Resumo dos últimos acontecimentos

Guerra na Ucrânia: União Europeia reforça sanções contra Rússia e Biden anuncia ajuda bilionária

UE também afirma que todos os 27 integrantes do bloco vão trazer limitações às exportações e importações ligadas à Rússia

Por  Equipe InfoMoney -

Diante da escalada de tensões na guerra da Ucrânia, a União Europeia (UE) anunciou novas sanções contra a Rússia.

Segundo informações da agência de notícias RTP, a principal medida é o congelamento dos ativos europeus detidos por Vladimir Putin, presidente russo, e Sergei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros.

Outra medida foi cortar o acesso russo aos principais mercados financeiros com o objetivo de atingir 70% das maiores instituições financeiras do país e empresas estratégicas controladas pelo Estado.

Além disso, UE afirmou que todos os 27 integrantes do bloco vão trazer limitações às exportações e importações. Haverá, por exemplo, restrições à vendas de petróleo e à compra de tecnologia pelas empresas da Rússia, segundo a RTP.

Altos funcionários e empresários russos e diplomatas perderam o privilégio de vistos europeus.

No entanto, a preocupação continua: até agora nenhuma das sanções globais à Rússia foi suficiente para que o Putin mude de direcionamento.

Leia também: 

Ajuda milionária e envio de armas

  • EUA anunciam ajuda de R$ 1,8 bilhão para Ucrânia

Antony Blinken, secretário de Estado americano, anunciou neste sábado (26) que o país enviará mais US$ 350 milhões (R$ 1,8 bilhão) em assistência militar à Ucrânia.

“Este pacote incluirá mais assistência defensiva letal para ajudar a abordar as ameaças blindadas, aéreas e de outro tipo que a Ucrânia enfrenta atualmente”, afirmou Blinken, em comunicado.  Joe Biden, presidente dos EUA, já ressaltou que o país não vai enviar, por ora, soldados à Ucrânia.

  • Bélgica envia armas para a Ucrânia

A Bélgica, outra participante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), enviará 300 soldados para a Romênia, faz fronteira com a Ucrânia.

Alexander de Croo, primeiro-ministro da Bélgica, afirmou que objetivo é fortalecer as tropas da Otan no leste da Europa.

“A Bélgica assume sua responsabilidade dentro do programa de resposta rápida da Otan, que foi ativado na sexta-feira. Nessa fase, 300 soldados belgas serão enviados à Romênia”, disse no Twitter.

Além disso, serão enviadas 2.000 metralhadoras e 3.800 toneladas de combustível para a Ucrânia.

Protestos

Enquanto isso, foram registrados protestos de milhares de pessoas em frente às embaixadas russas em diversos países.

Na Rússia, cerca de 1.800 manifestantes foram detidos por participarem de protestos contra a guerra.

Rússia segue com ataque

O comunicado do Ministério da Defesa da Rússia diz que todas as unidades na Ucrânia têm ordens para retomar os ataques em todas as direções neste sábado. Nesta sexta (25), o Kremlin disse que Putin ordenou que as tropas parassem de avançar.

Retomada, segundo a Rússia, vem após Kiev se recusar a negociar. No entanto, o assessor da presidência da Ucrânia nega o fato.

Moscou e Kiev sinalizaram uma possível negociação de cessar fogo, mas tentativa fracassou.

*Com Agência Brasil e RTP. 

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe