B3 obtém decisão favorável no Carf, Simpar cria Ciclus Ambiental e Camil pagará dividendos

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta quinta-feira (8)

Felipe Moreira

B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O radar corporativo desta quinta-feira (8) tem como destaque a criação da holding Ciclus Ambiental pela Simpar (SIMH3). Além disso, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu a favor da B3 (B3SA3) em recurso apresentado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, cancelando definitivamente um auto de infração da Receita Federal.

Klabin (KLBN11) projeta Ebitda incremental de cerca de R$ 3 bilhões até 2027. Já o Grupo Casas Bahia (BHIA3) anuncia renúncia de Edson Tavares ao cargo de Vice-Presidente de Tecnologia.

Na temporada de balanços, oBanco Inter (INBR32) tem lucro recorde de R$ 160 mi no 4º tri, puxado por carteira de crédito. Totvs (TOTS3) tem baixa de 17,7% no lucro do quarto trimestre, para R$ 126,2 milhões. Banco Inter (INBR32) tem lucro recorde de R$ 160 mi no 4º tri, puxado por carteira de crédito. Alpargatas (ALPA4) tem prejuízo consolidado de R$ 1,606 bi no quarto trimestre. Auren (AURE3) lucrou R$ 107,6 milhões no 4º tri, queda de 96%; pagará R$ 400 mi em dividendos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Confira mais destaques:

Simpar (SIMH3)

A Simpar (SIMH3) informou que criou a holding Ciclus Ambiental para consolidar os negócios existentes e futuros do Grupo no setor de gestão e valorização de resíduos e saneamento.

A Ciclus Ambiental nascerá com uma Receita Bruta potencial anual de cerca de R$900 milhões e presença em duas das principais capitais do Brasil, compreendendo (i) a subsidiária integral Ciclus Ambiental do Brasil S.A. (Ciclus Rio), no Rio de Janeiro (RJ), e participação na Ciclus Amazônia, sociedade de propósito específico controlada pela SIMPAR com operação a se iniciar em Belém (PA).

Continua depois da publicidade

B3 (B3SA3)

A B3 informou que o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu a favor da empresa em recurso apresentado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, cancelando definitivamente um auto de infração da Receita Federal.

O processo questionava a amortização, para fins fiscais, nos exercícios de 2012 e 2013, do ágio gerado durante a incorporação das ações da Bovespa pela B3 em maio de 2008, com um valor atualizado até 30 de setembro de 2023 de R$ 4,1 bilhões.

Camil (CAML3)

O Conselho de Administração da Camil aprovou o pagamento de Juros sobre capital próprio (JCP) valor bruto de R$ 19 milhões, correspondente ao valor bruto unitário de R$0,055715926 por ação ordinária.

Terão direito ao JCP todos os acionistas detentores de ações ordinárias de emissão da Companhia na data base de 21 de fevereiro de 2024. Os JCP serão pagos no dia 8 de março de 2024.

JHSF (JHSF3)

A JHSF (JHSF3) informou nesta quarta que seu conselho de administração aprovou a continuidade do programa de recompra de ações da companhia, com vigência até 7 de fevereiro de 2025, no limite de 28 de ações ordinárias, representando 9,54% do total de ações da companhia em circulação no mercado.

Vittia (VITT3)

O Conselho de Administração aprovou o cancelamento de 2.400.000 ações ordinárias mantidas em tesouraria, adquiridas no âmbito do 1º e 2º programa de recompra de ações. A companhia aprovou novo programa de recompra limitado a 4.500.000 de ações ordinárias de emissão da Companhia, representativas, na quarta-feira, de 3,20% do total de ações emitidas pela Companhia e de 9,09% do total de ações da Companhia em circulação no mercado.

Gafisa (GFSA3)

A Gafisa recebeu a notificação de alienação de participação acionária relevante de Pedro Cardoso Novellino, informando a redução de sua participação para menos de 1% (um por cento) do capital social e retirando a solicitação de adoção do processo de voto múltiplo na eleição dos candidatos ao Conselho de Administração no âmbito da Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada na quarta-feira.

Casas Bahia (BHIA3)

O Grupo Casas Bahia (BHIA3), cuja ação acumula perda de 32,6% no ano, informou a renúncia do executivo Edson de Oliveira Tavares ao cargo de Vice-Presidente de Tecnologia. Com isso, Filipe Jaske, Diretor de Tecnologia, passa a liderar toda a área e irá reportar ao CEO Renato Franklin de forma interina.

Totvs (TOTS3)

A Totvs (TOTS3) reportou lucro líquido de R$ 126,2 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), montante 17,7% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022.

Inter (INBR32)

O banco digital Inter (BDR: INBR32), que tem ações em Nova York, anunciou lucro líquido recorde de R$ 352 milhões em 2023 e de R$ 160 milhões no quarto trimestre do ano passado, puxado pelo aumento da carteira de crédito, que foi quatro vezes acima da média nacional, de acordo com apresentação de resultados.

Alpargatas (ALPA4)

A Alpargatas (ALPA4) registrou prejuízo líquido das operações continuadas foi de R$ 1,606 bilhão no quarto trimestre de 2023, um crescimento de 7.604% em relação ao mesmo período de 2022.

Auren (AURE3)

A geradora renovável Auren (AURE3) fechou o quarto trimestre de 2023 com um lucro líquido de R$ 107,6 milhões, 95,6% abaixo do registrado um ano antes.

Klabin (KLBN11)

A Klabin (KLBN11) anunciou nesta quarta-feira que prevê um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) incremental de cerca de R$ 3 bilhões até 2027, em relação ao Ebitda realizado nos últimos 12 meses encerrados em setembro de 2023.