Destaques da Bolsa

Ações da Camil avançam 2,5% após aquisição e Eneva sobe 3,4% com recomendação; Méliuz salta 48% em 4 dias

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (14)

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO –  Com os investidores monitorando a ida e Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobras (PETR3, R$ 26,68, -0,74%; PETR4, R$ 25,88, -1,33%), para a Câmara dos Deputados, as ações da estatal caíram cerca de 1%.

Na noite de segunda-feira (13), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez uma publicação no Twitter, após o fechamento do mercado, afirmando que está “Tudo caro: gasolina, diesel, gás de cozinha…” e questionando “O que a Petrobras tem a ver com isso?…”.

A mensagem veio para informar que a companhia participar da Comissão Geral na Câmara, representada pelo atual presidente, para discutir o peso dos preços praticados pela empresa, que atualmente seguem as oscilações do mercado internacional.

Nesta terça, Silva e Luna afirmou na Câmara que a Petrobras tem forte estrutura de governança corporativa. “É uma empresa forte, e faz investimentos selecionados, além de ter forte governança evitando qualquer desvio de seu foco, naquilo que faz de melhor.” Ele disse que a empresa contribui para o Brasil, principalmente nestes tempos desafiadores e salientou que, em dois anos, a estatal pagou R$ 546 bilhões em tributos. Saiba mais clicando aqui.

A sessão, cabe destacar, foi de estabilidade nos preços dos principais contratos futuros do petróleo, em meio à preocupação com a oferta nos EUA, com a produção no país demorando a retornar duas semanas após o furacão Ida atingir a costa do Golfo e em meio a preocupações de que outra tempestade possa afetar a produção no Texas esta semana.

Além disso, no radar, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reduziu sua previsão de demanda mundial de petróleo para o último trimestre de 2021 devido à variante Delta do coronavírus.

Já a Vale (VALE3, R$ 94,09, -0,71%), que abriu perto da estabilidade, intensificou as perdas, caindo cerca de 1%. Os futuros do minério de ferro caíram pela quinta sessão, para a menor cotação deste ano, com o peso das restrições à produção de aço da China sobre a demanda e expectativa dos investidores para dados industriais e econômicos esta semana.

Papéis de companhias como Méliuz (CASH3, R$ 7,70, +15,10%) e Banco Inter (BIDI11, R$ 67,46, +3,17%) seguiram com ganhos expressivos, em recuperação após a forte queda registrada na última quarta-feira e já recuperando as perdas registradas no mês.

PUBLICIDADE

No caso de CASH3, a ação da companhia registrou o quarto pregão seguido de valorização, período em que subiu 48%, tendo de pano de fundo desdobramento de ações e uma forte queda desde as máximas registradas em julho. No ano, porém, a ação ainda acumula alta de quase 190%.

Também entre as maiores altas, Eneva (ENEV3, R$ 16,93, +3,42%) subiu mais de 3% no mesmo dia em que teve a recomendação elevada para equivalente à compra pelo Itaú BBA.

Fora do índice, a Camil (CAML3, R$ 9,64, +2,55%) avançou cerca de 2,5%. A empresa comunicou contrato para a aquisição das marcas da Seleto, até então da JDE Brasil. A conclusão da operação está sujeita a condições usuais a este tipo de operação, inclusive a obtenção de aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa (Cade).  Os valores não foram divulgados.

Confira os destaques:

Petrobras (PETR3, R$ 26,68, -0,74%; PETR4, R$ 25,88, -1,33%)

Na véspera, Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, criticou o preço alto dos derivados de petróleo e disse que a Petrobras precisa ser lembrada de que “os brasileiros são seus acionistas”. Hoje, o presidente da companhia, general Joaquim Silva e Luna, falou em comissão da Câmara.

Ainda no radar, a Petrobras assinou um acordo com a Gerdau para fornecer gás natural à unidade da companhia em Ouro Branco (MG), no primeiro contrato fechado pela petroleira no ambiente livre de comercialização, em meio à abertura do mercado. Em nota à imprensa, a Petrobras informou que o início do fornecimento está previsto para ocorrer em 1º de janeiro de 2022. No entanto, não informou valores ou os volumes a serem negociados com a siderúrgica.

Ainda no radar da Petrobras, ela deve concluir nos próximos dias o processo de arrendamento do Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Bahia por pouco mais de R$ 100 milhões, em contrato válido até o final de 2023, disseram três fontes com conhecimento das tratativas à Reuters.

Camil (CAML3, R$ 9,64, +2,55%)

A Camil Alimentos comunicou contrato para a aquisição das marcas da Seleto, até então da JDE Brasil. A conclusão da operação está sujeita a condições usuais a este tipo de operação, inclusive a obtenção de aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa (Cade).  Os valores não foram divulgados.

PUBLICIDADE

Além do café Seleto, a JDE Brasil também é dona das marcas de café Pilão, Do Ponto e Pelé.

“A Operação está alinhada com a estratégia da Companhia de diversificação de categoria, inaugurando sua entrada no segmento de café. A Camil possui um histórico consistente de crescimento e ampliação de participação de mercado por meio de aquisições. Essa mais recente aquisição consiste em um passo importante para o ingresso da Companhia no mercado de café, vindo de encontro aos seus objetivos estratégicos de aquisições de marcas e ativos no setor de
consumo na América do Sul”, informou.

O Bradesco BBI comentou a aquisição e destacou que não está mudando a sua visão sobre a companhia após a compra, mantendo recomendação neutra e preço-alvo de R$ 11 para o papel.

“Entendemos que a participação e receita da marca no Brasil não são relevantes. Além disso, o valor da transação não foi divulgado, mas entendemos que o valor a ser pago não é significativo. No entanto, consideramos esta transação em linha com a estratégia de diversificação da Camil, tendo recentemente adquirido um dos maiores players de massas alimentícias do Brasil (Santa Amália), e que marca agora a sua primeira entrada no negócio do café no Brasil”, apontam.

Oi (OIBR3, R$ 1,01, -0,98%; OIBR4, R$ 1,70, -0,58%)

Segundo o Brazil Journal e o Valor, o fundo soberano GIC/GSI, de Cingapura, investirá R$ 2,2 bilhões para entrar na sociedade do fundo do BTG Pactual que controla 57,9% da V.tal, empresa de infraestrutura de fibra óptica onde a Oi tem 42,1% de participação.

Com esse investimento, os fundos do BTG encerram a captação para pagar a Oi pela compra da InfraCo. A Oi está vendendo ativos como parte de seu plano de recuperação judicial.

“Enxergamos o movimento como positivo para a V.Tal, por transmitir um voto de confiança na execução de seu plano estratégico para alcançar 32 milhões de casas com fibra disponível na porta até 2025”, aponta Luis Sales, da equipe de análise da Guide.

WEG (WEGE3, R$ 39,38, +1,23%)

A WEG comunicou que assinou contrato para a aquisição de 100% do capital social da Balteau Produtos Elétricos, empresa de transformadores para instrumentos e conjuntos de medição, situada no município de Itajubá, estado de Minas Gerais.

PUBLICIDADE

“Empresa tradicional de seu setor com operações há muitos anos no Brasil, a Balteau dispõe de um parque fabril de 11.800 m² de área construída e conta com equipamentos e instalações de última geração. Com uma equipe de aproximadamente 350 colaboradores, a empresa é especializada em projeto, fabricação, ensaios elétricos e assistência técnica para transformadores de corrente e de potencial capacitivo até 550kV, transformadores de potencial indutivo até 145kV e conjuntos de medição até 36kV, produtos que a WEG não tem em seu portfólio atualmente. Em 2020 sua receita líquida foi de R$ 121,7 milhões”.

Minério de ferro

Os futuros do minério de ferro caíram pela quinta sessão, para a menor cotação deste ano, com o peso das restrições à produção de aço da China sobre a demanda e expectativa dos investidores para dados industriais e econômicos esta semana.

Os futuros em Singapura reverteram os ganhos do início da sessão na terça-feira e estão mais de US$ 100 abaixo do recorde alcançado em maio devido à menor demanda. O racionamento de energia restringe as operações em usinas, e a China antecipou o prazo para cortes na produção de aço.

Em Singapura, os futuros de minério de ferro caíam 1,3%, para US$ 120,50 a tonelada às 15h27, depois da queda de 4,9% na segunda-feira. Na China, o minério de ferro avançou enquanto os futuros do aço recuaram.

Santander (SANB11, R$ 36,92, -0,62%)

O Santander anunciou na segunda-feira a compra de 70% de plataforma mexicana Mercadotecnia, Ideas y Tecnología (MIT), unindo-a ao seu braço de pagamentos Getnet, que se prepara para uma oferta pública inicial de ações (IPO na sigla em inglês) na Nasdaq.

Em comunicado, o Santander afirmou que a MIT seguirá desenvolvendo soluções para pagamentos e poderá exportar seus negócios para outros países. Fundada em 2004, a MIT tem mais de 35 mil clientes e 125 mil terminais de pagamentos (POS), com 10% do setor no México.

BRF (BRFS3, R$ 23,89, -2,89%)

A companhia de alimentos BRF informou na segunda-feira investimento de R$ 51 milhões em sua fábrica na cidade de Marau, no norte do Rio Grande do Sul, para modernizar e ampliar unidade de produção de salsichas. O valor integra o aporte de R$ 171 milhões já anunciados pela companhia para o Rio Grande do Sul no início de agosto.
O investimento será realizado majoritariamente ainda em 2021, segundo a companhia.

Vale (VALE3, R$ 94,09, -0,71%)

Conforme apresentação feita a investidores na última quinta-feira, a Vale projeta terminar 2022 com capacidade produtiva de minério de ferro de 370 milhões de toneladas ao ano, ante 400 milhões de toneladas na previsão anterior, à medida que enfrenta atrasos em projetos no Sistema Norte, onde está sua principal mina. Para 2021, a capacidade do Sistema Norte fechará em 205 milhões de toneladas, mesmo número agora previsto para o fim de 2022.

Gafisa (GFSA3, R$ 3,03, -2,26%)

A Gafisa informou o lançamento do empreendimento de luxo TOM Delfim Moreira, que está no bairro carioca do Leblon. O valor geral de vendas (VGV) é de R$ 190 milhões, o edifício é localizado em frente à praia tem unidades de 284 m² a 500 m².

Proteínas

A média diária de exportações de carne bovina atingiu 12,4 mil toneladas até a segunda semana deste mês, uma disparada de 83,1% em relação ao volume embarcado por dia em setembro de 2020, apesar de uma suspensão temporária de vendas da proteína para a China, mostraram dados do governo federal na segunda-feira.

No dia 4 de setembro, o Ministério da Agricultura confirmou a ocorrência de dois casos atípicos da doença Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como “vaca louca”, no Brasil que causou o embargo aos chineses a partir de então, devido a um protocolo já estabelecido pelo país asiático.

As exportações da proteína in natura do Brasil, no entanto, além de registrarem avanço significativo no comparativo anual, também aumentaram em relação à primeira semana do mês, quando a média diária estava em 10,5 mil toneladas, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Magazine Luiza (MGLU3, R$ 17,03, -2,35%)

O Bradesco BBI realizou uma call com a gestão da Magazine Luiza, que reiterou que agosto representou a base de comparação mais difícil em 2020, e que os planos de crescimento em 2021 continuam caminhando. O banco mantém sua recomendação neutra para a empresa.

O banco diz que o crescimento continua robusto, e que a Magazine continua a ganhar participação de mercado, segundo dados de Compre e Confie. Mas diz que mantém uma visão cautelosa quanto à Magazine Luiza porque, além da concorrência, tem uma visão cautelosa quanto à perspectiva de crescimento da companhia.

Klabin (KLBN11, R$ 25,75, +0,59%)

O Bradesco BBI se encontrou com Francisco Razzolini, diretor de tecnologia industrial, inovação, sustentabilidade e projetos da Klabin. O banco afirma que discutiu a agenda de governança ambiental e social (ESG) da empresa e seus principais desafios e oportunidades.

O banco diz que as metas de ESG de 2030 solidificam um forte desempenho ambiental, e que a empresa já tem um dos melhores desempenhos no setor, globalmente. O banco também diz que a empresa já reduziu as emissões de escopo 1 e 2 em 64% para o período entre 2003 e 2020, e que pretende reduzi-las em 25% até 2025 e 49% até 2049. O banco diz que o grande desafio da empresa é reduzir a exposição a combustíveis fósseis, e que a empresa está estudando as melhores alternativas para tanto.

O BBI também destaca que a empresa está bem posicionada para monetizar créditos de carbonos, mas diz avaliar que esta oportunidade em particular ainda levará tempo para se materializar, já que padrões claros de mercado ainda precisam ser definidos. O Bradesco mantém recomendação outperform e preço-alvo de R$ 40 para a Klabin, frente à cotação de terça de R$ 25,6 para os papéis KLBN11.

Eneva (ENEV3, R$ 16,93, +3,42%)

O Itaú BBA elevou a recomendação das ações da Eneva para outperform, destacando ver a ação como o melhor veículo para investir na severa crise hídrica pela qual o Brasil passa. O banco afirma que a empresa tem potencial de criar valor investindo em novas usinas térmicas. Também destaca a compra do campo de Urucu, que eleva substancialmente as reservas de petróleo e gás da empresa. O preço-alvo foi de R$ 15 em 2021 para R$ 18,60 em 2022.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Conheça o plano de ação da XP para você transformar os desafios de 2022 em oportunidades de investimento.