Tensão geopolítica

Biden reitera a presidente da Ucrânia apoio dos EUA em caso de ataque russo

Kiev recomendou que companhias não sobrevoem Mar Negro na semana

Por  ANSA Brasil

NOVA YORK, 13 FEV (ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reiterou ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que seu país dará apoio a Kiev em caso de ataque russo em um telefonema no domingo (13).

Em comunicado divulgado pela Casa Branca, Biden garantiu que os EUA, com seus aliados e parceiros, “responderão de maneira rápida e decidida” a qualquer tipo de agressão russa.

Já a emissora “CNN”, afirmou que Zelensky teria pedido que Biden fizesse uma visita formal a Kiev e também um maior “apoio financeiro e militar” dos norte-americanos. Segundo o presidente ucraniano, uma visita do chefe da Casa Branca “seria uma forte mensagem para estabilizar a situação”.

A tensão de uma invasão russa à Ucrânia aumenta dia após dia, mas segundo Moscou, as falas de que o país irá atacar os vizinhos não passam de “histeria e alarmismo” dos países ocidentais.

Leia também: Biden alerta Putin sobre possibilidade de “ação decisiva” e “custos severos” se Rússia avançar sobre Ucrânia

Voos sobre o Mar Negro 

O governo da Ucrânia aconselhou as companhias aéreas que evitem sobrevoar o Mar Negro entre essa segunda-feira (14) e o próximo sábado (19) por conta dos exercícios navais russos na área.

A agência de notícias estatal Ria Novosti destacou que serão mais de 30 navios de guerra que farão exercícios próximos à península da Crimeia, como parte dos treinamentos que estão sendo feitos em diversos mares do mundo.

“A partir de amanhã (hoje), orienta-se que as companhia aéreas não sobrevoem essa área e planejem com antecipação rotas alternativas, levando em consideração a situação atual”, diz a nota do serviço de controle aéreo ucraniano. (ANSA).

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

 

Compartilhe