País pode mais

Armínio Fraga: Brasil não está condenado a crescer só 2%

Segundo dia do evento Onde Investir 2020 contou com as participações do ex-presidente do Banco Central e da economista Zeina Latif

SÃO PAULO – O Brasil está saindo de uma recessão profunda, com a retomada do crescimento e com um bom trabalho feito pelo Banco Central em cortar os juros. Contudo, o País pode mais, avalia Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central e gestor da Gávea, em painel do evento Onde Investir 2020 realizado nesta terça-feira (14).

“Não vejo o Brasil estruturalmente condenado a crescer 2% [ao ano] para sempre”, apontou o economista, em debate que também contou com a presença de Zeina Latif, consultora econômica.

PUBLICIDADE

Para isso, avalia Armínio, é necessária uma mudança de mentalidade, que passa tanto pela alteração na estrutura do gasto público do Brasil, ainda muito atrelado ao funcionalismo e previdência, quanto pela maior atenção em combater as desigualdades sociais.

“Dá para ver o copo meio cheio. Se tudo [no Brasil] é mais ou menos, dá para melhorar, mas depende de uma governança maior, de um governo que tenha uma certa visão abrangente, o que se relaciona à questão da forte desigualdade social”, avalia.

Para o economista, o país é um ponto fora da curva, não só em questão de desigualdade absoluta, mas também pela falta de oportunidades. “Hoje, há muitos movimentos de rua pelo mundo que tem um pouco a ver com desigualdade, mas talvez tenham mais a ver com a perda de esperança, falta de expectativa de que as coisas que elas vão melhorar”.

No caso específico brasileiro, avalia, uma correção de rumo seria positiva para o crescimento, com maior investimento em educação, saúde e educação.  Neste caso, é importante contar com a participação do setor privado, com o governo como condutor.

“Conectando tudo isso com o mercado, vemos o mercado financeiro feliz, mas sem uma contrapartida na economia real. O ciclo [de recuperação] da economia está vindo, mas o fundamental vem do investimento. É através dele que a recuperação deixa de ser só cíclica e faz com que o Brasil tenha potencial para crescer mais que 2% e 2,5%”, afirma.

Porém, apesar de avaliar que a bolsa brasileira não está barata, Armínio acredita que não estamos numa bolha. “Talvez [a Bolsa esteja] um pouquinho cara para a visão geral do país.” Por outro lado, ele avalia que as empresas estão se financiando com juros mais baixos e isso tudo aponta numa direção positiva, de desenvolvimento do mercado de capitais.

Reforma “caprichada”

PUBLICIDADE

Sobre as reformas, a da Previdência, aprovada em outubro de 2019, foi vista como essencial para retomar a confiança. Contudo, o economista também aponta que será necessária em breve outra reforma previdenciária: dada a estrutura populacional, nosso sistema não deveria exibir os déficits que existem atualmente.

Além disso, na sua avaliação, será necessária uma reforma do estado “caprichada” para reduzir os gastos públicos e cortar as despesas com funcionalismo.

Tais mudanças, por sinal, serão cruciais para apontar se o Brasil continuará em sua trajetória de taxa de juros baixas. Atualmente, a Selic está numa mínima histórica de 4,5% ao ano.

“Tudo é um processo, que vai depender de consistência e persistência durante muitos anos. Um juro de 3,5%, 4,5% dos títulos públicos brasileiros indexados à inflação com vencimento mais longo é bem mais razoável do que os 6%, 6,5% do que nós já tivemos. Porém, se nós relaxarmos, nada garante que o cenário pior não volte (…) Com frequência, nos últimos 40 anos, tomamos decisão errada, com um modelo de crescimento que deu pouca atenção à educação, à inovação e ao empreendedorismo e investimento mais básico”, avalia o economista.

No painel com mediação de Giuliana Napolitano, editora-chefe do InfoMoney, Armínio ainda falou sobre o cenário de investimento estrangeiro para o Brasil e perspectivas para o câmbio. Você pode conferir o painel completo no vídeo acima.

Onde Investir 2020 continua

Nesta quarta-feira (15), o Onde Investir 2020 começa com painel sobre as perspectivas para a bolsa brasileira em 2020 e por que vale a pena investir. Confira a programação completa do evento aqui.

Perdeu algum painel? Não se preocupe, todo o conteúdo ficará disponível no canal do YouTube do InfoMoney.

Quer aplicar o que aprendeu no evento e investir melhor?Abra uma conta gratuita na XP.