Fed dá nova pausa no aperto monetário, mas projeta mais uma alta nos juros até o final do ano

Decisão veio em linha com o esperado pelo mercado; BC americano dá sinais de que aperto monetário deve continuar no ano que vem

Mitchel Diniz

Publicidade

O Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos, decidiu por manter os juros básicos da economia do país. A taxa hoje oscila dentro de uma banda entre 5,25% e 5,50% ao ano.

A decisão veio em linha com o esperado. O monitor de juros do CME Group apontou que uma fatia de 99% do mercado apostava em uma manutenção da taxa, enquanto 1% previa uma alta de 0,25 ponto percentual.

É a segunda vez este ano que o Fed interrompe o ciclo de aperto monetário. A primeira vez foi em junho, após dez altas consecutivas. Na reunião de julho, contudo, o BC americano voltou a subir os juros em 0,25 ponto percentual, levando a taxa ao maior patamar desde janeiro de 20o1.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Apesar de manter os juros inalterados, as projeções que acompanham a decisão apontam que os diretores do Fed veem os juros entre 5,5% e 5,75% até o final do ano. Também deram sinal de que estão vendo uma manutenção de uma política de aperto em 2024.

As projeções trimestrais do Fed, divulgadas hoje, mostram que os juros da economia americana só devem começar a cair no ano que vem, porém em menos intensidade do que o previsto anteriormente. Se no último mês de junho os diretores viam um corte de meio ponto percentual, agora projetam uma queda de apenas 0,25 ponto no período.

Dos 19 formuladores de política econômica do BC americano, 10 veem os juros dos EUA acima de 5% no ano que vem.

Continua depois da publicidade

Para a inflação, os oficiais do Fed calculam que haverá um arrefecimento do índice para 3,3% até o final de 2023, para 2,5% em 2024 e 2,2% em 2025.

No comunicado que acompanha a decisão de hoje, a autoridade monetária afirma que a inflação nos Estados Unidos segue elevada e que o mercado de trabalho segue mais forte que o previsto, o que reforça as chances de um “pouso suave” – de controle da inflação, sem grandes prejuízos à economia.

O Fed, agora, vê a economia dos EUA crescendo 2,1% em 2023, um salto frente às primeiras projeções que apontava para um desempenho pífio de 0,4% de expansão.

“Os indicadores mais recentes sugerem que a atividade econômica vem se expandindo de maneira sólida. As remunerações do mercado de trabalho arrefeceram nos últimos meses, mas permanecem fortes, e a taxa de desemprego permaneceu baixa. A inflação continua elevada”, diz o texto do Comitê de Mercado Aberto (Fomc).

Mitchel Diniz

Repórter de Mercados