Auren (AURE3) lucra R$ 107,6 milhões no 4º tri, queda de 96%; pagará R$ 400 mi em dividendos

A queda na última linha do balanço reflete o impacto, no resultado financeiro do período, da atualização monetária da indenização recebida pela Auren por ativos da usina hidrelétrica Três Irmãos

Equipe InfoMoney

Publicidade

A geradora renovável Auren (AURE3) fechou o quarto trimestre de 2023 com um lucro líquido de R$ 107,6 milhões, 95,6% abaixo do registrado um ano antes, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (7).

A queda na última linha do balanço reflete o impacto, no resultado financeiro do período, da atualização monetária da indenização recebida pela Auren por ativos da usina hidrelétrica Três Irmãos.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da elétrica controlada por Votorantim e CPP Investments somou R$ 508,1 milhões no último trimestre de 2023, recuo de 4,8% na base anual.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No consolidado de 2023, a Auren viu crescimentos de 7,4% na receita líquida (R$ 6,2 bilhões) e de 9,7% do Ebitda ajustado (R$ 1,8 bilhão), puxado por melhores resultados na comercialização de energia elétrica e pela entrada em operação de novos parques eólicos.

No ano de 2023, a companhia teve prejuízo líquido de R$ 317,7 milhões, pela contabilização de despesas com os impostos sobre o ganho com a indenização de Três Irmãos, contabilizada no balanço no fim de 2022.

Em relatório que acompanha o balanço, os executivos da Auren destacaram o avanço da companhia no setor de geração de energia, com o início das operações de uma usina solar no Piauí, em projeto que opera de forma associada a uma usina eólica do grupo, compartilhando a mesma infraestrutura de transmissão.

Continua depois da publicidade

A administração também disse que a geradora está em “posição financeira confortável”, com alavancagem financeira de 1,8 vez a dívida líquida sobre Ebitda, para continuar avaliando “novas oportunidades de investimento”, em linha com a estratégia de crescimento em geração e comercialização de energia.

Dividendos

O Conselho de Administração da companhia ainda aprovou o pagamento de dividendos no montante de R$ 400 milhões, com base em parte da reserva de lucros da companhia.

Os dividendos serão atribuídos aos acionistas da companhia de acordo com as posições acionárias existentes no pregão de 1 de março de 2024 (data base). Assim, as ações da Auren serão negociadas ex-dividendos a partir do dia 4 de março de 2024.

Os dividendos serão pagos em moeda corrente nacional, em parcela única, em 14 de março de 2024.

(com Reuters)