Em mercados / acoes-e-indices

Euforia pós-resultados: Even dispara quase 12%, "small cap" sobe 10% e Gol decola 6%

Para além dos resultados, o rumor sobre o favoritismo de Henrique Meirelles para ministro da Fazenda fez a Petrobras chegar a alta de 3,5% em sua máxima intradiária; BB sobe 3%

ações
(Bloomberg)

SÃO PAULO - A quarta-feira (12) foi positiva para a Bolsa, com o Ibovespa fechando com alta de 0,96%, a 52.978 pontos, após chegar a subir 1,83% na sessão. Hoje o mercado ficou de olho no rumor de que o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, é o favorito na corrida para o ministro da Fazenda do governo de Dilma Rousseff. O mercado ainda absorveu a fala do presidente do BCE (Banco Central Europeu) Mario Draghi, que deu indícios de que poderá dar novos estímulos para reanimar a economia da zona do euro.

Entre os destaques hoje estiveram as ações da Petrobras, que em meio à notícia sobre a preferência de Henrique Meirelles para a Fazenda chegou a disparar 3,5%, mas fechou com alta bem mais amena, de 1%. Ainda ficou no radar do investidor a blue chip Vale (VALE3, R$ 22,52, -0,22%; VALE5, R$ 19,44, 0,00%), que fecharam com leve queda após chegarem a subir 2% nesta quarta. Vale mencionar que as ações do Banco do Brasil (BBAS3, R$ 25,30, +2,68%) conseguiram segurar a alta e fecharam com valorização.

Os setores imobiliário e construtor também estiveram entre as altas, com as ações da Rossi (RSID3, R$ 0,92, +10,84%) e Even liderando os ganhos do Ibovespa. Vale mencionar que a temporada de resultados foi a impulsora da disparada dos papéis da construtora Even nesta sessão, após a companhia ter visto seu lucro crescer 22% no terceiro trimestre na comparação anual.

A temporada de resultados também foi muito boa para as ações da Gol, que dispararam 8,41% nesta sessão em sua máxima intradiária, em um movimento que o mercado já estava aguardando pela melhora na postura da companhia quanto à sua taxa de ocupação dos assentos.

Fora do Ibovespa mas ainda no cenário dos resultados, chamaram atenção as ações da "small cap" Springs Global que disparam em meio ao balanço do terceiro trimestre, e a Guararapes, dona da rede Riachuelo, que volta a cair. Ontem, a varejista divulgou seu resultado dos meses de julho a setembro.

Confira os principais destaques da Bolsa nesta sessão:

Petrobras (PETR3, R$ 13,54, +0,37%; PETR4, R$ 14,11, +0,79%)
Após subirem forte nesta quarta, as ações da Petrobras fecharam com altas mais amenas em meio aos rumores de que Meirelles é o favorito para assumir o Ministério da Fazenda no segundo mandadato do governo Dilma. Mesmo fechando em alta, os papéis chegaram a cair mais de 1% com os dados de produção de outubro da Petrobras. A estatal mostrou um crescimento de 0,4% no mês, atingindo 2,126 milhões de barris de petróleo equivalente por dia. A expectativa do mercado em relação ao crescimento era maior, dado o guidance de crescimento da companhia de produção média de 7,5% este ano. De acordo com analistas do Bradesco BBI, a produção foi classificada como "extremamente decepcionante", citando que foi ofuscada por manutenções. 

Gol (GOLL4, R$ 13,13, +6,23%
As ações da Gol fecharam com forte alta após balanço do terceiro trimestre. A companhia ampliou o prejuízo líquido no terceiro trimestre, na comparação anual, pressionada pela variação cambial no período. A empresa informou nesta terça-feira um resultado negativo de R$ 245,1 milhões, ante prejuízo de R$ 197 milhões um ano antes. Segundo a XP Investimentos, a empresa continua em sua trajetória favorável em termos operacionais mas teve seu resultado ofuscado pela valorização do real frente ao dólar, lembrando que boa parte dos seus custos são em moeda americana.  

Even (EVEN3, R$ 5,33, +11,74%)
Fechando a sessão com forte alta após subir até 13% em sua máxima intradiária, a construtora e incorporadora Even viu seu lucro crescer 22% no terceiro trimestre na comparação anual, acima das projeções de analistas e ajudado por fatores como produtos com margens melhores e redução de custos de empreendimentos. A companhia informou nesta terça-feira um lucro ajustado de R$ 82,4 milhões, ante 67,4 milhões de reais um ano antes e diante de média de estimativas de analistas de R$ 62,8 milhões de reais. 

A Fator Corretora comentou que os resultados vieram "respeitáveis", colocando que "apesar de um cenário de imóveis mais resistente, a Even apresentou resultado respeitável, associado a melhores margens brutas e uma contribuição das receitas financeiras. Uma vez que estamos revendo as finanças da empresa, estamos colocando a Even em revisão".

Bradespar (BRAP4, R$ 13,97, -0,92%)
A Bradespar, braço de participações do banco Bradesco (BBDC4), informou nesta quarta-feira um prejuízo líquido de R$ 20,9 milhões no terceiro trimestre, revertendo resultado positivo de R$ 481,5 milhões registrado em igual período do ano passado. 

O desempenho foi pressionado pelo resultado da Vale no período, na qual a Bradespar tem participação. No terceiro trimestre, a mineradora registrou prejuízo líquido de R$ 3,381 bilhões, duramente impactada pela queda do preço do minério de ferro e por perdas cambiais.

Oi (OIBR4, R$ 1,32, -1,49%)
A operadora brasileira de comunicações Oi informou nesta quarta-feira que os grupos de private equity Apax Partners e Bain Capital fizeram uma proposta conjunta pelos ativos da PT Portugal com base em valor de empresa de 7,075 bilhões de euros, excluindo caixa e dívida. Esta é a terceira sinalização de interesse em relação aos ativos portugueses da Oi em pouco mais de uma semana, após o grupo europeu Altice ter feito oferta avaliada em 7,025 bilhões de euros. 

A oferta dos dois grupos de investimentos, porém, condiciona o pagamento de 800 milhões de euros do valor total com base no nível de geração futura de receitas e de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda). A Terra Peregrin, da empresária angolana Isabel dos Santos, lançou no domingo uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a Portugal Telecom SGPS, visando evitar o desmantelamento da empresa portuguesa. A investida foi rechaçada pela Oi.

Springs Global (SGPS3, R$ 0,72, +9,09%)
As ações da "small cap" Springs Global dispararam nesta quarta, após a empresa mostrar receita líquida de R$ 547 milhões no terceiro trimestre, queda de 0,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto o lucro bruto ficou em R$ 145,8 milhões, crescimento de 13,6%. O lucro líquido foi de R$ 5 milhões no trimestre. Os papéis chegaram a subir 16% em sua máxima intradiária.

Banco Pine (PINE4, R$ 6,08, -6,46%)
As ações do Banco Pine caíram forte nesta sessão após registrar lucro líquido recorrente de R$ 21 milhões no terceiro trimestre deste ano, com queda de 47,5% frente aos R$ 40 milhões do mesmo período de 2013. Segundo a Planner Corretora, o lucro líquido recorrente ficou abaixo dos trimestres refletindo baixo crescimento das operações de crédito, forte incremento das "outras despesas operacionais", reversão de PDD (Provisão de Devedores Duvidosos) e incremento na margem financeira. 

Guararapes (GUAR4, R$ 80,98, -2,43%)
A Guararapes voltou a registrar fortes quedas nesta sessão, chegando a cair 5,5% em sua mínima intradiária. Na terça-feira, a empresa divulgou seu resultado do terceiro trimestre. A varejista mostrou lucro líquido de R$ 92,7 milhões no período, com crescimento de 3,7% sobre o resultado do mesmo trimestre de 2013. Segundo a empresa, o lucro do terceiro trimestre sofreu um impacto negativo por conta da inclusão, no período, de juros sobre capital próprio pagos a investidores.  

 

Contato