Radar InfoMoney

Ambipar (AMBP3) anuncia fusão de controlada, Enauta (ENAT3) tem queda da produção e mais notícias

Confira os destaques corporativos

Por  Equipe InfoMoney -

O noticiário corporativo desta quarta-feira (6) tem como destaque a fusão da Emergência Participações, controlada da Ambipar (AMBP3) responsável pela prestação de serviços industriais e resposta a emergências ambientais, com a HPX, uma sociedade de aquisição de propósito específico (SPAC).

Já a produção de óleo e gás da Enauta (ENAT3) registrou recuo de 11,3% em junho na comparação com maio. Enquanto isso, a Petrobras (PETR3;PETR4) concluiu venda de participação na Deten Química.

A Itaúsa (ITSA4) anunciou compra de participação da Andrade Gutierrez na CCR (CCRO3). Além disso, saíram dados operacionais de Gol (GOLL4) e prévia do 2º trimestre da Multiplan (MULT3).

Confira os destaques corporativos do dia:

Ambipar (AMBP3)

A Ambipar (AMBP3) informou que a Emergência Participações, controlada da companhia responsável pela prestação de serviços industriais e resposta a emergências ambientais, celebrou um acordo para combinação de negócios com a HPX, uma sociedade de aquisição de propósito específico (SPAC).

Após a conclusão da combinação de negócios, a Ambipar Response, sociedade recém-constituída de acordo com a legislação das Ilhas Cayman, deterá a totalidade das ações da Emergência Participações S.A., bem como passará a ser negociada e listada na NYSE com o ticker “AMBI”.

Desta forma, com a operação, espera-se se que a empresa combinada tenha um Enterprise Value pro-forma de aproximadamente R$ 3,1 bilhões.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras (PETR3;PETR4) finalizou ontem (5) a venda de sua participação de 27,88% na Deten Química, localizada no polo industrial de Camaçari, na Bahia, para a Cepsa Química. A empresa já possui participação de 69,94% na Deten.

A Cepsa pagou R$ 514 milhões à vista para a Petrobras. A Deten fabrica e vende matérias-primas para o segmento de limpeza doméstica e comercial no Brasil, sendo a única produtora nacional do linear alquilbenzeno (LAB), precursor do ácido linear alquilbenzeno sulfonato (LABSA), do qual também é fabricante.

A unidade tem capacidade anual de produção de 230 mil toneladas de LAB e de 120 mil toneladas de LABSA. Adicionalmente, a Deten produz 10 mil toneladas por ano de alquilado pesado (ALP) que se destina, principalmente, à produção de fluido térmico, graxas, aditivos lubrificantes e óleos têxteis.

Enauta (ENAT3)

A produção total de óleo e gás da Enauta (ENAT3) atingiu 543,9 mil barris de óleo equivalente (boe) em junho ante 613,4 mil boe em maio, o que representa uma queda de 11,3%. A quantidade corresponde a uma média diária de 18,1 mil boe.

Itaúsa (ITSA4)

A holding Itaúsa (ITSA4) comunicou aos investidores na noite desta terça-feira (5) que assinou, junto com a Vontorantim, contratos para aquisição das 300,14 milhões de ações da CCR (CCRO3) detidas pela Andrade Gutierrez. O volume de papéis corresponde a 14,86% do capital da concessionária e será adquirido pelo montante de R$ 4,1 bilhões.

“Desse total, a Itaúsa irá adquirir 208.669.918 ações, representativas de 10,33% do capital total da CCR, com investimento total de R$ 2,9 bilhões”, diz o comunicado.

Multiplan (MULT3)

A Multiplan (MULT3) apresentou dados operacionais referentes ao segundo trimestre de 2022 e informou crescimento de 64,5% nas vendas dos shoppings administrados pela companhia, na comparação com o mesmo período do ano passado. O volume, que atingiu R$ 4,9 bilhões, também é 28,8% maior que o do segundo trimestre de 2019, ano anterior ao início da pandemia.

Gol (GOLL4)

A Gol (GOLL4) divulgou os resultados prévios do tráfego referente a junho de 2022 e os números continuaram apresentando crescimento, em linha com a retomada do setor aéreo.

A oferta de assentos por quilômetros voados (ASK) aumentou em 68,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto o total de assentos cresceu em 74,1%. O número de decolagens no período subiu 79,6%.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O conselho de administração da Eletrobras (ELET3; ELET6) designou que o presidente da companhia, Rodrigo Limp, assuma também o cargo de diretor de regulação e relações institucionais, interinamente. O colegiado aprovou a criação da diretoria em reunião realizada no dia 21 de junho.

Congresso Nacional manteve veto em lei da privatização da Eletrobras que permitia ao Poder Público aproveitar em outras empresas públicas federais os funcionários da Eletrobras demitidos sem justa causa. Para justificar o veto, o governo afirmou que o trecho “viola o princípio do concurso público” e “compromete o planejamento das empresas estatais federais”.

Aeris (AERI3)

A Aeris (AERI3) assinou um aditivo contratual com a Vestas Wind Systems prorrogando o prazo mínimo de fornecimento de pás eólicas do modelo atual para 2024. Segundo a empresa, também foi definida a extensão do contrato atual, que se encerraria no segundo trimestre de 2023, por mais três anos e meio, até o final de 2026, quando a companhia deverá ficar responsável pela demanda de pás de múltiplos modelos.

Alphaville (AVLL3)

A Alphaville prorrogou por mais 45 dias decisão sobre aumento de capital privado.

Vibra Energia (VBBR3)

Dynamo e FIA Samambaia reduziram participação acionária para 14,97%.

EspaçoLaser (ESPA3)

Neo Future aumentou participação acionária na companhia de 4,86% para 5,73%, passando a deter pouco menos de 14 milhões de papéis ordinários.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe