Destaques da Bolsa

Ações de CSN e Usiminas fecham em alta de mais de 4%; CCR e Ecorodovias avançam 2%, enquanto shoppings fecham em queda

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (29)

SÃO PAULO – O Ibovespa teve um dia de alta modesta, mas chegou a renovar máxima histórica intradiária na sessão, a 119.860 pontos, e ficou perto de superar a máxima histórica de fechamento, de 119.527 pontos registrada em 23 de janeiro deste ano. O índice fechou em alta de 0,24%, a 119.409 pontos.

O grande destaque de alta ficou para um setor que tem se destacado em 2020 como um todo – e que tem perspectivas positivas para 2021 com o aumento do preço do aço também previsto para o início do próximo ano. As ações das siderúrgicas subiram forte, com destaque para CSN (CSNA3, R$ 32,55, +4,86%) e Usiminas (USIM5, R$ 15,08, +4,29%), com ganhos entre 4% e 5%. Gerdau (GGBR4, R$ 24,50, +1,11%) ficou para trás, mas ainda registrando alta. Vale destacar que o ativo CSNA3 caminha para ser a maior alta do Ibovespa em 2020, com ganhos superiores a 130%.

Os preços do petróleo registraram alta, com os investidores atentos ao noticiário americano. Após a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovar na noite da segunda-feira uma elevação nos pagamentos federais aos americanos que ganham até US$ 75 mil ao ano, de US$ 600 a US$ 2 mil por pessoa, a proposta tem que passar pelo Senado.

Contudo, o líder da maioria no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell, adiou a votação do pedido do presidente Donald Trump para aumentar os valores de cheques de ajuda a cidadãos norte-americanos e exortou o Senado a anular o veto de Trump a um projeto na área de defesa.  Ainda não está claro se o Senado, de maioria republicana, apoiará a medida. McConnell disse que a questão será examinada nesta semana.

Em meio a essa expectativa, os preços do petróleo fecharam em alta, ainda que menor em relação aos ganhos de cerca de 1% observados mais cedo. Os contratos futuros do petróleo dos EUA (WTI) fecharam em alta de 0,8%, a US$ 48 por barril, enquanto o petróleo Brent subiu  0,5%, para US$ 51,09 o barril.

Petrobras (PETR3, R$ 28,67, +0,07%;PETR4, R$ 28,27, +0,32%) e PetroRio (PRIO3, R$ 67,82, +1,92%), que abriram com altas parecidas, de cerca de 1%, foram para caminhos opostos, com alta mais forte de PRIO3, enquanto os ativos da estatal fecharam próximos da estabilidade.

Quem ganhou destaque entre as altas foi o papel da Cogna (COGN3, R$ 4,69, +1,96%), com ganhos que chegaram a ser de 5%, mas ainda acumulando expressiva baixa de 58% no ano, a segunda maior queda do Ibovespa em 2020.

As ações das empresas do setor de saúde também tiveram alta, como Notre Dame (GNDI3, R$ 79,97, +2,53%) e Hapvida (HAPV3, R$ 15,52, +2,37%). O reajuste retroativo dos planos de saúde, que tiveram o aumento das mensalidades congelado por quatro meses por determinação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), vai começar a ser cobrado de beneficiários de planos individuais/familiares e coletivos a partir de janeiro. A medida, que atingiu os reajustes anual e por faixa etária, foi adotada por causa da pandemia de covid-19 e o valor será parcelado ao longo de 2021.

PUBLICIDADE

Os ativos do IRB (IRBR3, R$ 8,21, +1,23%), por sua vez, chegaram a cair 3,45% na mínima do dia, mas viraram para alta. Os ganhos chegaram a ser de 5%, mas o papel também amenizou no intraday. Na véspera, o papel saltou 12% com os dados mensais de outubro apresentados à Susep, mostrando recuperação das operações da companhia. No ano, porém, ainda responde pela maior queda do Ibovespa, de 77%.

CCR (CCRO3, R$ 13,77, +2,30%) também subiu após divulgar na véspera que assinou um aditivo ao contrato de concessão do aeroporto de Confins (MG), por meio do qual poderá receber até R$ 352 milhões. Ecorodovias (ECOR3, R$ 13,46, +2,05%) também teve ganhos. Ainda no radar no setor, estão previstos para os próximos dois anos leilões de concessão de rodovias em todo o território brasileiro. A previsão de investimentos fixos (Capex) está em torno de R$ 36,5 bilhões somente para os leilões de concessões previstos para 2021.

Por outro lado, os shoppings figuraram entre as maiores baixas na sessão, com os investidores ainda atentos aos desafios de curto prazo em meio ao aumento de casos de coronavírus no Brasil e à espera de uma vacina no país. Multiplan (MULT3, R$ 23,36, -2,15%), brMalls (BRML3, R$ 10,06 ,-1,85%) e Iguatemi (IGTA3, R$ 36,86, -1,92%) caíram cerca de 2% na sessão.

Confira os destaques:

Petrobras (PETR3, R$ 28,67, +0,07%;PETR4, R$ 28,27, +0,32%) e Braskem (BRKM5, R$ 23,39, +1,56%)

A Petrobras apresentou na última segunda-feira requerimento de arbitragem com demanda indenizatória contra a Odebrecht, estimada em aproximadamente R$ 800 milhões, por alegada violação dos termos do acordo de acionistas referente à Braskem, de acordo com comunicado ao mercado enviado pela petroleira.

A petroquímica Braskem não é parte da referida arbitragem, que é protegida por confidencialidade. A Odebrecht tem 38,3% da Braskem, com 50,1% das ações com direito a votos, enquanto a Petrobras tem uma participação total de 36,1%, com 47% das ações com direito a voto.

Santander Brasil (SANB11, R$ 46,21, +0,22%)

O conselho de administração do Santander Brasil aprovou o pagamento do montante bruto R$ 665 milhões, valor este que vai a R$ 565,2 milhões após a dedução do valor relativo ao imposto de renda na fonte.

O valor líquido por ação ficou em R$ 0,07221 por papel ordinário, R$ 0,07944 por preferencial e R$ 0,15165 por unit.

PUBLICIDADE

Terão direito aos valores aqueles com posição nos papéis em 8 de janeiro, sendo pagos a partir de 1º de fevereiro, sendo imputados aos dividendos obrigatórios de 2020.

Ser (SEER3, R$ 15,76, +1,68%)

A Ser anunciou o pagamento de aproximadamente R$15,5 milhões em Juros Sobre Capital Próprio, o que resultaria na distribuição de R$ 0,102123747 por ação após impostos. Este valor a ser distribuído corresponde a um dividend yield de aproximadamente 0,7%.

As ações serão negociadas ex-direito a partir do dia 05 de janeiro de 2021 e os proventos serão integralmente pagos até 20 de janeiro de 2021.

Ainda no radar da companhia, ela anunciou ter concluído o alongamento de vencimento de dívidas. Foram renegociados os contratos de financiamentos firmados junto aos bancos Itaú Unibanco e Banco Santander Brasil, com a finalidade de reforço de caixa, como forma de prevenção contra impactos financeiros decorrentes da pandemia do coronavírus.

Copel (CPLE6, R$ 72,76, -1,16%), Eneva (ENEV3, R$ 59,04, +0,49%), JHSF (JHSF3, R$ 7,65, 0,00%) e Unidas (LCAM3, R$ 28,35, 1,18%)

A  B3 divulgou na manhã desta terça-feira a terceira e última prévia da carteira teórica do Ibovespa com base no pregão de 30 de novembro para o período de janeiro a abril de 2021.

Copel, Eneva, JHSF e Unidas – antiga Locamerica – foram incluídas e nenhuma ação foi excluída. Assim,  o Ibovespa será formado por 81 ações.

A carteira passa a ser válida no primeiro pregão de 2021, em 4 de janeiro.

Vulcabras (VULC3, R$ 7,90, +1,02%) e Alpargatas (ALPA4, R$ 42,38, +1,22%)

A Vulcabras Azaleia comunicou nesta segunda-feira que a Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a operação pela qual suas subsidiárias assumirão as operações da marca Mizuno no Brasil.

PUBLICIDADE

A operação, que foi aprovada pelo Cade sem restrições, inclui a aquisição de certos ativos da Alpargatas (ALPA4). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União nesta data.

A Vulcabras anunciou em setembro acordo com a Alpargatas para a compra das operações da marca Mizuno no Brasil, por R$ 32,5 milhões.

Energias do Brasil (ENBR3, R$ 19,83, 0,00%)

A EDP Brasil assinou acordo de investimentos na empresa de geração solar distribuída Blue Sol, com o objetivo de adquirir participação minoritária de até 40% do capital social da companhia.

O acordo prevê que a EDP Brasil terá a opção, três anos e meio após a conclusão do negócio, de adquirir o controle da Blue Sol, que possui operações focadas no segmento B2C (empresa para consumidor) e 34 franquias distribuídas por 16 Estados do país, disse a companhia.

A operação tem entre as principais metas o “acesso a uma rede de franquias em expansão”, visando capilaridade nas vendas B2C, além da criação de uma opção de crescimento acelerado e de uma plataforma que pode servir clientes em diferentes regiões do país.

Neste ano, a Blue Sol vendeu mais de 17,5 megawatts-pico (MWp) de potência e registrou faturamento de R$ 65 milhões, acrescentou a EDP, destacando que a empresa acumulou 50 MWp instalados entre 2015 e 2020.

A conclusão da operação, prevista para o primeiro trimestre de 2021, está sujeita a condições precedentes comuns e a medidas de natureza societária e contratual. “Com a presente transação, a EDP reforça seu compromisso de investimento no segmento de energia solar distribuída como uma das vertentes de crescimento da companhia”, afirmou a elétrica.

Lojas Americanas (LAME4, R$ 26,21, +0,58%) e B2W (BTOW3, R$ 75,70, -1,74%)

A Ame, fintech da Lojas Americanas e da B2W, fechou acordo para comprar por R$ 34 milhões a Parati, sociedade de crédito, financiamento e investimento, regulada pelo Banco Central.

A aquisição está em linha com o plano de negócios para a Ame, “possibilitando a aceleração do seu desenvolvimento e maximizando suas frentes de negócios”, segundo fato relevante divulgado pelas duas companhias de capital aberto.

A Parati possui acesso direto ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) e ao Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI) e atua como Bank as a Service (BaaS) e Regtech, integrando fintechs ao sistema bancário e distribuindo, por meio de parceiros, soluções de crédito, nas quais é emissora de Cédula de Crédito Bancária, disse a B2W.

Com a aquisição, a Ame passa a ofertar mais soluções a seus mais de 15 milhões de clientes pessoas físicas e 2,8 milhões de estabelecimentos comerciais conectados (merchants), incluindo conta digital, cartão de crédito, cartão pré-pago, empréstimos, integração com PIX, entre outras. A implementação da operação depende do cumprimento de determinadas condições, incluindo aprovação pelo BC.

CCR (CCRO3, R$ 13,77, +2,30%)

A CCR assinou um aditivo ao contrato de concessão do aeroporto de Confins (MG), por meio do qual poderá receber até R$ 352 milhões, informou a empresa em comunicado ao mercado.

O aditivo, acertado com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), com interveniência da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), prevê que a BH Airport, da CCR, receberá de imediato R$ 33,25 milhões referentes a obras executadas.

Além disso, um saldo adicional de R$ 46,32 milhões será pago à concessionária no primeiro semestre de 2021.

Por fim, o aditivo prevê um mecanismo para reembolso de obras futuras a serem feitas pela BH Airport, cujo saldo disponível é de cerca de R$ 272,3 milhões.

Oi (OIBR3, R$ 2,18 -1,80%;OIBR4, R$ 2,82, -0,70%)

Visando fortalecer sua operação no Brasil, a Sky estuda adquirir os ativos de televisão da Oi, que têm preço mínimo de R$ 20 milhões, e incluem obrigações como um contrato de satélite para a oferta do serviço de quase R$ 2 bilhões. Outra empresa que demonstrou interesse é a Claro.

O Bradesco BBi afirmou que a notícia é positiva para a Oi, à medida que a venda de seus ativos de televisão pode contribuir para que a empresa continue seu processo de desinvestimento Consequentemente, haveria redução de risco.

O banco também destaca a evolução do plano de recuperação judicial da Oi. Por isso, reforça a escolha da empresa como “top pick” no setor de telecomunicações na América Latina. O banco mantém avaliação de “outperform” (expectativa de valorização acima da média do mercado), e preço-alvo de R$ 3,40, frente os R$ 2,22 de fechamento na segunda.

(Com Reuters, Bloomberg e Agência Estado)

Quer migrar para uma das profissões mais bem remuneradas do país e ter a chance de trabalhar na rede da XP Inc.? Clique aqui e assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro!