Recado

Maia: Brasil vai crescer menos se não resolver questão ambiental

Presidente da Câmara diz que ministro Ricardo Salles "perdeu as condições de ser interlocutor" e cobra ações mais enfáticas do governo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reconhece que a questão ambiental tem sido uma das principais preocupações dos investidores estrangeiros com o Brasil e alerta que, se o governo federal não der mais atenção ao tema, o país corre o risco de crescer menos que o esperado em 2020.

“Se o governo não entender isso… Temos risco de não ser tão bom se não resolvermos a questão do meio ambiente. Acho que o governo deu um primeiro passo [com a criação do Conselho da Amazônia e da Força Nacional Ambiental], mas acho que outros passos precisamos dar”, afirmou. As declarações do parlamentar foram dadas em evento realizado pelo Credit Suisse, nesta quarta-feira (29).

De acordo com a última edição do Relatório Focus, publicada pelo Banco Central na segunda-feira (27), a média das projeções dos economistas consultados pela autoridade monetária para o PIB (Produto Interno Bruto) neste ano é de um crescimento de 2,31%.

Aprenda a investir na bolsa

Para Maia, as atuais preocupações com a postura do governo Jair Bolsonaro em questões ambientais se equiparam aos temores com a situação democrática do país. Na avaliação do deputado, este último risco pode ser sido responsável por um resultado mais tímido da economia do que o inicialmente projetado no ano passado.

A uma plateia formada por empresários e investidores brasileiros e estrangeiros, Maia criticou o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. No seu entendimento, o titular da pasta “radicalizou demais” e “perdeu as condições de ser interlocutor” do governo.

“Eu não sei como o governo vai fazer com o seu ministro do Meio Ambiente. De alguma forma, ele perdeu as condições de ser o interlocutor, acho que ele radicalizou demais. Como faz? A mesma coisa no Ministério da Educação. Como faz? Como faz para o investidor olhar para o Brasil e ter um ministro (Abraham Weintraub) desse? Esse país não tem futuro”, afirmou.

Em sua exposição, Maia relatou ouvir diversos questionamentos de investidores e parlamentares estrangeiros sobre a postura ambiental adotada pelo atual governo brasileiro. Ele aponta como possível caminho para essas questões a aprovação de um marco voltado à preservação da Floresta Amazônica.