Bom no Brasil, mas...

Alpargatas (ALPA4) fecha em queda de mais de 13% na Bolsa com desempenho decepcionante no exterior

Volumes de vendas na operação internacional caiu 5% no segundo trimestre ano a ano, enquanto a receita líquida caiu 2% considerando câmbio constante.

Por  Equipe InfoMoney -

As ações da Alpargatas (ALPA4) foram destaque de baixa do Ibovespa na sessão desta sexta-feira (5), com queda de 13,54%, a R$ 19,35, com analistas destacando o desempenho negativo da dona da Havaianas no exterior.

“O desempenho da unidade internacional de negócios – o cerne da tese de investimento – ficou claramente abaixo das expectativas”, afirmou a equipe do Bradesco BBI. Os analistas chamaram a atenção para o declínio de 36% no volume de vendas nos Estados Unidos frente ao segundo trimestre do ano passado, enquanto na China a queda chegou a 40%.

“Foi um resultado decepcionante dos negócios internacionais em seu trimestre de pico, o que significa que o crescimento do volume para o ano inteiro provavelmente não chegará ao nível de dois dígitos”, acrescentaram.

Analistas do Citi também observaram as operações internacionais continuam enfrentando dificuldades com o reequilíbrio de canais e eventos pontuais.

Os volumes de vendas na operação internacional caiu 5% no segundo trimestre ano a ano, enquanto a receita líquida caiu 2% considerando câmbio constante. Em termos consolidado, incluindo Brasil, o volume recuou 5%, mas a receita cresceu 9%.

O BBI apontou que o forte desempenho da receita no Brasil destacou o poder de precificação de Havaianas, bem como a boa execução da estratégia de preços, com um mix mais rico de produtos vendidos no trimestre.

“Isso é um bom presságio para o segundo semestre – alta temporada de Havaianas no Brasil – que também deve apresentar expansão de margem, potencialmente mais do que no segundo trimestre.”

Os analistas do Citi acompanharam a visão afirmando que os números do Brasil mostraram a capacidade da empresa de repassar custos e melhorar a margem bruta com impactos limitados nos volumes.

No segundo trimestre, a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de R$ 177,8 milhões, queda de 17,2% ante mesmo período de 2022. A margem recuou 3,9 pontos no período, para 16,7%.

Para os analistas da XP Investimentos, a Alpargatas apresentou um resultado misto, com sólido aumento de preço/mix e recuperação sequencial na margem, mas com volumes pressionados e efeito cambial negativo.

Para os próximos trimestres, a Alpargatas implementou mais um aumento de preços que tende a ser refletido integralmente a partir de julho, o que deve contribuir para a recuperação das margens, avalia a casa.

De acordo com o balanço, no Brasil, a Alpargatas aumentou o preço por par em 21% no trimestre. A XP também avalia que o lançamento dos modelos slides na Europa e EUA em junho e julho deve ser um vento a favor dos volumes na operação internacional.

O Bank of America aponta que a operação nacional superou a sua projeção, mas que os avanços foram mais do que compensados ​​por declínios nos mercados internacionais, à medida que a empresa reformula suas operações nos EUA e a Ásia continua sendo atingida por lockdowns.

“O declínio acentuado de 36% do volume nos EUA, apesar dos esforços de reestruturação, foi mais fraco do que a maioria das expectativas. A Rothy’s, embora acelerando a aquisição e o crescimento de clientes, também registrou perdas acima do esperado e pode continuar a fazê-lo à medida que aumenta sua base de clientes e lojas. No momento atual, vemos ALPA4 como bastante valorizada e mantemos nossa classificação neutra na ação”, apontam os analistas.

(com Reuters)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe