Temporada de balanços

Azul (AZUL4) reverte lucro e tem prejuízo de R$ 945,7 milhões no 4º trimestre de 2021

Prejuízo líquido ajustado somou R$ 436 milhões no 4T21, cifra 52,5% inferior ao registrado em igual etapa de 2020

Por  Equipe InfoMoney -

A Azul (AZUL4) reportou prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), revertendo lucro líquido de R$ 538,2 milhões no mesmo período de 2020.

O prejuízo líquido ajustado somou R$ 436 milhões no 4T21, cifra 52,5% inferior ao registrado em igual etapa de 2020.

A receita líquida somou R$ 3,729 bilhões no 4T21, alta de 109,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A receita de passageiros aumentou 122,2% devido ao aumento de 46,3% da capacidade doméstica em comparação com o mesmo período do ano passado. Em comparação com o 4T19, a receita de passageiros aumentou 9,6%, mesmo com o tráfego internacional ainda longe da recuperação total.

A Azul registrou despesas operacionais de R$3,2 bilhões contra R$ 1,9 bilhão no 4T20, representando 66,3% a mais, principalmente devido ao aumento de capacidade de 46,5% e ao aumento de receita de 109,1%.

O lucro antes do juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 432,5% na comparação com igual etapa de 2020, totalizando R$ 1,027 bilhão.

Já a margem Ebitda alcançou 27,5% no 4º trimestre de 2021, alta de 16,7 p.p. na comparação com igual trimestre de 2020.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 1,469 bilhão no 4T21, contra resultado positivo de R$ 618,8 milhões no 4T20.

As despesas financeiras líquidas atingiram R$ 950,1 milhões, principalmente devido ao acúmulo de juros sobre empréstimos e obrigações de arrendamento no trimestre.

Já as variações monetárias e cambiais, líquidas representaram uma perda não-monetária em moeda estrangeira de R$ 533,5 milhões no 4T21 devido à depreciação de 2,6% do real em relação ao dólar no trimestre, resultando em um aumento nos empréstimos e passivos de arrendamento indexados a moeda estrangeira.

Endividamento

A Azul encerrou o trimestre com R$ 4,1 bilhões de liquidez imediata, incluindo caixa e equivalentes de caixa, contas a receber e investimentos de curto prazo, 40,6% acima do 4T19. Essa liquidez imediata representou 41,6% da nossa receita dos últimos doze meses. A liquidez total incluindo depósitos, reservas de manutenção, investimentos de longo prazo e recebíveis foi de R$ 7,2 bilhões em 31 de dezembro de 2021. Isso não inclui peças de reposição ou outros ativos não onerados como a Tudo Azul e a Azul Cargo.

Em relação à dívida líquida, a companhia informou que houve um aumento de 44,9%, a R$  17,782 bilhões.

Os investimentos totalizaram R$ 284,0 milhões no 4T21, uma redução de 42,5% em comparação com R$ 494,1 milhões no 4T19, principalmente devido às manutenções realizadas internamente e a capitalização dos eventos de manutenção de motores e maiores aquisições de peças de reposição no 4T19. Os investimentos em 2021 reduziram 50,2% em comparação com 2019.

Em 31 de dezembro de 2021, a Azul possuía uma frota operacional de 161 aeronaves de passageiros e uma frota contratual de 179 aeronaves de passageiros, com uma idade média de 6,6 anos, excluindo as aeronaves Cessna.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe