Em mercados / acoes-e-indices

Refinaria da Petrobras parada, Samarco longe de produzir, recomendações de ações e mais notícias

Veja no que ficar de olho no destaque corporativo desta quarta-feira 

Plataforma - petróleo - 1
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Enquanto o noticiário político deve mexer mais uma vez com o mercado com movimentado com a pesquisa eleitoral Datafolha - que trouxe, novamente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança e a pontuação fraca de Geraldo Alckmin (PSDB) - o noticiário corporativo traz como destaque blue chips como Petrobras e Vale, enquanto recomendações também estão no radar. Veja no que ficar de olho no destaque corporativo desta quarta-feira (22):

Petrobras (PETR3; PETR4)

A Petrobras informou que as operações na Refinaria de Paulínia (Replan), em São Paulo, continuam paralisadas. Na madrugada de segunda-feira (20), ocorreram explosões seguidas de incêndio na Replan. A estatal informou que não há impacto imediato no abastecimento, uma vez que a empresa conta com estoque e produção das demais refinarias para garantir a oferta de combustíveis aos seus clientes.

Sobre a cessão onerosa, o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia disse que se o leilão do petróleo excedente dessas áreas não ocorrer em 2018, ele poderá ser adiado para 2020. A razão para o atraso é que a partir de 2019, o TCU (Tribunal de Contas da União) adotará uma nova sistemática que amplia demasiadamente o período de análise para leilões de privatizações e concessões. D

Segundo o secretário, o prazo limite para resolver os parâmetros do leilão é 15 de setembro, Cabe destacar que o principal obstáculo para o evento é a aprovação do Projeto de Lei da Cessão Onerosa no Senado. "Vemos a notícia como negativa para a Petrobras, dado que o governo planejava pagar o reembolso do contrato da Cessão Onerosa com recursos arrecadados do leilão do petróleo excedente", avalia o time de análise da XP Research.

Vale (VALE3)

Logo após fechar um acordo sobre o rompimento da barragem da Samarco, a coproprietária BHP Billiton acabou com qualquer esperança de reativar a mina de minério de ferro no próximo ano em entrevista à Bloomberg. A Samarco Mineração, joint-venture entre a BHP e a Vale, interrompeu a produção depois que o rompimento de uma barragem de rejeitos matou 19 pessoas e poluiu rios em dois estados.

A Vale disse que não é possível fornecer uma data de reativação, mas ambas as empresas estão trabalhando para que as operações sejam retomadas o mais rápido possível. A Samarco espera obter as licenças necessárias ao longo de 2019, mas a empresa ainda não começou a construir um sistema de filtragem para a cava de rejeitos, o que levaria de seis a nove meses.

Eletrobras (ELET3; ELET6)

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou na terça-feira (21) a desverticalização da Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas D), umas das distribuidoras da Eletrobras previstas para ser leiloada. A medida, na prática, determina que os empreendimentos de geração e transmissão (Amazonas GT) serão separados dos empreendimentos de distribuição, viabilizando o processo de venda da distribuidora. O leilão da Amazonas Distribuidora está marcado para o dia 26 de setembro

A decisão resolve uma disputa entre a Eletrobras e a Petrobras em torno da quitação de dívidas de R$ 17 bilhões, envolvendo a compra de combustível para o acionamento de usinas termelétricas.

"Vemos essa notícia como positiva para a ação, pois essa etapa é um passo essencial para a privatização dos ativos de distribuição da empresa", avaliam os analistas do Brasil Plural. 

Bradesco (BBDC4)

O 6º turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) optou por não reabrir a ação penal contra o ex-presidente do Bradesco e atual presidente do Conselho de Administração Luiz Carlos Trabuco Cappi. Decidiram por unanimidade negar o pedido do Ministério Público Federal, que queria continuar com a acusação. O STJ originalmente decidiu parar a acusação contra Trabuco em maio de 2017, pois eles entenderam que não havia provas da participação dele na Operação Zelotes que justificasse tal acusação.

Copel (CPLE6)

A Copel teve a recomendação reduzida para neutra pelo Bradesco BBI, com preço-alvo de R$ 29. No curto prazo, os analistas avaliam que a unidade hidrelétrica da Copel será prejudicada pelas compras no mercado de energia à vista, o que levará o resultado perto de alcançar no break even no terceiro trimestre. A partir de 2019/20, os pagamentos de dividendos poderão aumentar à medida que o ciclo maciço de investimentos dos últimos 5 anos terminar - supondo que nenhum novo projeto seja realizado, ponderam.

"A política não é um grande risco: com Roberto Requião não concorrendo ao cargo e depois de encontrar os principais candidatos, não achamos que as tarifas enfrentarão interferência política", avalia o Bradesco BBI, que prefere "esperar para comprar a Copel". "Talvez após o terceiro trimestre e as eleições", afirmam.

Elétricas

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou na terça-feira (21) aumento médio entre 10% e 30% nas contas de luz para consumidores do Maranhão, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraíba, Paraná e Santa Catarina.

B2W (BTOW3)

A B2W vai oferecer empréstimos aos vendedores ligados ao seu marketplace, ampliando os serviços financeiros voltados a fomentar capital de giro de empreendedores e empresas parceiras para elevar as vendas na plataforma, informou a Reuters. O financiamento será feito por meio de uma parceria com a fintech de crédito Money Plus. O produto, chamado Credit Seller, soma-se à antecipação de recebíveis e amplia a oferta de serviços financeiros aos vendedores da plataforma da B2W.

Azul (AZUL4)

A United Airlines disse que estuda a formação de joint ventures com três companhias latino-americanas em um futuro próximo, sem detalhes sobre o timing disso. Entre elas, está a Azul, da qual já é acionista. Vale relembrar que a intenção de realizar esse acordo já havia sido anunciada pela Azul após a assinatura pelo presidente Michel Temer do acordo de "Céus Abertos" com o país, que põe fim na regra que estabelece limite de frequência semanal de vôos entre os países. 

Burger King Brasil (BKBR3)

O Burger King Brasil foi elevado a overweight (acima da média do mercado, o equivalente a compra) pelo JPMorgan. O preço-alvo subiu de R$ 17 para R$ 18, o que implica potencial de alta de 24% em relação ao último fechamento. 

Tim (TIMP3)

O time de análise do Itaú BBA reiterou a recomendação overweight (acima da média do mercado, o equivalente a compra) para as ações da Tim, mas reduziu o valor justo da ação de R$ 19 ao fim de 2018 para R$ 17 ao fim de 2019.

Guararapes (GUAR3)

O ex-pré-candidato do PRB à presidência da República, Flavio Rocha, foi eleito pelo conselho de administração da Guararapes como novo conselheiro e presidente do colegiado após a renúncia de Nevaldo Rocha.

"Nossa opinião é que as ações da Guararapes devem subir com essa notícias já que o filho de Nevaldo, Flavio Rocha, é visto como mais favorável ao mercado e pode eventualmente destravar hidden values, aprimorando os padrões de governança corporativa e vendendo alguns ativos", avalia o time de análise do Brasil Plural.

Magnesita (MAGG3)

Os acionistas da Magnesita Refratários aprovaram a saída da empresa do Novo Mercado da B3, condicionada ao lançamento de OPA (oferta pública de aquisição das ações) em circulação no mercado.

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

Contato