%
  • CAC 40 (França), +0,39%
  • FTSE MIB (Itália), +0,82%

Commodities

As cotações do petróleo iniciam agosto em baixa, com os investidores se preparando para a reunião desta semana de autoridades da Opep e outros grandes produtores sobre ajustes na oferta.

  • Petróleo WTI, -2,38%, a US$ 96,27 o barril
  • Petróleo Brent, -1,58%, a US$ 102,33 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,83%, a 787,00 iuanes, o equivalente a US$ 116,53

Bitcoin

  • Bitcoin, -1,35% a US$ 23.295,57 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) começa sua quinta reunião do ano na terça-feira (2) e no dia seguinte deve anunciar uma nova elevação na taxa Selic. A média de projeções do mercado, de acordo com o consenso Refinitiv, aponta para uma alta de 50 pontos base para 13,75% ao ano. Se o ajuste for confirmado, os juros no Brasil serão os maiores em cinco anos.

Na mesma terça em que começa a reunião do Copom, sai também a produção industrial referente a junho. O Itaú prevê uma queda de 0,2% em relação a maio, com um resultado ligeiramente negativo na parte de manufaturas e alta no segmento de mineração e extrativismo.

A semana também traz números importantes da indústria automotiva. As vendas de veículos referentes à julho devem ser divulgadas também na terça-feira pela Fenabrave, a associação das distribuidoras. Já a Anfavea, que reúne as fabricantes, divulgará seus números na sexta-feira.

Dados do mercado de trabalho são destaque nos EUA e serão divulgados na sexta-feira (5). O consenso Refinitiv prevê uma desaceleração na criação de vagas, de 372 mil em junho para 250 mil em julho. A taxa de desemprego deve permanecer em 3,6%.

Antes do payroll, tem o relatório JOLTS, na terça-feira, e a média das projeções do mercado aponta para 11 milhões de vagas em aberto nos Estados Unidos, ainda no mês de junho.

Na zona do euro, onde o Banco Central Europeu elevou juros pela primeira vez em 11 anos, tem o índice de preços ao produtor, na quarta-feira. O consenso Refinitiv aponta para uma variação positiva de 1% em julho, na comparação mensal. Em junho, a inflação ao produtor europeu acumulava alta de 36,3% em 12 meses.

Brasil

8h25: Boletim Focus

10h: Paulo Guedes, ministro da Economia, tem reunião com os secretários especiais

15h: Balança comercial

17h: Paulo Guedes tem reunião com a gerente do Setor de Instituições para o Desenvolvimento do BID, Susana Guerra

EUA

10h45: PMI industrial

11h: Gastos com construção

11h: PMI ISM industrial

11h: ISM de emprego manufatureiro

3. Governo corta IPI de produtos de fora da Zona Franca em 35%

O Governo Federal oficializou a redução de 35% do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado sobre produtos não fabricados na Zona Franca de Manaus.

O texto ainda traz redução adicional do IPI incidente sobre automóveis, de 18% para 24,75%. “A elevação desse porcentual equipara a redução do imposto para o setor automotivo à concedida aos demais produtos industrializados”, diz o Ministério da Economia.

SP e Piauí obtêm liminar para compensar perdas de arrecadação com ICMS

Os Estados de São Paulo e do Piauí conseguiram obter uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, 31, permitindo a compensação imediata das perdas do ICMS com a redução das alíquotas de combustíveis, energia elétrica e comunicações por meio do abatimento do pagamento das prestações das dívidas com a União.

Os Estados do Maranhão e Alagoas já tinham obtido decisões semelhantes. O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz) espera um efeito cascata com outros governadores conseguindo o mesmo.

4. Covid

No último domingo (31), o Brasil registrou 41 mortes e 11.905 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 222, redução de 10% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 34.615, o que representa baixa de 36% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Chegou a 169.019.001 o número de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 78,68% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 179.872.841 pessoas, o que representa 83,73% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 100.807.817 pessoas, ou 46,92% da população.

5. Radar Corporativo

RD (RADL3)

A varejista de farmácias RD (RADL3), dona das bandeiras Droga Raia e Drogasil, informou na sexta-feira que teve lucro líquido ajustado de R$ 343,7 milhões no segundo trimestre de 2022 (2T22), alta de 48,2% ante mesma etapa do ano passado.

Já o lucro antes de impostos, juros, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado de abril a junho foi de R$ 727,5 milhões, avanço ano a ano de 46,3%.

CSN (CSNA3)

A CSN (CSNA3) arrematou a geradora de energia CEEE-G com oferta de R$ 928 milhões.

A companhia disputou o ativo em modo viva voz com a Auren Energia (AURE3). A oferta teve um ágio de 10,93% sobre o preço mínimo de R$ 836,9 milhões definido em edital.

Litel Participações

A Litel Participações aprovou a distribuição de Juros sobre Capital Próprio no montante de R$ 92,680 milhões, corresponde ao valor bruto de R$0,430078779 e ao valor líquido de R$0,365566962 por cada ação ordinária.

Também aprovou a distribuição de dividendos com base na reversão da reserva de lucros a realizar da companhia no valor de R$ 155,1 milhões, correspondente ao valor bruto de R$ 0,720004234 por cada ação ordinária do capital social, aos acionistas detentores de posição acionária na data base de 03 de agosto de 2022, os quais serão pagos diretamente pela companhia aos seus acionistas a partir de 02 de setembro de 2022.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe