Dados do Banco Central

Captação da poupança perde fôlego e soma R$ 72,6 milhões em maio

No acumulado do ano, contudo, os resgates superam os aportes em R$ 23,6 bilhões

Businessman Calculating Invoice With Piggybank And Coins At Desk
(AndreyPopov/Getty Images)

SÃO PAULO – Após registrar em abril a primeira captação positiva de 2021, a caderneta de poupança voltou a apresentar entradas liquidas em maio, de R$ 72,6 milhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (7) pelo Banco Central.

Fruto de depósitos de R$ 281,23 bilhões e retiradas de R$ 281,16 bilhões, o resultado é bem menor do que o registrado em abril, quando a poupança teve captação líquida de R$ 3,8 bilhões.

Mesmo com os resultados positivos recentes, os resgates na poupança ainda superam os aportes no acumulado de 2021, em R$ 23,6 bilhões. Já o saldo total aplicado soma agora R$ 1,020 trilhão.

Leia também:
Fundos de renda fixa voltam a liderar captação da indústria maio, com entrada líquida de R$ 24,8 bilhões

Embora ainda bastante popular entre os brasileiros, a caderneta oferece um dos retornos menos atrativos no mercado financeiro, mesmo com o movimento de aperto monetário em curso.

Em maio, a poupança rendeu apenas 0,16%, ante variação de 0,27% do CDI, o principal referencial das aplicações de renda fixa. A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), por sua vez, ficou em 0,44% no período.

Já no acumulado do ano, o retorno da caderneta chega a 0,67% (ante 0,97% do CDI e 3,27% do IPCA-15) e, em 12 meses, a 1,57%, enquanto o CDI tem variação de 2,17%, e a inflação, de 7,27%.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.