EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras espera receber R$ 590 milhões em subsídios do diesel do 2º trimestre

"Estamos tranquilos com o recebimento dos valores", disse Ivan Monteiro, presidente da Petrobras

Diesel
(Daniel Jedzura)

SÃO PAULO – A Petrobras (PETR3;PETR4) avalia que o subsídio do governo para a redução do preço do diesel instituída após a greve dos caminhoneiros em maio deve trazer R$ 590 milhões ao caixa da empresa apenas em relação às vendas no segundo trimestre. 

Ivan Monteiro, presidente da Petrobras, explicou que o processo do cálculo é novo e, por isso, natural que haja dificuldade em realizar os primeiros cálculos. "Estamos tranquilos com o recebimento dos valores", disse em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (3). Segundo ele, a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) tem mais de 20 mil notas referentes ao segundo trimestre para avaliação. A agência precisa concluir as análises de documentos enviados pelas empresas e validar impostos federais e estaduais.

Leia também: Petrobras multiplica seu lucro em 32 vezes
Petrobras anuncia JCP aos seus acionistas após resultado

Essa perspectiva de entrada de valores praticamente garantida ajuda na visão otimista do mercado em relação à estatal. "Com os fundamentos de curto prazo da Petrobras razoavelmente garantidos pelo programa de subsídios ao diesel, acreditamos que o mercado mudará seu foco para os desenvolvimentos no campo política e outros temas, como a aprovação pendente do Projeto de Lei de Transferência de Direitos no Senado", afirma Gabriel Francisco, analista de Petróleo e Elétricas da XP Research.

Subsídio até dezembro
O governo federal decidiu pela concessão de desconto de R$ 0,46 sobre o litro do diesel na negociação com as lideranças do movimento de caminhoneiros para tentar pôr fim à paralisação iniciada no dia 21 de maio. Desse valor R$ 0,30 serão compensados pelo governo e os R$ 0,16 restantes são referentes ao abatimento no PIS-Cofins e Cide (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico).

Em 31 de julho, o governo anunciou que continuará contribuindo com o desconto de R$ 0,46 no preço do diesel até 31 de dezembro. Segundo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, agora será feito um cálculo da variação do preço do petróleo e do óleo diesel no mercado internacional. Isso significa que o preço do diesel pode aumentar, a depender do mercado internacional, mas o governo continuará mantendo o desconto de R$ 0,46.

Foi a primeira revisão feita nos preços do combustível desde o acordo entre governo e caminhoneiros e, agora, a revisão será feita de 30 em 30 dias até o fim de 2018.

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

Contato