Retomada

Bitcoin e Dogecoin lideram altas das criptos, mas traders alertam para possível pressão de venda

Apesar dos ganhos nos últimos dias, alguns analistas alertam que investir em criptoativos continua sendo um “negócio arriscado”

Por  CoinDesk -

O Bitcoin (BTC) se aproximou de US$ 23.500 na manhã desta quarta-feira (20), o valor mais alto do mês. O mesmo ocorreu com o Ethereum (ETH) – a segunda maior criptomoeda do mercado, que está prestes a passar por uma importante atualização -, que bateu nos US$ 1.605 nesta manhã, o maior preço em 30 dias.

A Dogecoin (DOGE) subiu 11%, liderando os ganhos entre as principais criptomoedas nas últimas 24 horas. Um possível hackathon do projeto em novembro – que pode sugerir um desenvolvimento técnico no futuro – gerou sentimento positivo em torno da memecoin.

A Cardano (ADA) e o Ripple (XRP) subiram 8%. A Binance Coin (BNB) valorizou 2,7%, enquanto a Solana (SOL) ficou estável após uma alta de quase 30% na semana passada. A capitalização total do mercado de criptoativos aumentou 4%, ultrapassando US$ 1,1 trilhão.

Ativos digitais fora da lista das principais criptomoedas também valorizaram. O ApeCoin (APE), por exemplo, subiu 8% – o token ainda está surfando na onda positiva gerada na semana passada pela divulgação do demo do metaverso do projeto. A Shiba Inu (SHIB) saltou 10% apesar da falta de um catalisador técnico indicando uma mudança.

Comentaristas do mercado disseram que os ganhos do Bitcoin ocorreram em meio a uma recuperação nos mercados de ações mais amplos, à medida que os traders avaliam a próxima rodada de aumentos dos juros dos Estados Unidos. A probablidade é que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) eleve a taxa em 75 pontos-base do intervalo atual de 1,50% e 1,75%.

“O Bitcoin na terça-feira registrou seus maiores ganhos em um mês devido a uma recuperação nos índices de ações dos EUA e um dólar mais fraco”, disse Alex Kuptsikevich, analista de mercado sênior da plataforma FxPro, em um e-mail.

“O Bitcoin testou as máximas desde 13 de junho perto de US$ 23.700 e, na quarta-feira, está tentando se consolidar acima de sua média móvel de 50 dias”, disse Kuptsikevich. A consolidação acima da média móvel de 50 dias é vista por traders que analisam gráficos e preços como um sinal de mudança positiva.

No entanto, Kuptsikevich acrescentou o seguinte: “Se o impulso positivo parar, como aconteceu em fevereiro e março deste ano, devemos estar preparados para um aumento acentuado nas vendas”.

Outros analistas também fizeram alertas sobre o atual clima otimista.

“Com as regras dos futuros jogos de mineração, do staking (método de renda passiva) e do trading ainda bastante obscuras, e o valor dos criptoativos extremamente sensíveis às condições voláteis nos mercados financeiros, fica claro que investir no ‘selvagem oeste cripto’ ainda é um negócio muito arriscado”, explicou Susannah Streeter, analista sênior de mercados da empresa de serviços financeiros Hargreaves Lansdown.

“Os investidores devem apenas explorar as margens de seus investimentos com dinheiro que eles podem perder”, acrescentou Susannah.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe