A partir de setembro

De olho em “mudança épica” com inflação, BlackRock eleva salários em 8%

CEO da BlackRock, Larry Fink diz que a inflação em alta nos Estados Unidos sinaliza um fenômeno mais do que transitório

Por  Bloomberg -

(Bloomberg) — O CEO da BlackRock, Larry Fink, diz que a inflação em alta nos Estados Unidos sinaliza um fenômeno mais do que transitório. Ele reforçou essa visão com um aumento geral dos salários para os funcionários.

A maior gestora de ativos do mundo planeja elevar os salários-base de todos os funcionários da diretoria e abaixo desse nível em 8% a partir de setembro, segundo memorando que Fink e o presidente da empresa, Rob Kapito, divulgaram na quarta-feira, coincidindo com a divulgação do balanço do segundo trimestre.

Estímulos monetários e fiscais históricos ajudaram a economia dos EUA a se recuperar da crise de Covid-19. Essa recuperação também ajudou a BlackRock, que tinha cerca de US$ 9,5 trilhões sob gestão no fim de junho.

Gigante em produtos indexados, os fundos de índice da gestora ultrapassaram a marca de US$ 3 trilhões no segundo trimestre pela primeira vez, pois investidores continuaram a apostar em mercados globais dinâmicos.

A resposta da política monetária também aumentou a preocupação de que a maior economia do mundo pode se aquecer demais. O índice de preços ao consumidor dos EUA subiu 5,4% em junho em relação ao ano anterior, e o núcleo do IPC, que exclui alimentos e energia, registrou o maior salto desde novembro de 1991.

“Mudança épica”

Fink disse em entrevista à Bloomberg após a divulgação de resultados da empresa que a inflação deve trazer uma “mudança épica” e, embora isso não seja necessariamente motivo de preocupação ainda, não é tão transitório como alguns estrategistas de mercado presumiram.

“A política do governo está mais focada nos empregos domésticos do que nos preços mais baratos hoje, e acredito que essa será uma das mudanças fundamentais”, disse Fink. “As empresas estão se concentrando mais nos funcionários e acredito que veremos crescimento salarial acima da tendência.”

Leia também:
Com visão de “recomeço econômico”, BlackRock rebaixa classificação de ações americanas e emergentes

A BlackRock entra na guerra de Wall Street por profissionais mais jovens em meio à competição para atrair e manter talentos. No início do mês, o Citigroup elevou o salário-base de analistas do primeiro ano para US$ 100 mil por ano, em linha com medidas semelhantes do Barclays, JPMorgan Chase e Guggenheim Partners.

Visão de Powell

Em comentários preparados para o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara na quarta-feira, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, indicou que a inflação deve permanecer elevada nos próximos meses e que o banco central não planeja reduzir as compras de ativos ainda.

Fink disse que a possibilidade de a inflação se manter em 3,5% levanta questões para bancos centrais sobre o afrouxamento monetário e seus programas de compra de títulos.

“Se de fato a inflação for um pouco mais permanente, como avaliamos isso? Aumentarão os juros sem alterar a flexibilização quantitativa? Mudarão a forma como fazem a flexibilização quantitativa? O que fazem e como implementam, para mim esses são os detalhes que realmente importam”, disse Fink.

A BlackRock registrou lucro ajustado por ação de US$ 10,03 no segundo trimestre, superando as estimativas dos analistas de cerca de US$ 9,48 por ação. A receita de US$ 4,82 bilhões foi superior às projeções de US$ 4,6 bilhões e 32% acima do registrado no mesmo período do ano anterior.

Curso gratuito mostra como iniciar carreira no mercado financeiro começando do zero, com direito a certificado. Inscreva-se agora.

Compartilhe