Em mercados / acoes-e-indices

Vale e siderúrgicas sobem 2%, enquanto "campeãs" de 2013 lideram perdas; veja mais

Ainda dentro do Ibovespa, Dasa acumula quedas de 17% em 6 pregões; fora do índice, Saraiva despenca 15,7% após resultado e fecha no seu menor patamar desde 2009

Vale - mineração
(Agência Vale)

SÃO PAULO - A sexta-feira bastante volátil no mercado contou com as ações do setor siderúrgico, elétrico e a Vale (VALE3, VALE5) entre as maiores altas do Ibovespa. Na outra ponta, as ações do setor educacional, as "campeãs" da Bolsa em 2013, figuraram entre as maiores perdas, com a Estácio caindo mais de 5% após os resultados do 4º trimestre. Ficou em evidência ainda a Petrobras (PETR3; PETR4), que mostrou bastante volatilidade; fora do índice, a Saraiva caiu mais de 15% após resultados.

Petrobras
Após chegarem a cair mais de 3% na abertura do pregão, os ativos ordinários da Petrobras fecharam o dia com alta de 0,52%, a R$ 13,50, enquanto os preferenciais subiram 0,21%, para R$ 14,02. Durante a manhã, a queda acentuada foi puxada pelo resultado da pesquisa Ibope, que foi um dos fatores apontados para a forte alta das ações nos últimos dias. Sem um resultado como esperado, a primeira reação acabou sendo negativa.

Importante destacar que analistas têm indicado que as atuais discussões no Senado envolvendo uma possível CPI da companhia diante dos questionamentos em relação à compra da refinaria de Pasadena, no Texas, podem estar ajudando as ações. Segundo eles, essa pode ser uma sinalização de que estão tentando mudar algo na companhia, o que seria bastante positivo.

Papéis de outras empresas estatais que também subiram bem nos últimos dias por conta da expectativa da pesquisa Ibope e chegaram a ser penalizados mais cedo, mas conseguiram ganhar força no resto do pregão. As ações ordinárias da Eletrobras (ELET3; ELET6)  caíram 0,35%, a R$ 5,75, enquanto as preferenciais avançaram 2,63%, a R$ 10,15. Já os papéis do Banco do Brasil (BBAS3) não conseguiram virar, mas reduziram a queda para 1,10%, a R$ 20,67, após terem atingido queda de 3,21%, a R$ 20,23.

Vale acentua ganhos
Enquanto isso, a Vale se manteve no positivo durante quase toda a sessão e fechou o dia entre os maiores ganhos do índice. Os papéis ordinários registraram valorização de 1,84%, a R$ 30,43, enquanto os ativos VALE5 subiram 2,10%, para R$ 27,20. Não é apenas a mineradora que teve um dia positivo, as ações da Gerdau (GGBR4, R$ 14,50, +2,47%), Gerdau Metalúrgica (GOAU4, R$ 17,33, +2,36%) e CSN (CSNA3, R$ 9,63, +0,21%), também fecharam em alta.

Importante destacar que nesta manhã a China, o principal mercado da mineradora, anunciou uma importante medida para seu mercado. O gigante asiático agora permite que companhias de primeira linha com problemas de caixa levantem fundos por meio de venda de ações preferenciais. No caso da CSN pesou para uma alta menor o fato do Goldman Sachs cortar sua recomendação para a companhia de neutro para venda, apontando alavancagem injustificada da empresa e pouca visibilidade sobre a execução do seu negócio de mineração.

Cyrela recua após resultado
As ações da Cyrela (CYRE3) caíram 1,27%, cotadas a R$ 12,45, depois de divulgar balanço do quarto trimestre. A empresa mostrou menor receita, Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), margem e lucro no quarto trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior. Segundo a XP Investimentos, mesmo com a receita e Ebitda menores do que o projetado, o resultado foi neutro. Os analistas explicam que a companhia só não mostrou geração de caixa devido a aquisição do terreno do Terra Encantada, mas, expurgando isso, teria tido Ebitda positivo. 

Estácio lidera perdas do Ibovespa
O setor de educação - um dos que mais subiram na Bolsa em 2013 - não teve um dia positivo. As ações da Estácio (ESTC3) lideraram a ponta negativa do Ibovespa depois de divulgar seu balanço do quarto trimestre. Os papéis registraram queda de 5,76%, cotados a R$ 21,43, mas chegaram a cair 6,33%, a R$ 21,30 em sua mínima da sessão.  A empresa reportou receita líquida de R$ 436 milhões, crescimento de 20,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto o lucro líquido ficou em R$ 45,1 milhões, crescimento de 202,7%.

Segundo a XP Investimentos, a companhia teve um crescimento forte na comparação anual, mas houve uma pequena desaceleração relativa ao que foi observado ao longo do ano. Destaque negativo para a parte de despesas que causaram uma desaceleração no ritmo de ganho de margem Ebitda (Ebitda/Receita Líquida), mas ainda sim reportando aumento na comparação anual, comentaram os analistas.

Ainda no setor de educação, destaque negativo também para a Kroton (KROT3), que caiu 0,94%, para R$ 48,29. Porém, diferente da Estácio, o movimento desta sexta-feira se deve mais a uma correção ddos papéis que subiram forte no resto da semana após um balanço positivo na segunda-feira. Entre 17 e 21 de março, os ativos tiveram alta de 9,74%. Em seu resultado a companhia mostrou alta de 260,7% em seu lucro, que atingiu R$ 137,8 milhões. Segundo a XP Investimentos, o resultado impressionou, com a empresa dando continuidade aos números fortes de crescimento e entregando melhora nas margens.

Saraiva bate menor patamar desde 2009
Fora do Ibovespa, as ações da Saraiva (SLED3, R$ 16,69, -15,71%) apareceram como principal destaque negativo, chegando a cair 17,17%, batendo em R$ 16,40 - menor patamar desde maio de 2009. O desempenho refletiu o balanço do 4º trimestre de 2013 divulgado na noite anterior pela rede de livrarias. Embora a receita líquida tenha crescido 20% em relação ao 4º trimestre do ano anterior, para R$ 736,2 milhões, o lucro líquido ficou em R$ 12,0 milhões, número 74% menor do que aquele visto nos 3 últimos meses de 2012. O Ebitda caiu 62% na mesma base comparativa, para R$ 29,3 milhões, enquanto a margem Ebitda foi de 12,5% para 4,0%. 

A queda no lucro apesar do avanço nas receitas deve-se ao crescimento de 48% nas despesas operacionais, que somaram R$ 277 milhões, por conta do impacto das baixas contábeis na operação de varejo no montante de R$ 42 milhões, gastos de rescisões extraordinárias com reestruturação de pessoal de cerca de R$ 3,8 milhões e reforço das equipes por conta do estabelecimento da nova estrutura organizacional.

Vale mencionar que as ações da Saraiva haviam subido nos três pregões que antecederam a divulgação do resultado, acumulando ganhos de 6,1%. Com a queda de hoje, os papéis SLED3 aumentaram as perdas acumuladas em 2014 para 35,73%.

Triunfo cai 2,7% após balanço
Mais uma empresa que teve um dia negativo após divulgar seus resultados foi a Triunfo (TPIS3), que fechou o pregão com perdas de 2,74%, com as ações cotadas a R$ 8,17. A empresa apresentou receita líquida de R$ 1,4 bilhão em 2013, sendo R$ 427 milhões apenas no último trimestre do ano - respectivas altas de 39,7% e 28,3% em comparação com os mesmos períodos do ano anterior. Apesar do crescimento na receita, a companhia viu seu lucro virar prejuízo de R$ 98,8 milhões no ano passado - R$ 99 milhões somente entre outubro e dezembro.

Rodobens sobe depois de resultado
Por outro lado, as ações da Rodobens (RDNI3) subiram 2,55%, a R$ 10,45, depois da divulgação do seu resultado. A empresa viu seu lucro líquido alcançar R$ 49,9 milhões no quarto trimestre de 2013, saltando 259% em comparação com o mesmo período do ano anterior. A receita líquida da companhia marcou R$ 203,155 milhões entre outubro e dezembro, uma expansão de 13% no mesmo comparativo. 

Dasa cai 17% em 6 pregões
Com nova queda, as ações da Dasa (DASA3) acumularam desvalorização de 17% nos seis últimos pregões. Somente hoje os papéis recuaram 0,78%, a R$ 14,00. O desempenho ocorre depois que o empresário Edson Bueno e sua ex-mulher Dulce Pugliese terem concluído a OPA (Oferta Pública de Aquisição) de 150,8 milhões de ações da empresa. Em relatório recente, o Deutsche Bank comentou que após a OPA  era esperado que o papel perdesse sua liquidez em Bolsa, ficando apenas a expectativa se os novos controladores realizariam uma segunda OPA pelo restante dos papéis da empresa.

 

Tudo sobre:  Ibovespa   Bolsas  

Contato