Turquia sofre segundo terremoto e número de mortos passa de 1,9 mil

Tremor de terra atingiu também a região norte da Síria; Itamaraty não tem ainda notícias de brasileiros entre as vítimas

Roberto de Lira

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, disse que desastre é o maior desde 1939

Publicidade

A Turquia sofreu um segundo forte terremoto nesta segunda-feira (6), cerca de 9 horas após um tremor de magnitude 7.8 na escala Richter ter atingido o sul do país e o norte da Síria. O impacto do segundo, com epicentro distrito de Elbistan, na província turca de Kahramanmaras, teve força de 7.5. Segundo informações oficiais, o número de mortos nos dois países passa de 1,9 mil. Mais de cem pequenos tremores secundários foram relatados pelas autoridade turcas.

Só na Turquia, a número de mortos no primeiro terremoto aumentou passou de 1,1 mil, de acordo com a agência de desastres do país, a AFAD.

Em pronunciamento público, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan disse que o desatre de hoje é o maior enfrentado pelo país desde o terremoto en Erzincan de 1939. Ele pediu união e solidariedade à população e disse que há um empenho para que as equipes de resgate cheguem  às regiões mais distantes afetadas pelos tremores.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Líderes mundiais transmitiram mensagens de solidariedade e prometeram ajudar nos esforços resgate e reconstrução. O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, disse em comunicado que seu seus “pensamentos estão com o povo de Turquia e da Síria esta manhã”, particularmente com os socorristas que trabalhando bravamente para salvar aqueles presos pelo terremoto. “O Reino Unido está pronto para ajudar de qualquer maneira que pudermos. pode.”

O conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, disse que o governo americano “profundamente preocupado” com os relatos do terremoto e que estavam prontos para fornecer toda e qualquer assistência necessária.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, enviou mensagens de condolências tanto para o presidente sírio Bashar al-Assad quanto para Erdogan, oferecendo ainda qualquer assistência necessária.

Continua depois da publicidade

No Brasil, o Itamaraty publicou nota dizendo que “o governo brasileiro acompanha, com grande preocupação, as informações sobre o devastador terremoto ocorrido na Turquia e na Síria na manhã de hoje, que também afetou outros países da região.”

A nota diz ainda que o governo manifesta sua solidariedade e as condolências aos povos e que, por meio da Agência Brasileira de Cooperação e em coordenação com os países das áreas atingidas, está providenciando formas de oferecer ajuda humanitária às populações afetadas pelo terremoto.

Segundo o Ministério de Relações Exteriores, não há, até o momento, notícia de brasileiros mortos ou feridos. As embaixadas do Brasil em Ancara e Damasco, bem como o consulado-geral do Brasil em Istambul, estão acompanhando os desenvolvimentos no terreno, em regime de plantão.