Arbitragem de criptomoedas: Como obter ganhos de baixo risco

Método consiste em identificar diferenças de preços de criptomoedas em diferentes plataformas, e lucrar com isso

Arbitragem de criptomoedas
(Crédito: Gettyimages)

A arbitragem de criptomoedas é um tipo de estratégia de negociação em que os investidores capitalizam com pequenas diferenças de preços de um ativo digital em diferentes mercados ou exchanges. Em sua forma mais simples, é o processo de comprar um ativo digital em uma corretora e vendê-lo (quase) simultaneamente em outra na qual o preço é mais alto.

Fazer isso significa obter lucros por meio de um processo que envolve pouco ou nenhum risco. A outra coisa interessante sobre essa estratégia é que você não precisa ser um investidor profissional com um setup (conjunto de estratégias) caro para começar a fazer arbitragem.

O que é arbitragem?

A arbitragem tem sido um dos pilares dos mercados financeiros tradicionais muito antes do surgimento da indústria cripto. E mesmo assim, parece haver mais hype em torno do potencial dessa estratégia no cenário das criptomoedas.

Isso ocorre provavelmente porque esse setor é conhecido por ser altamente volátil em comparação com outros mercados financeiros. Isso significa que os preços dos criptoativos tendem a se desviar significativamente ao longo de um determinado período. Como os ativos digitais são negociados globalmente em centenas de exchanges 24 horas por dia, sete dias por semana, há muito mais oportunidades para os traders de arbitragem encontrarem discrepâncias de preços lucrativas.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Tudo o que um trader precisa fazer é identificar uma diferença no preço de um ativo digital em duas ou mais exchanges e executar uma série de transações para aproveitar a diferença.

Por exemplo, vamos supor que o preço do Bitcoin (BTC) é de US$ 45.000 na exchange Coinbase e US$ 45.200 na Kraken. Nesse cenário, os arbitradores de criptomoedas podem identificar essa disparidade e comprar BTC na Coinbase e vendê-lo na Kraken para embolsar a diferença de preço de US$ 200. Esse é um exemplo típico de uma arbitragem de criptomoedas.

Por que os preços das exchanges de criptomoedas são diferentes?

Exchanges centralizadas

A primeira coisa que você precisa saber é que a precificação de ativos em exchanges centralizadas depende da ordem de compra e venda mais recente no book de ofertas. Em outras palavras, o preço mais recente pelo qual um trader compra ou vende um ativo digital em uma corretora é considerado o preço em tempo real desse ativo na exchange.

Por exemplo, se a ordem para comprar Bitcoin por US$ 60.000 for a mais recente em uma corretora, esse preço se tornará o valor mais recente do BTC na plataforma. A próxima ordem depois disso determinará o próximo preço do ativo digital e assim por diante. Portanto, a descoberta de preços nas exchanges é um processo contínuo de estipular o preço de mercado de um ativo digital com base em seu preço de venda mais recente.

Observe que o preço também tende a variar porque a demanda do investidor por um ativo é ligeiramente diferente em cada corretora.

Exchanges descentralizadas

As exchanges descentralizadas, no entanto, usam um método diferente para precificar ativos, conhecido “criador de mercado automatizado” (AMM, na sigla em inglês). Esse sistema depende diretamente de traders de arbitragem de criptomoedas para manter os preços alinhados com os mostrados em outras exchanges.

Aqui, em vez de um sistema de livro de ofertas onde compradores e vendedores negociam criptoativos a um determinado preço, as exchanges descentralizadas dependem de pools de liquidez. Para cada par de negociação de criptomoedas, um pool separado deve ser criado. Por exemplo, se alguém desejasse negociar Ethereum (ETH) por Chainlink (LINK), precisaria localizar um pool de liquidez ETH/LINK na plataforma.

Cada pool é financiado por contribuidores voluntários que depositam seus próprios criptoativos para fornecer liquidez que outros negociam em troca de uma parte proporcional das taxas de transação do pool. O principal benefício desse sistema é que os traders não precisam esperar que uma contraparte (um trader oposto) compre ou venda ativos a um determinado preço. A negociação pode ser executada a qualquer momento.

Nas exchanges descentralizadas mais populares, os preços de ambos os ativos no pool (A e B) são mantidos por uma fórmula matemática. Essa fórmula mantém a proporção de ativos no pool equilibrada.

O que isso significa é que, quando um trader deseja comprar Ether do pool ETH/LINK, ele teria que adicionar tokens LINK ao pool para remover os tokens ETH dele. Quando isso acontece, a proporção de ativos muda (mais tokens LINK no pool e menos ETH). Para restaurar o equilíbrio, o protocolo automaticamente reduz o preço do LINK e aumenta o preço do ETH. Isso incentiva os traders a remover o LINK mais barato e adicionar ETH até que os preços se realinhem com o resto do mercado.

Em circunstâncias em que um trader altera significativamente a proporção em um pool (executa uma grande negociação), isso pode criar grandes diferenças nos preços dos ativos em comparação com seu valor de mercado (o preço médio refletido em todas as outras exchanges).

Tipos de estratégias de arbitragem de criptomoedas

Existem várias maneiras pelas quais os arbitradores de criptomoedas podem lucrar com as ineficiências do mercado. Algumas delas são:

  • Arbitragem entre exchanges: Essa é a forma básica de arbitragem. Em resumo, um trader tenta gerar lucro comprando criptomoedas em uma exchange e vendendo em outra.
  • Arbitragem espacial: Essa é outra forma de arbitragem entre exchanges. A única diferença é que as corretoras estão localizadas em diferentes regiões. Por exemplo, você pode capitalizar a diferença na demanda e oferta de Bitcoin na América e na Coreia do Sul usando o método de arbitragem espacial.
  • Arbitragem triangular: Esse é o processo de movimentação de fundos entre três ou mais ativos digitais em uma única exchange para capitalizar a discrepância de preços de uma ou duas criptomoedas. Por exemplo, um trader pode criar um ciclo de negociação que começa com Bitcoin e termina com Bitcoin.

Um trader pode trocar BTC por ETH, depois trocar ETH por ADA, da Cardano, e, por último, converter ADA de volta para Bitcoin. Nesse exemplo, o trader moveu seu fundo entre três pares de negociação de criptomoedas – BTC/ETH → ETH/ADA → ADA/BTC. Se houver discrepâncias em qualquer um dos preços dos pares, ele acabará com mais Bitcoin do que tinha no início da negociação. Aqui, todas as transações são executadas em uma exchange apenas. Portanto, o trader não precisa sacar ou depositar fundos em várias corretoras.

  • Arbitragem descentralizada: Essa oportunidade de arbitragem é comum em exchanges descentralizadas ou criadores de mercado automatizados, que descobrem o preço de pares de negociação de criptomoedas com a ajuda de contratos inteligentes. Se os preços dos pares de negociação de criptomoedas forem significativamente diferentes de seus preços à vista nas exchanges centralizadas, os traders de arbitragem podem entrar e executar negociações entre exchanges envolvendo a corretora descentralizada e uma corretora centralizada.
  • Arbitragem estatística: Combina diversas técnicas – econométricas, estatísticas e computacionais – para executar negociações de arbitragem em escala. Os traders que usam esse método geralmente contam com modelos matemáticos e bots de negociação para executar arbitragem de alta frequência e maximizar o lucro. Os bots são mecanismos automatizados de trade que executam um alto volume de negociações em tempo recorde com base em estratégias predefinidas.

Por que a arbitragem de criptomoedas é considerada uma estratégia de baixo risco?

Você deve ter notado que, ao contrário dos day traders, os traders de arbitragem de criptomoedas não precisam prever os preços futuros do Bitcoin nem entrar em negociações que podem levar horas ou dias antes de começarem a gerar lucros.

Ao identificar oportunidades de arbitragem e capitalizá-las, os traders baseiam sua decisão na expectativa de gerar lucro fixo sem necessariamente analisar os sentimentos do mercado ou confiar em outras estratégias de precificação preditivas. Além disso, dependendo dos recursos disponíveis para os traders, é possível entrar e sair de uma negociação de arbitragem em segundos ou minutos. Tendo isso em mente, podemos concluir o seguinte:

  1. O risco envolvido na arbitragem de criptomoedas é um pouco menor do que outras estratégias de negociação porque geralmente não requer análise preditiva.
  2. Os traders de arbitragem só precisam executar negociações que duram no máximo minutos, portanto, a exposição ao risco é significativamente reduzida.

No entanto, isso não significa necessariamente que os arbitradores de criptomoedas estejam completamente livres de riscos.

Riscos da arbitragem de criptomoedas

Certos fatores podem diminuir as chances de um arbitrador gerar lucro. A natureza de baixo risco das oportunidades de arbitragem tem impacto em sua lucratividade; menos risco tende a gerar lucros baixos. É por isso que os arbitradores de criptomoedas devem executar grandes volumes de negociações para gerar ganhos substanciais. Além disso, as arbitragens não são exatamente gratuitas.

Taxas

Lembre-se de que a arbitragem em duas exchanges pode incorrer em taxas de retirada, depósito e trade. Essas taxas podem acumular e consumir seus lucros. Usando nosso exemplo original como estudo de caso, vamos supor que as taxas de retirada da Coinbase, de depósito da Kraken e de trade da Kraken somam 2% a mais. O custo total de execução dessa negociação, portanto, é de US$ 45.000 + (2% * US$ 45.000) = US$ 45.900. Em outras palavras, o trader de arbitragem de criptomoedas deve ter sofrido uma perda, pois o lucro potencial é de apenas US$ 200.

Para mitigar os riscos de incorrer em perdas devido a taxas exorbitantes, os arbitradores podem optar por limitar suas atividades a exchanges com taxas competitivas. Eles também podem depositar fundos em várias corretoras e reorganizar seus portfólios para aproveitar as ineficiências do mercado.

Por exemplo, Bob identifica as disparidades de preços do Bitcoin na Coinbase e na Kraken. No entanto, em vez de mover fundos entre as duas exchanges, Bob já possui fundos em Tether (USDT) na Coinbase e 1 BTC na Kraken. Então, tudo o que ele precisa fazer é vender seu 1 BTC na Kraken por US$ 45.200 e comprar 1 BTC na Coinbase com US$ 45.000 USDT. No final dessa negociação, ele ainda gera o lucro de US$ 200 e evita pagar taxas de retirada e depósito. Aqui, a única taxa com a qual Bob precisa se preocupar é a taxa de trade. Vale ressaltar que as taxas de trade são relativamente baixas para os traders que executam grandes volumes de negociações.

Tempo

A arbitragem de criptomoedas é sensível ao tempo. À medida que mais traders capitalizam uma oportunidade de arbitragem específica, a disparidade de preços entre duas exchanges tende a desaparecer.

Vamos considerar a diferença na lucratividade de Bob e Sarah devido ao momento de seus trades. Nesse cenário, Bob é o primeiro a identificar e capitalizar a oportunidade de arbitragem do nosso exemplo original. Isso foi seguido por uma tentativa de Sarah de fazer o mesmo.

  • Quando Bob compra Bitcoin a US$ 45.000 na Coinbase e vende a US$ 45.020 na Kraken, Sarah não pode mais executar essa negociação a esse preço exato. Devido à natureza competitiva do mercado, Sarah pode ter que comprar Bitcoin na Coinbase por US$ 45.005 e vender na Kraken por US$ 45.015. A convergência dos preços do BTC na Coinbase e Kraken continuará até que não haja mais disparidade de preços para lucrar.

Abaixo estão alguns dos fatores que podem afetar negativamente o tempo para executar negociações de arbitragem de criptomoedas:

  1. A velocidade de transação da blockchain: como você pode ter que executar transações entre exchanges, o tempo necessário para validar essas transições na blockchain pode afetar a eficácia de sua estratégia de arbitragem. Por exemplo, leva de 10 minutos a uma hora para confirmar transações na rede do Bitcoin. Nesse tempo, o mercado pode ter se movido contra você. Portanto, os arbitradores devem se ater a blockchains com alta velocidade de transação; ou aquelas que não são suscetíveis ao congestionamento da rede.
  2. As verificações anti-lavagem de dinheiro das exchanges: É comum que as exchanges realizem verificações anti-lavagem de dinheiro sempre que grandes quantias estão sendo movimentadas por um trader. Em alguns casos, isso pode durar semanas. Portanto, você deve considerar a propensão das corretoras de impor verificações extras no momento da retirada antes de prosseguir com as arbitragens.
  3. Servidores offline de exchanges: não é incomum que as exchanges sofram interrupções (fiquem offline). Em alguns casos, as corretoras de criptomoedas podem até limitar a retirada e o depósito de ativos digitais específicos por um motivo ou outro. Quando isso acontece, a possibilidade de capitalizar as oportunidades de arbitragem diminui instantaneamente.

Segurança

Como os traders de arbitragem precisam depositar muitos fundos nas carteiras das exchanges, eles são suscetíveis a riscos de segurança associados a hacks e exit scams. Os exit scams ocorrem quando uma empresa interrompe repentinamente suas operações e retira os fundos dos usuários. À luz disso, é aconselhável realizar a devida diligência e escolher as exchanges conhecidas e respeitáveis.

Como iniciar na arbitragem

Seja você é um trader iniciante ou um investidor veterano, o melhor da arbitragem de criptomoedas é que existem várias plataformas disponíveis hoje que automatizam o processo de encontrar e negociar discrepâncias de preços em várias exchanges. Elas podem oferecer uma ótima oportunidade de renda passiva para traders que procuram uma solução de negociação de baixo risco e prática. Exemplos: Arbismart, Pionex e Cryptohopper.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney