Crise no setor cripto

Após Celsius, plataforma cripto Babel Finance interrompe saques

Empresa citou “pressões de liquidez incomuns”

Por  CoinDesk -

A plataforma de empréstimo de criptomoedas Babel Finance, baseada em Hong Kong, anunciou em nota no site oficial que suspendeu saques e resgates.

“A Babel Finance está enfrentando pressões de liquidez incomuns”, diz o comunicado. No texto, a empesa também menciona grandes flutuações no mercado e “eventos de risco condutivos” entre os participantes institucionais.

No mês passado, a Babel levantou US$ 80 milhões em uma rodada de investimento Série B a um valuation de US$ 2 bilhões.

No final de 2021, a Babel Finance tinha um saldo de empréstimos pendentes de mais de US$ 3 bilhões, acima dos US$ 2 bilhões registrados em fevereiro. A plataforma teve ainda uma média de US$ 800 milhões em volume mensal de negociações de derivativos, além de ter estruturado e negociado mais de US$ 20 bilhões em opções de criptomoedas.

Ontem, a plataforma de staking (depósito de cripto com rendimento) Finblox tomou uma decisão semelhante, restringindo os saques a US$ 1.500 por mês devido à sua conexão com o fundo cripto Three Arrows Capital (3AC).

O 3AC está no centro de uma suposta insolvência, com várias exchanges importantes liquidando as posições do fundo, de acordo com uma reportagem do site especializado The Block.

O mercado de criptomoedas está em seu ponto mais baixo desde dezembro de 2020. O Bitcoin (BTC) é negociado pouco acima de US$ 20 mil, enquanto o Ethereum (ETH) mantém o nível psicológico de suporte (zona com alto interesse de compra) em US$ 1 mil. Um dos catalisadores da queda é o sentimento negativo que tomou conta do mercado após a plataforma de empréstimos Celsius interromper retiradas no início da semana.

O CoinDesk entrou em contato com a Babel Finance, mas ainda não recebeu uma resposta.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe