Em mercados / bitcoin

Acabou a euforia? Bitcoin perde US$ 36 bilhões de valor de mercado e recua 50% da máxima histórica

Tensão segue vindo da Ásia, onde tanto China quanto Coreia do Sul estão ameaçando suspenderem a negociação nas exchanges

Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Em mais um dia de forte queda, o Bitcoin recua 11% às 11h50 (horário de Brasília) desta terça-feira (16) e retornou para a faixa de US$ 10.000 conforme cotação do Coindesk, o que corresponde a uma perda de US$ 36 bilhões de valor de mercado nas últimas 24 horas. Por aqui, a moeda segue o mesmo ritmo e recua 14%, aos R$ 34.500.

Com a derrocada neste começo de ano, a criptomoeda amarga queda de 50% desde 17 de dezembro, quando cravou topo histórico em US$ 20.000, mês em que muitos investidores estavam eufóricos com o lançamento dos contratos futuros da moeda digital nas bolsas de mercadorias de Chicago. A tensão segue vindo da Ásia, onde tanto China quanto Coreia do Sul estão ameaçando suspenderem a negociação nas exchanges.

O movimento negativo veio depois de novos comentários do ministro da economia da Coreia do Sul, Kim Dong-yeon, que, em entrevista a uma estação de rádio local, afirmou que o governo já está trabalhando em medidas para conter a “irracionalidade” motivada pelas criptomoedas. Segundo ele, fechar as exchanges locais ainda é uma opção.

Enquanto isso, segundo informações da Reuters, um integrante do banco central chinês disse que as autoridades devem proibir a negociação centralizada de moedas virtuais, bem como indivíduos e empresas que fornecem serviços relacionados, segundo um memorando interno de uma reunião do governo. Neste documento, com detalhes das discussões em uma reunião de reguladores da Internet e outros formuladores de políticas na semana passada, o vice-diretor Banco Central Chinês, Pan Gongsheng, disse que o governo continuaria a exercer pressão sobre o comércio da moeda virtual afim de evitar a acumulação de riscos nesse mercado.

 

Tudo sobre:  Câmbio   Bitcoin  

Contato