Em mercados / acoes-e-indices

Vale sobe mais de 2% com minério, estatais avançam na reta final da eleição e EzTec salta 7% com recomendação

Confira os destaques da B3 na sessão desta segunda-feira (22)

Eletrobras
(Divulgação/Eletrobras)

SÃO PAULO - Na abertura da última semana antes da definição sobre quem será o próximo presidente do Brasil, o Ibovespa abre com ganhos, com o mercado repercutindo positivamente a manutenção do candidato Jair Bolsonaro (PSL) com uma boa dianteira ante Fernando Haddad (PT), o que leva a maiores ganhos para estatais, como Eletrobras (ELET3;ELET6) e Petrobras (PETR3;PETR4). 

Além disso, o mercado repercute o cenário externo mais positivo sustentado pela temporada de resultados, enquanto o grande destaque nas bolsas externas fica para  bolsa da China, que saltou mais de 4% após o governo divulgar um plano para reduzir imposto sobre pessoas físicas. O minério de ferro teve expressiva alta, com o Qingdao registrando ganhos superiores a 2%, o que impulsiona os papéis da Vale (VALE3) para uma alta de mais de 2%. 

Petrobras  (PETR3; PETR4)

O preço do barril de petróleo brent, que chegou a superar os US$ 80 mais cedo puxado pelo nervosismo com o agravamento da crise diplomática entre a Arábia Saudita e o Ocidente, diminuiu os ganhos e agora opera próximo à estabilidade. Vale ressaltar que os sauditas têm planos de aumentar a produção, o que ajudou a conter os preços das commodities. Contudo, o dia é de ganhos para as ações da Petrobras de olho na reta final da corrida eleitoral. 

No radar da estatal, a empresa concluiu neste mês o primeiro ciclo de testes na área do campo de Mero, no pré-sal da Bacia de Santos.

O campo é considerado um dos maiores “tesouros” no pré-sal e opera em fase de teste desde abril de 2017, sendo o mais produtivo do país desde o período, e chegando a extrair 45 mil barris/dia de petróleo.

Eztec (EZTC3)

O Itaú BBA elevou para “Outperform” (performance acima da média do mercado) os papéis de Eztec, estimando um preço-alvo de R$ 25,60 para 2019 - um upside de 29% em relação ao fechamento do último pregão.

De acordo com a equipe de análise, é esperada uma aceleração dos lançamentos no quarto trimestre, totalizando R$ 848 milhões em 2018 e se aproximando da meta da companhia. Além disso, ainda há mais por vir, esperando que o ROE (Retorno Sobre o Patrimônio, na sigla em inglês) melhore significativamente nos próximos anos, e há “mais dividendos no caminho”.

Call do Açúcar

As ações do setor sucroalcooleiro seguem registrando fortes altas, com destaque para Biosev (BSEV3) e São Martinho (SMTO3), enquanto Cosan (CSAN3) tem leves ganhos. 

 Pragas têm afetado o segundo maior estado produtor de açúcar da Índia, responsável por 50% da capacidade indiana, o que pode levar a uma queda de 10% na produção do produto no país. Além de ser uma notícia positiva para as commodities (com a redução da oferta há o aumento dos preços) - beneficiando demais produtoras mundo afora -, os analistas do Credit Suisse afirmam que a recente valorização do real "parcialmente compensa esse movimento", o que favorece as sucroenergéticas brasileiras. Confira a matéria completa clicando aqui. 

Embraer (EMBR3)

A maior aeronave já produzida no Brasil, o cargueiro KC-390 da Embraer, recebeu na última sexta-feira a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A partir de agora, o modelo pode ser comercializado e operado em todo o território nacional.

O modelo foi desenvolvido para atender a Força Aérea Brasileira (FAB) e é capaz de transportar até 26 toneladas a uma velocidade de 870 km/h, com capacidade de operar em pistas não pavimentadas ou danificadas. A primeira entrega está prevista para o 1º semestre do ano que vem.

Randon (RAPT4); Azul (AZUL4)

O Itaú BBA realizou uma troca em sua carteira Top 5 e optou por retirar os papéis de Randon. “Continuamos com uma expectativa de bons resultados para os próximos trimestres, mas, dada a alta expressiva de 33% desde a adição na carteira, preferimos realizar lucros”, escrevem os analistas.

No lugar, incluiu as ações de Azul por apresentarem uma performance mais fraca desde o começo do ano (4% contra alta de 10,2% do Ibovespa). Além disso, os analistas acreditam que mesmo com uma alta dos preços do petróleo, um real mais depreciado possa pressionar as margens neste ano.

Bradespar (BRAP4)

A Bradespar informou que não vai pagar a primeira parcela de remuneração aos acionistas por não terem sido atendidos os requisitos previstos em sua “Política Indicativa Anual ao Acionista”.

De acordo com a empresa, continuará sendo avaliado a possibilidade de uma assembleia geral ordinária para propor o pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio.

Banco do Brasil (BBAS3)

O UBS e o Banco do Brasil estão em fase final de negociação para a criação de uma joint venture de gestora de ativos, afirma o colunista Lauro Jardim no jornal “O Globo”.

Segundo ele, o banco suíço teria 51% da nova empresa e o Banco do Brasil, 49%. As negociações estariam em andamento desde janeiro.

Banco Inter (BIDI4)

O Banco Inter homologou o aumento do capital social do banco, acrescendo um valor de R$ 10.079.921,46 e totalizando 100.970.272 ações, sendo 50.767.085 ordinárias e 50.203.187 preferenciais. Desta forma, o valor do capital social acrescido do aumento homologado será de R$ 863.417.328,71.

Invista em ações sem pagar taxa de corretagem: abra uma conta na Clear

 

Contato