3R (RRRP3) sobe 7,6% e PetroReconcavo (RECV3) dispara 11,7% com sugestão de fusão de ativos onshore

Analistas veem notícia como positiva, ainda que vejam debates sobre termos da operação no radar

Equipe InfoMoney

Publicidade

As ações da 3R Petroleum (RRRP3) e da PetroReconcavo (RECV3) dispararam nesta quinta-feira, após proposta de acionista da 3R de cisão dos ativos “onshore” da companhia, defendendo a fusão deles com os da PetroReconcavo.

Conforme fato relevante da 3R na noite da véspera, a sueca Maha Energy comunicou a aquisição de cerca de 5% do capital da 3R e incluiu uma proposta de “carve out” ao conselho de administração da empresa com proposta de combinação dos ativos onshore da 3R com os da PetroReconcavo.

“Vemos a consolidação dos ativos onshore da 3R Petroleum com a PetroReconcavo como uma progressão lógica na busca de aumento de valor para os acionistas de ambas as entidades”, afirmou a Maha na carta.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

As ações da 3R Petroleum dispararam 7,62%, a R$ 29,38, enquanto os papéis da PetroReconcavo saltavam 11,7%, a R$ 23, ainda que amenizando após atingirem máximas respectivas de 16,85% e 17,68%.

“Nossa impressão inicial…é que o acordo proposto é positivo para os acionistas da 3R”, afirmaram analistas do Safra em relatório a clientes.

Leia também:

Continua depois da publicidade

3R e PetroRecôncavo: vem aí uma gigante onshore? O forte potencial para ações, mesmo se a operação não vingar

Os analistas destacaram que o valor patrimonial considerado dos ativos onshore seria quase equivalente ao valor total de mercado atual da empresa e eles acabariam com uma participação de 50% numa operação onshore maior e menos endividada – a empresa combinada -, mantendo a participação na 3R offshore sem dívidas e a um custo virtualmente baixo”.

Eles também veem a transação de forma positiva para a PetroReconcavo, “pois, apesar de incorporar os ativos com prêmio aos múltiplos de mercado…ainda seria inferior ao múltiplo atual da PetroReconcavo”.

A equipe do Safra acrescenta que a propriedade de ativos ‘midstream’ atualmente pertencentes à 3R poderia permitir uma melhor fixação dos preços da produção de petróleo e menores custos de processamento de gás para a produção da empresa. “As potenciais sinergias decorrem da proximidade física dos campos e da redução de despesas gerais e administrativas.”

Ao estimar os ganhos para os acionistas, após uma série de suposições, analistas da XP Investimentos chegaram a um potencial de alta de aproximadamente 29% para 3R e de 18% para os acionistas da PetroReconcavo.

“Temos sido otimistas com relação à consolidação das chamadas petrolíferas ‘juniores’, em um momento em que ambas as ações estão subvalorizadas, acreditamos que, mesmo que essa transação não vá adiante, ela lança luz sobre o grande potencial e as oportunidades dos ativos, o que deve ajudar ambas as teses de investimento.”

As companhias se posicionaram sobre o tema durante a manhã desta quinta. A PetroRecôncavo disse que não recebeu até o presente momento qualquer
proposta de combinação dos negócios da 3R e, portanto, não há qualquer negociação em andamento neste sentido. Já 3R Petroleum respondeu que analisará o conteúdo da carta e adianta que “manterá sua atual estratégia de negócios”.

(com Reuters)