Em mercados / acoes-e-indices

Bancos brasileiros nunca foram tão bons pagadores de dividendos como agora, destaca Credit Suisse

Com dividend yields de Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Banco do Brasil acima de 4,5%, já começam a valer mais que títulos para quem quer um rendimento anual certo

Banco do Brasil Itaú Santander Bradesco
(Shutterstock)

SÃO PAULO - As ações dos bancos brasileiros estão mais atrativas do que a renda fixa para quem quer dinheiro caindo anualmente na conta. Isso porque os dividendos distribuídos por essas instituições pela primeira vez desde 2012 oferecem uma rentabilidade maior do que a de títulos e debêntures. 

Segundo os analistas Marcelo Telles, Otavio Tanganelli e Alonso Garcia, do Credit Suisse, os bancos estão se destacando por seus generosos dividend yields (divisão do valor dos dividendos distribuídos em determinado período pelo preço cheio que o investidor paga na ação). 

O ranking do Credit Suisse para as 100 melhores ações brasileiras pagadoras de dividendos tem 12 papéis na "zona atrativa", sendo que nove deles são estão no primeiro quintil e são bancos ou outros tipos de instituições financeiras. Há 60 ações que oferecem rendimentos superiores ao Tesouro IPCA, título do Tesouro Direto que paga a inflação mais uma taxa pré-fixada. 

"Bancos nunca estiveram tão atrativos na história recente como pagadores de dividendos como eles estão agora, com Itaú Unibanco (ITUB4) e Bradesco (BBDC3; BBDC4) oferecendo os maiores spreads sobre rendimentos de títulos nos últimos dez anos", destaca o relatório do banco suíço. 

Santander (SANB11) e Banco do Brasil (BBAS3), também estão no páreo, com seus dividend yields mais atrativos desde 2015 e 2016 respectivamente. 

Essa análise, segundo o Credit Suisse, sustenta as recomendações outperform (desempenho acima da média do mercado) para as ações de Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco, Itaúsa (ITSA4), Banrisul (BRSR6), B3 (B3SA3) e BB Seguridade (BBSE3). 

Para montar o ranking das melhores pagadoras de dividendos, o Credit Suisse usa os seguintes critérios: estimativas de dividend yield para 2020, Retorno sobre o Investimento de Fluxo de Caixa (CFROI) previsto para o mesmo período, diferença entre o consenso do CFROI para 2020 e a mediana dos últimos três anos do indicador, e o contraste dos três indicadores anteriores com as estimativas totais de saídas de caixa de cada companhia devido a atividades operacionais e de investimento. 

Confira a lista das melhores pagadoras de dividendos da nossa Bolsa pelos critérios do Credit Suisse.

tabela_credit_suisse_editado

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

 

Contato