Autorização da nesta sexta

Anvisa libera a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac

No total, o contrato do governo de São Paulo com a Sinovac inclui a aquisição de 46 milhões de doses da CoronaVac

Getty Images
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou na tarde desta sexta-feira (23) que autorizou a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, vacina fabricada pela Sinovac, biofarmacêutica chinesa.

A solicitação foi feita pelo Instituto Butantan, que produzirá a vacina chinesa em território nacional. Segundo a Anvisa, o tema foi discutido em Circuito Deliberativo, entre esta quinta e sexta-feira. O Circuito Deliberativo é uma instância de votação online dos diretores da agência, que aprovaram a importação das doses.

Mais cedo, Dimas Covas, diretor do Butantan, afirmou em entrevista coletiva que o cronograma estipulado pelo governo de São Paulo para a produção da CoronaVac estaria mantido, mesmo com o atraso da Anvisa em liberar a importação de matéria-prima da China. O governo paulista havia afirmado que, após a aprovação, São Paulo poderia iniciar vacinação contra covid-19 em 15 de dezembro.

Aprenda a investir na bolsa

No total, o contrato do governo de São Paulo com a Sinovac inclui a aquisição das 46 milhões de doses da CoronaVac. Esse primeiro lote de vacinas autorizado pela Anvisa virão prontas da China e as outras 40 milhões serão produzidas pelo Instituto Butantan.

A CoronaVac está na terceira fase de testes entre profissionais de saúde brasileiros, e é uma das vacinas mais adiantadas em termos de produção. Mas ela só será librada para a população após sua eficiência ser comprovada.

Também nesta sexta, o governo do estado de São Paulo anunciou a criação de mais seis novos centros para a realização de testes da CoronaVac em voluntários.

Disputa política

Analistas entendem que a vacina chinesa vem sendo alvo de disputa política. Segundo a análise da equipe de política da XP Investimentos, o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (22) ao vetar o acordo firmado pelo Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, e o governo do estado de São Paulo para a aquisição milhões de doses da CoronaVac simbolizou uma resposta política ao governador João Doria. Os especialistas não descartam, no entanto, possíveis mudanças de posição sobre o imunizante por parte do governo federal (saiba mais).

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.