O que é FGC e quais investimentos são garantidos pelo fundo?

Entenda como funciona o fundo que protege o investidor e garante algumas aplicações de renda fixa

FGC
(Imagem: GettyImages)

Se você busca diversificar a sua carteira de investimentos, mas não abre mão de segurança, mesmo que signifique obter uma baixa rentabilidade, então precisa conhecer o FGC (Fundo Garantidor de Créditos).

Trata-se de um fundo que busca preservar o patrimônio do investidor (ou parte dele), caso a instituição financeira venha a falir.

Entretanto, só protege alguns ativos de renda fixa e segue uma série de regras que limitam sua atuação. Por isso, é muito importante entender como funciona esse recurso.

O que é o FGC?

O FGC é uma instituição privada, sem fins lucrativos, cuja missão é proteger investidores no âmbito do sistema financeiro nacional e prevenir o risco de uma crise bancária sistêmica.

Em outras palavras, é um mecanismo que garante aos clientes das instituições financeiras associadas a recuperação do patrimônio investido, em caso de decretação de regime de intervenção ou liquidação extrajudicial.

O FGC foi criado em 1995 diante da crescente preocupação das autoridades com a estabilidade do sistema financeiro. Embora o próprio órgão afirme não ser apenas um “pagador de dívidas”, que só surge em cena em momentos dramáticos, alguns investidores mais conservadores se apegam à existência do FGC para tomar decisões.

Como funciona

O fundo é formado com os recursos depositados periodicamente pelas instituições financeiras associadas: Caixa Econômica Federal, bancos múltiplos, bancos comerciais, bancos de investimento, bancos de desenvolvimento, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário, companhias hipotecárias e associações de poupança e empréstimo.

Consulte aqui a lista completa de instituições associadas.

Qual é o valor máximo garantido?

O valor total coberto pelo FGC é limitado ao teto de R$ 250 mil por CPF/CNPJ em cada conglomerado financeiro, com um limite de R$ 1 milhão renovado a cada quatro anos. Dessa forma, se um investidor tiver R$ 150 mil investidos em um CDB do banco X por meio de uma corretora e outros R$ 200 mil via outra corretora, porém do mesmo banco X, e houver uma quebra, ele só terá direito a receber o total de R$ 250 mil do FGC.

Investimentos protegidos pelo FGC

O Fundo Garantidor de Créditos não protege todas as modalidades de investimentos, apenas os depósitos ou créditos a seguir:

  • Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio;
  • Depósitos de poupança;
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  • RDBs (Recibos de Depósitos Bancários);
  • LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio);
  • LC (Letras de Câmbio);
  • LH (Letras Hipotecárias).

Também garante depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes a prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares.

São ainda obertas operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos após 8 de março de 2012, por empresa ligada.

Garanta sua independência financeira: abra sua conta na XP – é de graça!