Boletim Focus

Mercado passa a prever Selic a 9,25% em 2021 e a 10,25% em 2022

Projeções do IPCA elevaram-se neste ano de 8,96% para 9,17%, ao passo para que para 2022 avançaram de 4,40% para 4,55%.

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – O Boletim Focus desta segunda-feira (1) trouxe novas revisões para a taxa Selic, após a última decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que acelerou o ritmo de alta dos juros.

Segundo o documento, as projeções para a Selic ao final de 2021 passaram de 8,75%, da semana passada, para 9,25%, nesta semana. Já para 2022, as projeções subiram de 9,50% para 10,25%. Já para 2023 as projeções subiram de 7% para 7,25%, enquanto para 2024, de 6,5% para 6,75%.

Na última semana o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa básica de juros a 7,75% ao ano, mas o aumento de 1,5 ponto percentual na Selic é insuficiente para ancorar as expectativas do mercado para a economia brasileira, segundo especialistas.

Para o PIB, as projeções recuaram de uma alta de 4,97% para 4,94% neste ano, enquanto para 2022 o recuo nas projeções de expansão foram de 1,40% para 1,20%. Para 2023, a expectativa se manteve em 2%.

Já as projeções do IPCA elevaram-se neste ano de 8,96% para 9,17%. Vale lembrar que há um mês as estimativas estavam em 8,51%. Para 2022, as projeções indicam avanço de 4,40% para 4,55%, enquanto a projeção para 2023 se manteve em 3,27%.

Em relação ao dólar, os economistas elevaram a projeção pela segunda semana seguida, de R$ 5,45 para R$ 5,50. Para 2022, as estimativas também são de alta de R$ 5,45 para R$ 5,50. A tendência de alta se mantém para 2023: a expectativa é de fechar em R$ 5,25, ante os R$ 5,20 previstos na última semana.

Em outubro, o dólar acumulou salto de 3,53% frente ao real. No mercado de ações, o índice de referência brasileiro, o Ibovespa, caiu 6,74% no mês, fechando o período em 103.500 pontos, também refletindo a falta de confiança nas perspectivas fiscais do país.

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.

Compartilhe