Polêmica

DVPAT: auditoria mostra mais de R$ 1 bilhão em irregularidades

KPMG fez uma análise de documentos de 2008 até 2017 e encontrou uma série de problemas

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A KPMG, consultoria que presta serviços para a Seguradora Líder, administradora do DPVAT, identificou uma série de irregularidades financeiras e administrativas após uma auditoria, segundo informações da Folha de S.Paulo, que teve acesso ao documento completo. Segundo os documentos da consultoria, os problemas de pagamentos podem passar de R$ 1 bilhão.

O relatório mostra despesas sem comprovação, concentração no pagamento de sinistros em uma pequena parcelas de médicos, gastos excessivos com advogados e até compra de vinhos e de um veículo usado pela esposa de um ex-diretor da empresa.

O estudo foi encomendado pela atual direção da Seguradora Líder em 2017. Assim, foram avaliados documentos de 2008 até 2017.

Aprenda a investir na bolsa

O consórcio que controla a Seguradora Líder é formado por 73 empresas e foi criado em 2007 pelo Conse​lho Nacional de Seguros Privados (CNSP) por meio da resolução n° 154 d​e 08 de dezembro de 2006.

Na prática, a seguradora é responsável pela arrecadação dos prêmios pagos pelos proprietários dos veículos e pelo pagamento das indenizações.

Irregularidades

Entre as principais inconsistências estão R$ 219,3 milhões que não tinham evidências de prestações de serviços, R$ 156,1 milhões que estavam sem comprovantes e R$ 47,1 milhões que não tinham documentos fiscais.

Ainda, a consultoria aponta gastos excessivos com cinco médicos: foram pagos R$ 99,6 milhões em indenizações em 36 mil processos envolvendo apenas esses profissionais, o que indica mais de 7 mil processos para cada médico.

Outro ponto importante também destacado foi em relação a atuação de gestores da empresa que tentaram evitar processos de auditoria. As mensagens foram divulgadas pelo jornal.

Cláudio Ladeira, ex-diretor de Operações, disse em 2012: “não passe para eles o bolo, a faca e a boca”, sugerindo que a auditoria receba informações superficiais.

PUBLICIDADE

Ainda, três anos depois, em 2015, Marcos Andrade, ex-superintendente de Combate a Fraudes, “pede à área técnica para ‘forçar’ a liberação de um sinistro, mesmo diante de suspeitas de fraudes”, segundo o jornal.

Além disso, um restaurante recebeu, ao longo desses oito anos de análise, R$ 280.530 – cerca de R$ 3 mil por mês gastos pela diretoria da Seguradora Líder.

Leia também: Quem já pagou o DPVAT terá dinheiro de volta. Saiba como

Críticas antigas

As críticas sobre a gestão de recursos falha da seguradora são antigas.

Em 2015, durante a Operação Tempo de Despertar, foram emitidos 41 mandados de prisão e 12 servidores públicos foram afastados por fraudes no pagamento de indenizações. Depois, em 2016 uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi criada para investigar o DPVAT.Em 2018, uma auditoria do Tribunal de Contas da União também apontou fraudes na gestão.

Ainda, nos últimos meses o governo de Jair Bolsonaro afirmou que as irregularidades eram uma justificativa para pôr fim ao DPVAT.

Posicionamento

O InfoMoney entrou em contato com a Seguradora Líder que enviou uma nota afirmando que nas Demonstrações Financeiras de 2017, publicadas e disponibilizadas no site da seguradora, estão reportadas todas as informações do trabalho realizado.

Ainda, a empresa esclarece que, no segundo semestre de 2016, “por sua exclusiva iniciativa, contratou uma consultoria internacional de renome para a realização, de maneira absolutamente isenta e independente, de um amplo e minucioso trabalho de auditoria de suas operações”.

PUBLICIDADE

Em 2017, com a entrega do relatório sobre a análise documental, a seguradora afirma que “foram adotadas todas a medidas administrativas e de compliance cabíveis”.

No entanto, como o referido documento continha alguns temas que, administrativamente, não cabiam à Seguradora Líder avaliar, “ele foi encaminhado, de forma espontânea e reservada”, à Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Invista seu dinheiro para conquistar sua independência financeira. Abra uma conta na XP – é de graça.