Destaques da bolsa

Ação da Braskem sobe 2% e Cielo cai 6% com recomendações; bancos caem após BC citar “open banking”

Confira os destaques da B3 na sessão desta quarta-feira (9)

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na quinta sessão de queda para o Ibovespa, algumas ações, principalmente alvo de recomendações, ganharam destaque. É o caso de Braskem (BRKM5), que tem um novo dia de ganhos após ter a recomendação elevada por HSBC e Morgan Stanley.

Os ativos tiveram forte alta na bolsa e já avançam 16,75% em janeiro, desde que assinaram acordo para apoiar a desocupação e compensação de cerca de 17.000 moradores de áreas de risco em Maceió (AL), saltando 18% no mês. Enquanto isso, a Cielo (CIEL3) caiu forte após ter a recomendação reduzida pelo Bradesco BBI.

A Gol (GOLL4), por sua vez, teve uma nova sessão de ganhos: o Morgan Stanley revisou estimativas e manteve recomendação equivalente à compra para os papéis GOLL4 e da Azul (AZUL4). Ontem, os ativos da Gol já haviam subido forte com dados operacionais de dezembro considerados positivos.

Aprenda a investir na bolsa

As ações dos bancos também tiveram queda nesta sessão, sendo boa parte puxados nesta sessão pela fala de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. Hoje, o presidente do BC disse que as medidas que tomará nos três primeiros meses deste ano são autorizar que fintechs atuem com microcrédito, análise da consulta pública do sandbox regulatório e simplificação do acesso ao crédito rural.

Fora do Ibovespa, as ações da Positivo (POSI3), por sua vez, após chegarem a subir até 5% após obterem nova chance para participar da licitação de urnas eletrônicas, diminuíram fortemente os ganhos e fecharam em alta de apenas 0,83%. Confira os destaques:

Maiores altas

AtivoVariação %Valor (R$)
BTOW35.3413868.04
IRBR33.8616941.15
MGLU33.5593652.08
RADL33.00909113.31
LAME42.7110826.52

Maiores baixas

AtivoVariação %Valor (R$)
CIEL3-6.130277.35
BRDT3-2.6343228.09
CCRO3-2.4206618.14
CVCB3-2.1425343.39
BBAS3-2.0337751.06

Cielo (CIEL3)

O Bradesco BBI reduziu a recomendação para a Cielo de neutro para underperform (desempenho abaixo da média do mercado) e cortou o preço-alvo de R$ 7 para R$ 6,50, o que representa uma queda de 17% em relação ao fechamento da última quarta-feira.

De acordo com Victor Schabbel, analista do banco, a pressão sobre os lucros deve persistir: “é improvável que a potencial vantagem das renegociações de incentivos seja suficiente para mudar as perspectivas. Nossas estimativas de lucro são 33% e 34% inferiores ao consenso para 2020 e 2021”.

Leia também: Bradesco BBI rebaixa Cielo e diz que empresa “não está pronta” para retomada; ação despenca

A análise cita alguns fatores negativos que levaram ao corte na avaliação: dependência crescente da Cateno, sociedade de cartões de empresa com o Banco do Brasil, que foi de 20% da receita em 2018 e deve ter crescido para 34% em 2019; e um ambiente muito competitivo no setor brasileiro de cartões. “A diretoria está fazendo o certo, mas esse trabalho levará algum tempo para aparecer nos resultados”, conclui o BBI.

BR Distribuidora (BRDT3), Braskem (BRKM5), Enauta (ENAT3) e Petrobras (PETR3;PETR4)

PUBLICIDADE

Após uma forte alta das ações, o Morgan Stanley reduziu a recomendação para Enauta de overweight para equalweight, pois a relação risco-recompensa parece equilibrada.

Já a BR Distribuidora e Braskem passaram de underweight para equalweight, enquanto a Petrobras segue sendo a principal opção dentro do setor de petróleo e gás na América Latina.

Sobre Braskem, o banco destacou que os fatores de risco que ameaçavam a empresa ficaram menos relevantes, como o problema no Estado de Alagoas, que começou a ser resolvido. O preço-alvo da ação da Braskem passou de R$ 33,35 para R$ 35,00. Ainda sobre Braskem, os analistas do HSBC elevaram a recomendação de neutra para equivalente à compra.

Sobre BR Distribuidora, os analistas avaliam que, com a venda de quatro refinarias da Petrobras, a BR poderá criar sinergias com empresas da cadeia na distribuição, como a Ultrapar, que já manifestou interesse na refinaria Alberto Pasquallini, no Rio Grande do Sul. O preço-alvo da ação da BRDT3 subiu de R$ 24,00 para R$ 31,50.

Sobre ENAT3, o Morgan lembra que as ações da petrolífera, antiga Queiroz Galvão Produção, tiveram um rali com alta de 65% no valor nos últimos três meses, e agora tende a haver uma acomodação. Mesmo assim, o preço-alvo da ação subiu, de R$ 16,00 para R$ 16,50. “Se o preço do petróleo continuar o rali, a ação poderá encontrar maior suporte”, avalia.

Marfrig (MRFG3)

A Marfrig já está em fase avançada de desenvolvimento para lançar no Brasil a sua versão da carne de porco vegana. Segundo executivos, a empresa já tem um protótipo aprovado internamente, faltam só ajustes comerciais para lançar o produto, ainda sem data definida.

“Vale lembrar que o projeto de carne bovina vegetal da Marfrig foi lançado no Brasil em agosto. Em seguida, entrou na rede Burger King no país e, no final do ano, as primeiras levas do hambúrguer vegano foram enviadas para China e Uruguai, com a marca Revolution. Já a Seara, da JBS, produz um hambúrguer e empanados de carne de frango vegetal, mas diz que ainda não tem previsão para a carne suína vegana”, destaca a XP Investimentos.

Vale (VALE3)

O Ministério Público de Minas Gerais planeja apresentar denúncias criminais “nos próximos dias” contra a Vale e alguns de seus executivos e funcionários envolvidos no caso do rompimento de barragem que matou ao menos 259 pessoas em Brumadinho (MG), enquanto o Ministério Público Federal continua a investigar o caso.

PUBLICIDADE

Andressa Lanchotti, promotora de Justiça e coordenadora da força-tarefa do MPMG que apura o desastre, disse à agência de notícias Reuters que a denúncia terá de 15 a 20 acusados, incluindo também trabalhadores ligados à empresa que atestou a estabilidade da barragem, a alemã TÜV SÜD, assim como as próprias companhias. “O que podemos tirar das investigações é que havia muitos elementos apontando risco, o risco não era desconhecido”, afirmou Lanchotti.

IMC (MEAL3)

A International Meal Company Alimentação, uma das maiores empresas de alimentação industrial do Brasil, decidiu vender 6,79 milhões de ações ordinárias na B3. A empresa tomou a decisão ontem em reunião do Conselho de Administração na capital paulista. Segundo um comunicado publicado pela IMC, a venda deverá ser efetuada em 18 meses a partir de ontem.

As corretoras escolhidas para efetivar a venda foram a Santander, Credit Suisse e BTG Pactual. O objetivo da venda é “fortalecer o fluxo de caixa”. Logo antes de aprovar a venda das 6,79 milhões de ações, que estão na Tesouraria, a empresa encerrou o seu programa de recompra dos papéis.

Positivo (POSI3

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu um prazo de oito dias úteis para que as duas empresas participantes da licitação para compra de novas urnas eletrônicas apresentem novos projetos.

As empresas Positivo e Smartmatic do Brasil foram desclassificadas do certame por não cumprirem especificações técnicas, mas terão nova oportunidade. A decisão foi tomada pelos ministros do TSE em sessão extraordinária realizada na tarde de hoje (8).

Os ministros rejeitaram recurso das empresas, e deram a elas, conforme Artigo 48 da Lei 8.666, que disciplina o procedimento licitatório, a chance de apresentar novas propostas.

O TSE se encontra em recesso, mas a presidente do tribunal, ministra Rosa Weber, convocou uma sessão administrativa em caráter extraordinário apenas para apreciação do recurso.

As duas empresas têm até o dia 20 para entregar as novas propostas de projeto. Os testes técnicos deverão ocorrer entre os dias 21 e 26, com entrega dos resultados no último dia. Segundo o TSE, a publicação do resultado ocorrerá ainda em janeiro, no dia 27.

PUBLICIDADE

O TSE pretende introduzir um novo modelo de urna eletrônica no Brasil. Esse novo modelo terá um design diferente, mais ergonômico, com a tela e o teclado em uma única visão. “A medida tende a agilizar a votação, uma vez que o eleitor terá mais controle e menos possibilidade de cometer erros ou equívocos no momento da digitação”, afirma o TSE.

Omega (OMGE3)

A Omega Geração, empresa produtora de energia com sede em Belo Horizonte (MG) comunicou ontem ao mercado que concluiu a aquisição das operações de energia eólica Delta 7 e Delta 8.

Os dois parques eólicos ficam no Estado do Maranhão e têm a capacidade de gerar 97,2 MW. A Omega informou que pagou um total de R$ 282,8 milhões nos parques. A Omega já possui mais três parques eólicos na mesma região, os Delta 3, 4 e 5. Segundo a empresa, com as novas aquisições a capacidade de geração subiu para 1.195 MW operacionais.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A estatal Eletrobras começou neste ano a transferência da gestão e operação do Hospital Nair Alves de Souza, no Estado da Bahia, para a União, o governo estadual e o município de Paulo Afonso.

A empresa atendeu à determinação de uma ação civil pública. Segundo a Eletrobras, o hospital era de responsabilidade da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), desde a construção da Usina de Paulo Afonso. Segundo a Eletrobras, a Chesf teve um gasto de R$ 56 milhões em 2019 com o hospital.

Embraer (EMBR3)

A União Europeia definiu o dia 30 de abril como o novo prazo para revisão do acordo entre Boeing e Embraer, segundo comunicado no site da Comissão Europeia. A data limite para a revisão era, inicialmente, em 20 de fevereiro.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!