Negócio

Creditas compra Volanty, plataforma para negociação de carros seminovos

Volanty permite que um carro seminovo seja comprado ou vendido de forma completamente virtual. Valor da aquisição não foi divulgado

Escritório da Creditas (Túlio Vidal/Divulgação)
Escritório da Creditas (Túlio Vidal/Divulgação)

SÃO PAULO – Depois de comprar a Minutos Seguros e a fabricante de motos elétricas Voltz Motors, a Creditas anunciou mais uma aquisição. Desta vez, o alvo foi a plataforma de compra e venda de automóveis seminovos Volanty.

A informação consta no balanço do segundo trimestre de 2021 da Creditas. A aquisição de 100% da Volanty não teve seu valor divulgado. Em comunicado enviado ao InfoMoney, a Creditas afirmou que “fechou, em julho, a operação com a Volanty, startup pioneira no mercado automotivo, com o objetivo de acelerar e fortalecer a plataforma tecnológica de sua unidade de negócios, Creditas Auto.”

A Creditas Auto fornece serviços financeiros para usuários que buscam comprar, vender, trocar ou financiar um automóvel de maneira digital. A equipe da Volanty, incluindo seus fundadores, foi integrada à da Creditas após a transação.

Criada em 2017, a Volanty é uma plataforma para compra e venda de automóveis seminovos. A fintech recebeu US$ 23,4 milhões em investimentos de fundos como Canary, Kaszek, Monashees e SoftBank.

A Volanty permite que o carro seja comprado ou vendido de forma completamente virtual. Pelo site, o interessado pode agendar um tour virtual por detalhes do carro, pedir um test drive feito por um técnico e fechar negócio. O veículo é higienizado e enviado para a casa do comprador.

Todos os veículos têm um ano de garantia em mais de 19 itens do automóvel, como ar condicionado e câmbio, e permitem devolução em até 9 dias ou até a marca de 600 quilômetros rodados a partir da venda. Em fevereiro deste ano, a Volanty desenhou a meta de crescer cinco vezes em 2021.

Balanço da Creditas

No primeiro semestre de 2021, a Creditas ultrapassou R$ 2 bilhões em sua carteira de crédito. O valor é bem superior aos R$ 915 milhões verificados no mesmo período de 2020.

Apenas o segundo trimestre foi responsável por R$ 612,8 milhões em novas originações de crédito. Segundo a Creditas, houve uma “reaceleração sustentada de crescimento” desde o terceiro trimestre de 2020.

As receitas atingiram R$ 294,3 milhões no primeiro semestre deste ano, ante R$ 154,1 no primeiro semestre de 2020. Porém, o prejuízo também cresceu na comparação entre primeiros semestres: as perdas saltaram de R$ 89,9 milhões para R$ 134,6 milhões.

PUBLICIDADE

Conheça o modelo de gestão que fez a XP crescer exponencialmente na última década, e como aplicá-lo no seu negócio. Assista à série Jornada Rumo ao Topo.