Em mercados / acoes-e-indices

Confira as 10 ações que fugiram da "maré vermelha" nesta semana

A Tim foi campeã da semana, subindo 10% no período, junto com papéis das exportadoras que avançaram com alta do dólar; ficaram no verde também Vale e 2 small caps

Loja da TIM
(Divulgação)

SÃO PAULO - Nesta sexta-feira (12) fechou a pior semana da Bolsa desde maio de 2012, figurando com nada menos que 61 das 69 ações do Ibovespa fechando no negativo. Dez papéis, fora e dentro do índice porém, conseguiram se salvar da "maré vermelha"; os destaques ficaram para as ações das exportadoras, que tiveram semana positiva com as altas do dólar, além da Tim, que liderou os ganhos durante os dias 8 e 12 de setembro.

Os papéis da companhia de telefonia TIM Participações (TIMP3) subiram em meio a notícias de um possível interesse da Oi (OIBR4) em parceria com América Móvil, de adquirir a companhia, o que foi desmentido ainda nesta semana pelo presidente da companhia. Além dela, fecharam na ponta de cima do Ibovespa também as ações da Vale - que mesmo com a alta vive um mau momento na Bolsa com os preços do minério de ferro - e do Santander.

Fora do índice, chamaram atenção do mercado entre os dias 8 e 12 de setembro, as notícias de B2W, que registrou altas em meio à indicativo de que o Hotel Urbano deve anunciar a aquisição da B2W Viagens, além da disparada de mais de 34% dos papéis da small cap Telebras.

Veja os 10 destaques de alta desta semana:

TIM (TIMP3, R$ 13,69, +9,43%)
Em semana de noticiário intenso para a companhia, os papéis da Tim fecharam no positivo, deixando a companhia como "campeã do Ibovespa" para esta semana. No radar, está a notícia de que a América Móvil, dona da Claro, está em negociações com a Oi (OIBR4) para fazer uma oferta pela TIM Brasil, informou a Bloomberg. Em entrevista, o CFO da América Móvil, Carlos José Garcia-Moreno, disse que a companhia está em conversas com a Oi mas nenhum acordo formal foi alcançado. "Nós temos interesse em conversar com a empresa para entender a oferta e explorar essa oportunidade. Em termos financeiros, eu não acho que será um problema", disse. Ainda envolvida no caso de interesse em compra dos papéis da Tim - de acordo com informações d'O Estado de S. Paulo, estava a Telefônica Brasil (VIVT4, R$ 49,65, +0,40%), dona da Vivo, que também teve uma semana positiva na Bolsa, mas com leves ganhos.

Logo após, porém, o presidente da TIM, Rodrigo Abreu, reiterou na terça que a empresa de telecomunicações não está à venda, e reafirmou o compromisso de longo prazo da companhia com o País. Segunda, o presidente da Claro, Carlos Zenteno, confirmou que o grupo foi mexicano América Móvil foi procurado pelo banco BTG Pactual com uma oferta para a compra da TIM.

Na quinta-feira (11), segundo informações do jornal Valor Econômico, a Tim estava estudando uma saída para deixar de ser uma empresa focada apenas em serviços móveis, o que atualmente impede o oferecimento de pacotes combinados aos consumidores e limita o crescimento da empresa. De acordo com a publicação, a companhia está avaliando negócios de TV por assinatura para completar seu portfólio.

Fibria (FIBR3, R$ 25,85, +4,87%), Suzano (SUZB3, R$ 9,80, +3,48%) e Embraer (EMBR3, R$ 23,10, +5,19%)
Ainda na ponta verde do Ibovespa nesta semana ficaram as ações das exportadoras, em meio à valorização do dólar frente ao real. A moeda avançou cinco dias consecutivos nesta semana. A fabricante de aeronaves é beneficiada pelo movimento já que suas receitas são atreladas ao dólar.

Hoje, o dólar registrou alta de 1,65% nesta sexta-feira, cotado a R$ 2,33 - batendo seu teto informal de R$ 2,30. A alta da moeda americana faz parte de mais uma rodada de ganhos do dólar no mundo, em meio às expectativas de quanto e a velocidade em que o Federal Reserve aumentará a taxa de juros nos Estados Unidos, comentou o analista-chefe da SLW, Pedro Galdi.

O dólar também influencia na alta das ações da Fibria (FIBR3, R$ 25,85, +4,87%) e Suzano (SUZB5, R$ 9,80, +3,48%), ambas exportadoras do setor de celulose.

Vale (VALE3, R$ 25,24 , +0,96%; VALE5, R$ 28,62, +0,92%)
As ações da Vale fecharam a semana com leve alta apesar dos preços cada vez menores do minério de ferro. Porém, nesta sexta-feira, o preço da
 commodity com entrega imediata subiu 0,12% para US$ 82 por tonelada, recuperando-se da mínima de cinco anos registrada na quinta, de 81,90 dólares. Na semana, a queda acumulada chegou a 1,95%, segundo dados do Steel Index, enquanto no ano já acumula perdas de 40%. 

Vale mencionar que o Itaú Unibanco (ITUB4) revisou na terça-feira (9) para baixo sua projeção para o preço do minério de ferro, poucos dias depois do BTG Pactual cortar sua estimativa enquanto rebaixava a recomendação das ações da Vale - gigante que vem sendo fortemente penalizada pela queda da commodity.

O relatório do Itaú, assinado pelo economista-chefe Ilan Goldfajn, apontou que a redução de projeção para o minério de ferro é "consequência da combinação de longo período de preços elevados (incentivando a produção) com uma demanda global em desaceleração". O Itaú revisou o preço da commodity de US$ 101 para US$ 90 a tonelada.

Santander (SANB11, R$ 15,89, +0,19%)
As units do banco Santander figuararam a semana no positivo, fugindo da volatilidade do "kit eleições", que inclui as ações de bancos, estatais e sucroalcooleiras. Após sua matriz na Espanha comunicar que vai lançar uma oferta voluntária de aquisição de units no Brasil e nos Estados Unidos, as units do banco deixaram de ser influenciadas pela volatilidade do restante das ações; por isto, enquanto o restante dos bancos fecharam a semana no negativo, nesta semana o Santander permaneceu na ponta de cima do Ibovespa.

B2W (BTOW3, R$ 40,59, +8,38%)
As ações da B2W subiram nesta semana em meio à notícia de que o Hotel Urbano deve anunciar a aquisição da B2W Viagens e de um outro portal de venda de ingressos, segundo informações da Revista Exame. A nota não traz nenhum valor para a transação.

No começo de agosto, uma notícia veiculada no blog Veja Mercados, de Geraldo Samor, já indicava que CVC e Hotel Urbano estariam disputando a compra do negócio de reservas online da B2W, empresa controladora das Americanas.com e do Submarino. Segundo a postagem da época, o negócio está sendo vendido por entre R$ 400 milhões e R$ 500 milhões de reais.

Vale mencionar que a B2W é uma das ações que mais subiram no ano, acumulando até o momento uma alta de mais de 190%. Após um passado de muitos problemas operacionais - que comprimiram suas margens -, a empresa tem conseguido dar uma resposta positiva ao mercado, beneficiada principalmente pelo aporte de capital bilionário que o fundo Tiger injetou na varejista online no começo do ano.

Telebras (TELB4, R$ 2,37, +34,66%)
As ações da Telebras dispararam nesta semana, chegando a subir 43% só na quinta-feira com volume muito acima da média registrado nos últimos 21 dias. Vale mencionar que o noticiário da empresa segue sem nenhuma novidade nesta sessão. Além disso, pela baixa liquidez que as ações da empresa oferecem, estes movimentos de "repique" são mais comuns.

 

Contato