Em mercados / acoes-e-indices

Santander cria nova empresa, Azul e Correios fazem parceria e mais notícias agitam o radar

Confira as principais notícias corporativas da noite desta quarta-feira (20)

Santander
(Toby Melville/Reuters)

SÃO PAULO - Entre os destaques corporativos da noite desta quarta-feira (20), a Petrobras anunciou que irá apresentar seu plano de negócios amanhã, enquanto a Vale informou a saída de um de seus diretores. Confira as principais notícias: 

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras informou que seu Plano de Negócios e Gestão para o período 2018-2022 será apresentado nesta quinta-feira (21), às 16h30 (horário de Brasílai) em cerimônia no Palácio do Planalto.

A solenidade contará com a presença do Presidente da República, Michel Temer; do Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho; e do presidente da Petrobras, Pedro Parente, que em seguida irá conceder entrevista coletiva.

Vale (VALE3)
A Vale informou que Clovis Torres, diretor-executivo e consultor geral, irá deixar a empresa a partir de 8 de janeiro de 2018. O executivo está na mineradora desde 2003 quando era diretor do Departamento Jurídico. Após sair em 2007, ele retornou à empresa em 2011 como consultor geral e diretor de Integridade Corporativa.

Em nota, a companhia disse que "a seleção do novo executivo para a posição está em curso e o mercado será informado em breve".

Santander (SANB11)
O Santander e a HDI Seguros assinaram hoje uma parceria para a emissão, oferta e comercialização de seguros de veículos. A operação prevê a criação de uma joint venture, que receberá o nome de Santander Auto, sendo detida 50% pela SANCAP Investimentos e Participações, sociedade controlada pelo Banco, e 50% pela HDI. A Santander Auto irá funcionar de forma 100% digital

O Santander detém 22,5% de market share no financiamento de veículos, sendo que, até o fim de setembro, sua carteira de crédito de veículos para pessoa física registrou de crescimento de 16,3%, em 12 meses, e de 5,4% no trimestre, para R$ 34,4 bilhões. A HDI seguros, por sua vez, registrou um crescimento médio anual de 13,8% nos últimos 5 anos.  

A conclusão da operação está sujeita ao cumprimento de determinadas condições, entre elas a obtenção das autorizações regulatórias pertinentes.

BR Malls (BRML3)
A BR Malls vendeu sua participação de 50% no Natal Shopping, por R$ 166,3 milhões, a ser pago em 6 de março de 2018. Esta foi a 14ª venda integral de participação de shopping center desde 2011, sendo a quarta em 2017, totalizando R$ 454,5 milhões no ano, o maior volume anual de vendas realizadas pela companhia.

Azul (AZUL4)
Os Correios anunciaram uma parceria com a companhia aérea Azul para a criação de uma empresa de transporte de cargas. Em nota, as companhias disseram que a nova empresa tem "potencial para se tornar a melhor plataforma de logística para o comércio eletrônico do País".

De acordo com  comunicado, a nova empresa terá participação de 50,01% da Azul e 49,99% dos Correios e oferecerá ao mercado o "serviço de gestão de logística integrada para transporte de cargas". A expectativa é que suas atividades sejam iniciadas ainda no primeiro semestre de 2018 após a aprovação de órgãos antitruste.

A operação começa com demandas de movimentação de cerca de 100 mil toneladas de cargas por ano. Com isso, as duas companhias terão economia de custo, eficiência operacional e ganho de receita, melhorando a oferta deste serviço para o consumidor, diz a nota.

"Praticamente você não envolve recursos, está juntando aeronaves existentes com a carga dos Correios. Essa nova empresa passa a transportar com exclusividade a carga de encomendas e postais dos Correios [...] Esta operação terá custo zero para as duas empresas [Correios e Azul]", afirmou o presidente da estatal, Guilherme Campos.

RD (RADL3)
A partir desta quarta, a RD, por meio da Drogasil da rua Pamplona, se tornou a primeira rede de farmácias a oferecer o serviço de aplicação de vacinas em São Paulo. A novidade já havia sido antecipada na semana passada (veja mais aqui) e agora o mercado aguarda com expectativa para saber os impactos nos resultados da empresa.

Em recente nota ao InfoMoney, a companhia disse que não há como fazer uma estimativa neste momento do impacto em seu balanço, até mesmo porque não há base para realizar um cálculo. "Somente a partir do próximo ano, quando o serviço estiver implantado em nossas lojas, teremos mais clareza sobre resultados", afirmou a RD.

Veja também: Nova "injeção" de ânimo? Os efeitos na Raia Drogasil à liberação de vacinas em farmácias pela Anvisa

Primeiramente serão aplicadas vacinas contra febre amarela, hepatite B, herpes-zóster e HPV. Para que as vacinas sejam aplicadas, basta solicitar o serviço diretamente na loja e ter a receita médica. Caso o cliente não tenha carteirinha de vacinação, ela será fornecida pela Drogasil.

A aplicação de vacinas pelas drogarias foi recentemente liberada no município de São Paulo pela Lei Municipal 16.739/17. Com essa liberação, a RD prevê a expansão do serviço nos próximos meses para um total de 16 filiais da Drogasil e Droga Raia na cidade. Para ser aplicada à outras regiões do estado, a empresa ainda depende da promulgação de um outro projeto de lei.

Multiplan (MULT3)
A Multiplan anunciou o início das obras do ParkShopping Jacarepaguá, o 20º shopping center da companhia, que será construído na região de Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro. O empreendimento terá uma Área Bruta Locável (ABL) de aproximadamente 41 mil m² e a inauguração está prevista para novembro de 2019.

A companhia terá uma participação de 91,0% na renda do ParkShopping Jacarepaguá e de 100% no custo de construção do empreendimento. O investimento é estimado em R$ 500 milhões.

SLC Agrícola (SLCE3)
A SLC Agrícola anunciou nesta quarta-feira, 20, a venda de 11.604 hectares de terras, por R$ 176,6 milhões, ou R$ 15.223 por hectare. Segundo a companhia, a transação está em linha com a estratégia atual de realização de ganhos imobiliários. Do total, 6.176 hectares estão no município de Diamantino, Mato Grosso, e fazem parte da Fazenda Paiaguás. Os outros 5.428 hectares ficam no município de Corrente, Piauí, e fazem parte da Fazenda Parceiro.

Considerando o valor de aquisição desses imóveis, os investimentos em desenvolvimento de terras e o valor da venda líquido de impostos, a SLC Agrícola calcula que a transação gerou uma taxa interna de retorno anualizada de 8% em dólares, ou 16% em reais. Essa taxa é superior em aproximadamente 4 pontos porcentuais ao CDI líquido do período de análise, sem considerar os ganhos da operação agrícola. A SLC continuará operando as áreas vendidas, pagando arrendamento a valor de mercado.

O comprador pagará 30% do valor na assinatura do contrato e o saldo imediatamente após o registro das escrituras, corrigido pelo CDI.

(Com Agência Estado)

 

Contato