Em gafisa

Ação da Gafisa cai 4% em seu quinto pregão de baixa, após prejuízo em 2011

No ano anterior, a empresa havia registrado ganhos de R$ 416,1 milhões; papéis apresentaram segunda maior queda do Ibovespa

SÃO PAULO - Após revelar um resultado trimestral avaliado por analistas como decepcionante, as ações da Gafisa (GFSA3) despencaram no pregão desta segunda-feira (2). Os papéis da construtora recuaram 4,19%, aos R$ 4,12, a segunda maior baixa do dia. Na mínima do intraday, chegaram a cair 8,60% (R$ 3,93). Já o Ibovespa terminou esta sessão com uma alta de 1,09%.

Esta é a quinta sessão consecutiva na qual a ação registra desvalorização. Em apenas um dos 14 dias anteriores o ativo observou avanço - a queda nesse período chega a 23%. O volume financeiro também se mostrou incomum. Até o fim da jornada, foram movimentados R$ 99,40 milhões com GFSA3, sendo que a média dos 21 últimos pregões é de R$ 43,98 milhões.

Resultado
A Gafisa reportou na noite de domingo os números não-auditados, o que levou a empresa a adiar a divulgação oficial para até 9 de abril. Em 2011, a companhia amargou um prejuízo de R$ 1,09 bilhão, contra ganhos de R$ 416,05 milhões no ano anterior.

Conforme analistas do Itaú BBA e do Banif Securities, os ajustes bem acima do esperado realizados pela empresa foram o fator determinante para o resultado negativo. Segundo os analistas David Lawant, Enrico Trotta e Vivian Salomon, do Itaú, a metade dos ajustes reflete a mudança estratégica da empresa e a outra metade do reconhecimento de custos. Assim, cerca de 6% do montante é irrecuperável, afirmam.

Apesar disso, os analistas do Itaú BBA reiteraram a recomendação de market-perform (performance em linha com o mercado), tendo em vista que a relação entre o preço da ação e o valor contábil da empresa é de 0,7 vez, contra a média de 1,1 vez de seus pares, o que sinaliza que a ação está barata.

Ajustes
O principal ajuste decorreu do reajuste do orçamento nos custos de construção, que totalizou R$ 587 milhões e tiveram um impacto negativo de R$ 440,9 milhões no quarto trimestre, segundo revelou a empresa. Além disso, quatro mil clientes se tornaram desqualificados para financiamento imobiliário, em unidades que estavam em média 70% executadas e com recebimento de somente 6%, ressalta a equipe do Banif.

"As unidades retornam ao estoque e serão revendidas em prazo adequado e com preços condizentes com seus valores originais", declara a Gafisa em comunicado. Já as provisões para futuros distratos - quebra de contrato - equivalem a oito mil unidades. Outro ponto que chamou a atenção foram os ajustes provenientes da desvalorização dos terrenos em função da mudança do foco para mercados estratégicos. 

Confira os ajustes realizados pela Gafisa no quarto trimestre de 2011:

Ajuste Valor GafisaTenda
Orçamento de custo de construção R$ 587 milhões R$ 231 milhões R$ 356 milhões
Clientes desqualificados para financiamento R$ 91,2 milhões - -
Provisão para futuros distratos R$ 80,0 milhões - -
Provisão para devedores duvidosos R$ 87,3 milhões - -
Desvalorização de terrenos R$ 95,8 milhões R$ 37,9 milhões R$ 57,9 milhões
Custo irrecuperável R$ 25,5 milhões R$ 14,9 milhões R$ 10,6 milhões
Multa por atrasos em projetos R$ 51,2 milhões R$ 12,7 milhões R$ 38,5 milhões
Cancelamentos de projetos R$ 17,4 milhões - R$ 17,4 milhões

 

Contato