Movimentação das tropas

Estados Unidos enviarão 7 mil soldados à Alemanha para defender aliados da Otan

Presidente americano nega que soldados americanos estejam sendo deslocados para combater na Ucrânia

Por  Mitchel Diniz -

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou na tarde de hoje que enviará reforço militar à Alemanha. Sete mil soldados americanos devem desembarcar em breve em solo alemão, após bombardeios iniciados pela Rússia em território ucraniano. O governo da Ucrânia confirma 57 mortos e 169 feridos desde o início da invasão russa.

Durante o discurso, Biden afirmou que os soldados não estão sendo deslocados para combater na Ucrânia, e sim para defender aliados da Organização do Atlântico do Norte (Otan). A Ucrânia não faz parte da Otan, mas sinaliza que poderá fazer parte da organização. Esse foi um dos motivos de tensão com a Rússia, que é terminantemente contra a entrada do país vizinho no grupo.

Leia mais:

“Este é um ataque premeditado”, disse o democrata, ressaltando que o líder russo “rejeitou todos os esforços” que foram feitos para resolver a situação com o diálogo. “Vladimir Putin está planejando isso há meses”.

O presidente americano disse ainda que Putin é o único responsável pelo ataque à Ucrânia e afirmou que seu governo vai impor sanções “mais severas” à Rússia, incluindo mais quatro bancos russos que não foram incluídos na primeira parcela das sanções, como o VTB, o segundo maior banco do país, que já havia sido alvo de sanções pelos britânicos.

Para Biden, Putin ficará como um pária no cenário internacional.

O presidente americano também descreveu a situação atual como um momento perigoso para a Europa, mas disse que a liberdade prevalecerá.

Compartilhe