Ômicron

Ômicron: BioNTech, Moderna e J&J trabalham em vacina contra nova variante

As três farmacêuticas serão capazes de se movimentar a uma velocidade sem precedentes, dado que as vacinas usam tecnologia de RNA mensageiro

Por  Bloomberg -

(Bloomberg) – BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson estão adaptando suas vacinas contra Covid-19 para lidar com a variante ômicron após a Pfizer e sua parceira dizerem que podem ter uma nova versão pronta em 100 dias, se necessário.

A BioNTech disse nesta segunda-feira que iniciou o trabalho para avançar o mais rápido possível. As primeiras etapas do desenvolvimento de uma nova vacina se sobrepõem à pesquisa necessária para avaliar se um novo imunizante será necessário – um processo que tanto ela quanto a Moderna começaram na quinta-feira passada enquanto a notícia de uma nova variante começou a se espalhar pelo mundo.

Farmacêuticas se preparam há meses para a possibilidade de precisar ajustar suas vacinas para lidar com uma nova variante. BioNTech, Pfizer e Moderna serão capazes de se movimentar a uma velocidade sem precedentes: as vacinas usam tecnologia de RNA mensageiro, o que encurta o tempo de criação de um novo imunizante para apenas alguns meses.

A vacina da J&J depende de uma tecnologia diferente chamada vetor viral. A empresa disse que está testando componentes sanguíneos imunológicos de participantes de um estudo sobre dose de reforço, a fim de procurar respostas à ômicron, buscando uma vacina que tem como alvo específico a variante.

Leia também: Ômicron tem risco elevado de causar nova onda global de contaminações, diz OMS

A ômicron levantou preocupações em todo o mundo, com países implementando proibições de viagens para ganhar tempo enquanto pesquisadores verificam se ela escapará de vacinas já existentes e se espalhará mais rapidamente. Entender a nova cepa provavelmente levará várias semanas, de acordo com os cientistas.

A BioNTech e a Moderna disseram que deve ficar claro dentro de semanas se eles precisam ajustar suas vacinas. A Pfizer e sua parceira se planejaram há meses para poder preparar uma nova versão de sua vacina em 100 dias, se necessário, de acordo com uma porta-voz.

É um procedimento padrão começar a desenvolver uma vacina atualizada em paralelo com a execução de testes de como a nova cepa reage com a vacina existente “para não perder tempo”, disse a BioNTech. “Os testes de laboratório fornecerão mais informações sobre a necessidade ou não de adaptação da vacina.”

As pessoas vacinadas ainda devem estar protegidas, dependendo de há quanto tempo tomaram as vacinas, e por enquanto o melhor conselho é tomar uma das vacinas atuais contra a Covid, disse ontem o diretor médico executivo da Moderna, Paul Burton, durante o programa Andrew Marr Show da BBC.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A vacina da Pfizer e da BioNTech deve ser o produto farmacêutico mais vendido de todos os tempos. A AstraZeneca disse na sexta-feira que também está investigando a variante.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe