Concessões

Ações da EcoRodovias (ECOR3) fecham em alta após balanço; empresa está de olho em três leilões

Empresa vê como oportunidade de crescimento três novos leilões de rodovias deste ano: Triângulo Mineiro, CRT e Concessões Federais no PR

Por  Augusto Diniz -

As ações da EcoRodovias (ECOR3) fecharam em alta de 1,58%, a R$ 6,42, após a divulgação do balanço do 4º trimestre, quando apresentou lucro líquido recorrente de R$ 69,3 mi, alta de 25,5%.

Depois de justificar no balanço que o encerramento dos contratos de concessão da Ecocataratas e Ecovia Caminho do Mar, no Paraná, em novembro do ano passado, afetaram os resultados do 4T21, a EcoRodovias tratou de ressaltar a analistas de mercado, em teleconferência nesta terça-feira (15), que vê como grande oportunidade de crescimento três novos leilões de rodovias, que ocorrerão esse ano e a empresa deve participar: Triângulo Mineiro, CRT e Concessões Federais no Paraná.

O leilão do Lote Triângulo Mineiro, do programa de concessão de Minas Gerais, estava previsto de ocorrer no dia 18 de março, mas foi adiado sem data definida; CRT (Rio-Teresópolis) é a licitação do trecho rodoviário ampliada, até Governador Valadares (MG), com previsão de leilão em 20 de maio; e Concessões Federais no Paraná envolvem várias rodovias federais e estaduais no Estado, com previsão de leilão também para esse ano.

No balanço do 4T21, a Ecorodovias destacou que a margem do Ebidta havia sido pressionada por conta de gastos com consultoria e assessoria técnica e jurídica, em função justamente de estudos dos três leilões.

Investimentos com nova concessão são inclusos no balanço

Também no relatório com os resultados da Ecorodovias, citam-se gastos do grupo na Ecovias de Araguaia, que ainda não iniciou a cobrança de pedágio.

Essa nova concessionária da Ecorodovias iniciou suas atividades em outubro de 2021. A Ecorodovias inseriu no balanço do 4T21 o capex dessa concessão, que é de R$ 8.112 milhões, sendo que 51% terão que ser alocados nos primeiros 10 anos da concessão. Mais R$ 6,2 bilhões ainda deverão ser aplicados na operação, incluindo serviços de tráfego, atendimento médico e socorro mecânico.

A Ecovias do Araguaia, além da Ecorodovias, tem participação, ainda, da GLP – Líder global em investimentos em logística. A concessionária é responsável por administrar e operar 851 quilômetros das rodovias BR-153/TO/GO e BR-080/414/GO.

Tráfego de veículos está 16% maior

Marcello Guidotti, atual CEO da Ecorodovias, disse a analistas de mercado, que “a evolução do tráfego está sendo positiva” no portfólio de rodovias controloado pela empresa.

Segundo o executivo, “os últimos dados que temos indicam 16% acima do realizado em 2021. Continuamos otimistas”.

O CEO informou ainda que o “mix de veículos leves, industriais e da safra (que circulam nas estradas) estão dando bons resultados. Na primeira impressão do ano, as expectativas são boas”.

Novas emissões

Nesse mês, a Ecorodovias emitiu R$ 950 milhões em debêntures pelo prazo de 5 anos ao custo de CDI + 2,0% a.a. e a Ecovias dos Imigrantes aprovou no Conselho de Administração a emissão de R$ 950 milhões em debêntures pelo prazo de 25 meses ao custo de até CDI+1,25% a.a., equalizando assim, as necessidades de refinanciamento do 1S22.

Ressalta-se que a Ecorodovias fechou acordo com o Governo de São Paulo, em novembro do ano passado, de prorrogação da concessão do sistema Anchieta-Imigrantes até novembro de 2033.

Análise do balanço da EcoRodovias

Para os analistas da XP, os resultados foram considerados neutros, com Ebitda ajustado de R$ 545 milhões (em linha com as estimativas), refletindo principalmente melhorias no tráfego dado impactos mais amenos do Covid-19, porém também refletindo o fim das concessões Ecocataratas e Ecovia Caminho do Mar em novembro 2021.

Do lado positivo, os analistas destacam a melhoria contínua do tráfego, com tráfego comparável +1,0% vs. 4T19 (período pré-pandemia).

Do lado negativo, no entanto, observa-se um aumento do compromisso de capex da ordem de R$ 278 milhões, refletindo o recente aumento nos preços das commodities, especialmente o cimento asfáltico de petróleo (CAP).

Sem surpresas

O Credit Suisse destacou que os números de Ecorodovias (ECOR3) vieram “sem grandes surpresas” no 4T21, com os resultados em linha com suas estimativas.

O Ebitda ajustado ficou 2% abaixo de suas expectativas, enquanto o lucro líquido ajustado veio acima das projeções do banco.

Já as margens Ebitda no trimestre caíram, principalmente devido ao Ebitda negativo da nova Ecovias do Araguaia e maiores despesas com serviços de terceiros.

Credit Suisse mantém avaliação outperform para o papel, com preço-alvo de R$ 10,00.

Em linha

Para o Itaú BBA, os números vieram em linha e, conforme esperado, o término dos contratos de concessão da Ecovia Caminho do Mar e Ecocataratas no final de novembro de 2021 impactou tanto a receita líquida quanto a margem Ebitda ajustada, que foi ainda afetada por projetos ainda em ramp up.

Os resultados financeiros líquidos foram uma surpresa positiva, caindo tanto no período homólogo quanto no trimestre anterior.

O banco mantém classificação outperform para Ecorodovias, e preço-alvo de R$ 15,60.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe