Onde Investir 2020

Risco de decepção com a economia diminuiu, mas Brasil precisa ter mais ambição, diz Zeina Latif

Segundo dia do evento Onde Investir 2020 contou com as participações da economista e de Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central

SÃO PAULO – O Brasil passa por uma recuperação da sua economia, ainda que tardia, sendo boa parte dela fruto do corte de juros. Mas, para que essa recuperação não tenha fôlego curto – e há sim condições de um crescimento sustentável -, é preciso prosseguir com a agenda de reformas e a retomada dos investimentos.

A análise foi feita pela economista Zeina Latif, em painel no evento Onde Investir 2020, de que participou junto com Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central e sócio da Gávea.

PUBLICIDADE

Para Zeina, o país precisa ser mais ambicioso, já que o ambiente internacional e as condições internas são desafiadores.

A economista afirmou ainda que o risco de decepção com a atividade brasileira, ou seja, de os economistas estarem com uma projeção agora muito acima do que efetivamente ocorrerá em 2020, diminuiu muito. Isso também por conta do cenário de corte de juros.

Zeina lembrou que a economia está sofrendo o impacto a redução de juros realizada no governo anterior, e só mais para frente refletirá os cortes promovidos durante 2019, ano em que a taxa básica Selic passou de 6,50% para 4,50% ao ano.

No começo de 2016, os juros estavam em 14,25% – ou seja, desde então, já houve uma baixa de 9,75 pontos percentuais ainda não totalmente refletida no PIB brasileiro.

“De fato, a política monetária vem ganhando potência”, apontou a economista, destacando o crescimento do crédito como um importante canal de transmissão da atuação do Banco Central.

O risco da mediocridade 

No entanto, Zeina apontou que, como resultado da crise severa pela qual o Brasil passou, houve uma forte queda de investimentos, deterioração do capital produtivo, piora do capital humano com muitos talentos saindo do país, além de jovens fora do mercado de trabalho, o que torna o cenário para a retomada desafiador.

PUBLICIDADE

“Tudo isso significa uma piora do nosso potencial. Saímos da crise fragilizados do ponto de vista estrutural, estamos no fim do bônus demográfico. Assim, precisamos nos esforçar mais”, avalia.

Para Zeina, outro ponto de preocupação é que, ao olhar para o nosso histórico, quando a economia começa a melhorar, o Brasil entra num ambiente de complacência. “O nosso desafio é avançar nessa agenda de reformas, que foi retomada depois de dez anos de paralisia, primeiro com o governo (Michel) Temer e que continuou neste governo”, afirmou.

Para a economista, o grande risco para o Brasil é o da “mediocridade”.

Leia também
Armínio Fraga: Brasil não está condenado a crescer só 2%

Muitas medidas podem ser tomadas, como a melhora do marco regulatório, trazendo segurança jurídica e elevando o potencial de atrair capital estrangeiro, ainda baixo em relação à formação de capital no Brasil.

“Há um espaço enorme, mas precisamos fazer lição de casa. Isso não envolve queda de juros, mas sim regras mais claras, que não mudem a todo momento e gerem insegurança para quem quer investir aqui”, avalia.

Sobre isso, há uma boa notícia: o Brasil está discutindo mais esses temas, o que também mostra que não podemos esquecer da política e da articulação do governo para promover as mudanças, afirmou.

Neste sentido, acrescentou, é importante traçar o caminho que será percorrido pelo Brasil para fortalecer as instituições e tornar o país menos suscetível a eventuais ondas populistas.

PUBLICIDADE

“Esta é uma construção da sociedade. A sociedade em algum momento vai querer crescimento robusto e igualdade de oportunidades. O grande teste é esse, o quanto a gente vai conseguir atender a esses anseios de forma sustentada, sem cair no populismo”, conclui a economista.

No painel com mediação de Giuliana Napolitano, editora-chefe do InfoMoney, Zeina ainda falou sobre o cenário de investimento estrangeiro para o Brasil e perspectivas para o câmbio e para os juros. Você pode conferir o painel completo no vídeo acima.

Onde Investir 2020 continua

Nesta quarta-feira (15), o Onde Investir 2020 começa com painel sobre as perspectivas para a bolsa brasileira em 2020 e por que vale a pena investir. Confira a programação completa do evento aqui.

Perdeu algum painel? Não se preocupe, todo o conteúdo ficará disponível no canal do YouTube do InfoMoney.

Quer aplicar o que aprendeu no evento e investir melhor?Abra uma conta gratuita na XP.