Agrogalaxy (AGXY3) tem lucro ajustado R$ 186,9 mi no quarto trimestre de 2022, alta anual de 17,8%

A receita líquida somou R$ 3,405 bilhões no quarto trimestre deste ano, crescimento de 35,3% na comparação com igual etapa de 2021. 

Felipe Moreira

Agrogalaxy Divulgação

Publicidade

A Agrogalaxy (AGXY3), plataforma de varejo de insumos agrícolas e de serviços voltados para o agronegócio, obteve lucro líquido ajustado de R$ 186,9 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), montante 17,8% superior ao reportado no mesmo intervalo de 2021, informou a companhia nesta quarta-feira (29).

A empresa explica que “o crescimento reflete o aumento de Ebitda ajustado entre os períodos comparados”.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 352,7 milhões no 4T22, um crescimento de 43,6% em relação ao 4T21.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A margem Ebitda ajustado atingiu 10,4% entre outubro e dezembro, alta de 0,6 ponto percentual (p.p). frente a margem registrada em 4T21.

Leia Mais:

A receita líquida somou R$ 3,405 bilhões no quarto trimestre deste ano, crescimento de 35,3% na comparação com igual etapa de 2021.

Continua depois da publicidade

O segmento de insumos expandiu +39% e de grãos +16% versus o 4T21. A expansão da receita de insumos deveu-se a: 17,9% preço, 2,4% crescimento de volume e 18,4% como consequência da expansão inorgânica (Agrocat).

No 4T22, o same store sales (vendas mesmas lojas, ou SSS) foi de 16,3%, desconsiderando as lojas de Boa Vista, Ferrari Zagatto e Agrocat.

A receita de grãos apresentou incremento de 16,3% devido ao aumento dos preços das commodities entre os períodos.
No 4T22, houve aumento de receita de insumos devido, principalmente, aos segmentos de defensivos e sementes. A queda
de volume em fertilizantes e defensivos foi compensada pelos incrementos de preços nessas categorias e aumento no
volume de sementes pelo plantio de soja mais tardio em relação ao ciclo passado, afirmou a companhia.

O retorno sobre capital investido (ROIC, na sigla em inglês) foi de 25,8%, alta 4,9 p.p. na base anual.

O resultado financeiro líquido ajustado foi negativo em R$ 126,6 milhões no quarto trimestre de 2022, uma elevação de 61,3% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2021.

O lucro bruto ajustado atingiu a cifra de R$ 542,7 milhões no quarto trimestre de 2022, um aumento de 50,7% na comparação com igual etapa de 2021. A margem bruta ajustada foi de 18,9% no 4T22, alta de 2 p.p. frente a margem do 4T21.

Em 31 de dezembro de 2022, a dívida líquida da companhia era de R$ 1,475 bilhão, um crescimento de 125% na comparação com a mesma etapa de 2021.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 2,1 vezes em dezembro/22, alta de 0,4 p.p. em relação ao mesmo período de 2021.

A carteira de pedidos totalizava R$ 1,4 bilhões em dezembro de 2022, redução de 32% em comparação ao mesmo período de 2021, devido à queda de preços em fertilizantes e alguns defensivos para a safra 22/23 e ao adiamento de pedidos dos produtores por conta da tendência de queda de preços em alguns segmentos de insumos.