Olimpíada de Paris: quer ‘respirar’ esporte na Cidade-Luz em 2024? Veja como e quanto desembolsar

Guia mostra preços encontrados no início da 1ª quinzena de janeiro para estadia, aéreo, alimentação, transporte e ingressos do evento esportivo

Maria Luiza Dourado

(Organização dos Jogos de Paris 2024/Divulgação)

Publicidade

Para quem ama esportes e viagens, a edição 2024 dos Jogos Olímpicos de Paris pode ser a oportunidade de unir os dois gostos.

Apesar de a abertura dos jogos estar marcada para 26 de julho, as primeiras disputas ocorrerão dois dias antes com o término em 11 de agosto. Serão, ao todo, 19 dias de competição, com 329 eventos e 729 sessões em 32 esportes.

O modelo escolhido para abertura das Olimpíadas de Paris será inédito em toda a história dos Jogos Olímpicos, com a cerimônia sendo realizada fora de estádios ou arenas ao longo dos 6 quilômetros do Rio Sena, que corta a capital francesa.

Masterclass Gratuita

Rota Liberdade Financeira

Aprenda a investir e construa um patrimônio do zero com o treinamento exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Pensando sempre na ideia de planejamento financeiro com antecedência, a reportagem do InfoMoney buscou empresas de turismo e especialistas para montar um guia de custos para quem deseja garantir presença nas Olimpíadas de 2024 na charmosa capital francesa, popularmente conhecida como “cidade-luz”.

Em uma cotação feita no início da segunda quinzena de janeiro, para aqueles que querem visitar Paris nas Olimpíadas com mais conforto, o valor mínimo necessário encontrado pelo InfoMoney — que não inclui ingressos de outros pontos turísticos da cidade-luz — para entradas aos Jogos e gastos com alimentação e transporte atingem aproximadamente R$18,5 mil.

Considerando a cotação atual do euro, de R$ 5,37, o valor aglutina os seguintes gastos individuais para uma estadia de sete dias. Confira abaixo:

Continua depois da publicidade

Em qual período devo permanecer?

Tendo em mente o valor mínimo e entendendo que ele funciona para você, a hora é de selecionar a data da viagem. Para isso, o InfoMoney separou cinco intervalos de permanência em Paris, seguindo as datas das disputas da Olimpíada, como descrito abaixo:

23 até 30 de julho de 2024 (7 noites)

Quem escolher este intervalo de sete noites poderá comparecer à abertura dos Jogos Olímpicos no Rio Sena. Inclusive, quem estiver nos setores superiores não precisará de ingressos, ou seja, poderá assistir à abertura das Olimpíadas de graça.

Se ainda quiser comprar ingressos para os Jogos, poderá comparecer às primeiras disputas de futebol e rugby antes da abertura, no dia 24 ou então ver as primeiras medalhas, no dia 27.

26 de julho até 5 de agosto de 2024 (10 noites)

O turista que escolher esse intervalo de dez noites poderá assistir às primeiras decisões da natação, no dia 27, e do atletismo, no dia 2 de agosto.

Nos dias 3 e 4 acontecerão 15 finais e entrega de medalhas em modalidades como remo, natação, badminton, tênis, tênis de mesa, esgrima, atletismo, tiro, corrida, golfe, equitação e ginástica artística.

5 até 12 de agosto de 2024 (7 noites)

Esse intervalo de 8 noites marcará a estreia do breaking, um estilo de dança criado nos EUA nos anos 1970, como modalidade olímpica, com disputas nos dias 9 e 10, respectivamente. Além disso, de 8 a 11 de agosto acontecerão as finais femininas e masculinas dos esportes coletivos, como handbol, futebol, vôlei de praia, vôlei, basquete, polo aquático e hóquei sobre a grama.

2 até 12 de agosto (10 noites)

Pensando no turista que não quer perder quase nada dos jogos, o intervalo de 2 a 12 de agosto pode ser uma boa opção. Apesar de perder a abertura e as primeiras disputas, como as primeiras medalhas da natação, será possível assistir às primeiras decisões do atletismo no State de France, que iniciarão às 19h do horário local no dia 2 de agosto — para isso, é necessário chegar até o fim da manhã em Paris.

24 de julho até 11 de agosto (18 noites) 

Para quem quiser viver a experiência completa dos Jogos Olímpicos, da abertura ao encerramento, serão necessários ao menos 18 noites em Paris, já que o encerramento está marcado para a noite de 11 de agosto.

Preços de passagens

Para chegar a Paris você poderá desembarcar no Aeroporto Charles de Gaulle (CDG), o principal da cidade-luz e localizado a quase 25 quilômetros de distância do centro. Já o Aeroporto Orly, mais ao sul de Paris, é menor e fica mais próximo da Disney francesa e da região central, a cerca de 17 quilômetros do centro.

No Decolar, em busca feita na primeira semana de dezembro, os preços das passagens de São Paulo a Paris, incluindo ida e volta, giravam entre R$ 5.500 a R$ 6.700 para intervalos durante as Olimpíadas, sem bagagem despachada e com escalas.

Em uma nova pesquisa feita no início da primeira quinzena de janeiro, voos com as mesmas características subiram para entre R$ 6.750 e R$ 8.500. Deslocamentos diretos, sem escala, chegam a R$ 9.800 na plataforma.

A existência ou não de escalas e de bagagens despachadas são variáveis que podem encarecer ou baratear o deslocamento – o despacho de mala aumenta o preço dos bilhetes em cerca de R$ 800, enquanto as passagens mais baratas têm escalas que aumentam o tempo do trajeto em até 10 horas.

A plataforma Viajala também mostra o encarecimento das passagens. O trajeto de ida e volta que antes ficava na faixa de R$ 5.000, na versão mais em conta em dezembro de 2023, agora alcança valores entre R$ 6.100 e R$ 11.000.

Segundo Josian Chevallier, VP de vendas e cofundador do buscador de voos Viajala, a compra de passagem internacional deve ser feita de 3 a 4 meses antes da data do voo. “É importante monitorar os preços enquanto existe tempo suficiente de acompanhar possíveis promoções e quedas de valores para aproveitar a melhor oportunidade quando ela aparecer.”

Hospedagem

A já cara hospedagem em Paris ficará ainda mais salgada devido à alta temporada (verão europeu) e as demandas das Olimpíadas. Segundo a agência de notícias Reuters, um relatório do gabinete de turismo da capital francesa mostrou que o preço dos hotéis pode subir 314% entre o verão de 2023 e o de 2024.

O órgão prevê aumento de 366% e 475% nos preços das diárias de hotéis duas estrelas e três estrelas, respectivamente. Segundo cálculo da entidade, uma diária de 169 euros (R$ 899) em julho de 2023 deve subir para 699 euros (R$ 3.718) no mesmo período de 2024.

De acordo com o órgão de turismo, uma diária na região de Paris custava 169 euros (R$ 906,09) em julho de 2023, mas deve subir para 699 euros (R$ 3.747,69) no mesmo período do ano que vem.

Outro estudo feito pelo jornal francês Le Parisien, em agosto, mostrou que o preços das diárias de 12 hotéis escolhidos aleatoriamente pelo veículo estavam 6,6 vezes mais caras – entre os estabelecimentos houve um em que a diária passou de 90 euros (R$ 482,56)  para 1.363 euros (R$ 7,3 mil).

E o turista que deseja já fechar o hotel ainda encontra o obstáculo da indisponibilidade. Segundo o gabinete de Paris, 66% dos hotéis ainda não disponibilizaram reservas para o período das Olimpíadas.

Por isso, escolher um bairro distante dos principais pontos turísticos, como Torre Eiffel, Museu do Louvre, Praça da Concórdia e Champs-Élysées, é definitivamente uma boa estratégia para economizar – e aqui vale a maior antecedência possível.

“É possível encontrar opções muito boas de hospedagens em Paris, aproveitando a localização e os fáceis meios de transporte da cidade, que é dividida em 20 ‘arrondissements’ municipais. Uma das localizações mais em conta de Paris é a MontMartre”, explica Gabriela Packness, consultora de viagens da agência Turismo Europeu.

Outro lugar mais em conta para hospedagens é Saint-Denis, uma comuna na região metropolitana de Paris. Contudo, o Stade de France, que receberá competições nos Jogos Olímpicos fica na região, podendo encarecer os valores.

Pacotes

Veja algumas opções de hospedagem abaixo, com hotéis três estrelas da Decolar:

23 até 30 de julho de 2024 (7 noites)

Résidhome Quai d’Ivry
Endereço: 8 rue des Joutes. (4,61 km do centro)
Valor: R$ 14.269 por pessoa

Oh La La! Hotel bar – Paris Bastille
Endereço: 6 Rue de la Roquette. (1,48 km do centro)
Valor: R$ 18.435 por pessoa

Opção Standard: City Residence Chelles
Endereço: 55-59 avenue Francois Mitterrand
Preço: R$ 9.461 por pessoa (18,43 km do centro)

26 de julho até 5 de agosto de 2024 (10 noites)

Résidhome Quai d’Ivry
Endereço: 8 rue des Joutes. (4,61 km do centro)
Valor: R$ 18.352 por pessoa

Oh La La! Hotel bar – Paris Bastille
Endereço: 6 Rue de la Roquette. (1,48 km do centro)
Valor: R$ 25.118 por pessoa

Opção Standard: Séjours & Affaires Grande Arche – COURBEVOIE
Endereço: 11 allee des Tilleuls (9,61 km do centro)
Preço: R$ 12.166 por pessoa

5 até 12 de agosto de 2024 (7 noites)

Citadines Place d’Italie Paris
Endereço: 176 Rue Cardinet. (4,49 km do centro)
Preço: R$ 17.773 por pessoa

Résidhome Quai d’Ivry
Endereço: 8 rue des Joutes (4,61 km do centro)
Valor: R$ 18.352 por pessoa

2 até 12 de agosto (10 noites)

Résidhome Quai d’Ivry
Endereço:
8 rue des Joutes (4,61 km do centro)
Valor: R$ 19.663 por pessoa

Citadines Place d’Italie Paris
Endereço: 8 Place D Italie (2,91 km do centro)
Valor: R$ 24.175 por pessoa

Oh La La! Hotel bar – Paris Bastille
Endereço: 6 Rue de la Roquette (1,48 km do centro)
Valor: R$ 28.469 por pessoa

Opção StandardSéjours & Affaires Grande Arche – COURBEVOIE
Endereço: 11 allee des Tilleuls (9,61 km do centro)
Preço: R$ 12.747 por pessoa

24 de julho até 12 de agosto (19 noites) 

Résidhome Quai d’Ivry
Endereço: 8 rue des Joutes. (4,61 km do centro)
Valor: R$ 31.162 por pessoa

Idol Hotel By Elegancia
Endereço: 16 Rue d’Edimbourg. (3,38 km do centro)
Valor: R$ 43.734 por pessoa

Opção Standard: Séjours & Affaires Grande Arche – COURBEVOIE
Endereço: 1, rue Eugenie Eboue (9,61 km do centro)
Preço: R$ 19.429 por pessoa

Ingressos para os jogos

O turista pode comprar os ingressos para os jogos Olímpicos no site oficial do evento. Os bilhetes mais baratos de algumas modalidades esportivas já estão esgotados. Por isso, é importante se apressar na compra das entradas.

Existem ingressos ainda disponíveis para o público geral, pessoas com mobilidade reduzida que necessitam de acessibilidade, cadeirantes e acompanhantes. Só é possível comprar seis ingressos por cadastro.

Além dos bilhetes únicos, existem pacotes para quem quiser ver mais de uma partida do mesmo esporte e no mesmo local. Esse tipo de ingresso é mais caro (perto ou acima de 100 euros), mas há exceções, como no polo aquático: duas partidas seguidas saem a 50 euros.

Para facilitar a navegabilidade e a visualização de ingressos, utilize os filtros disponíveis, sobretudo de data ( que abrange a sua permanência em Paris), modalidades preferidas e os locais que você deseja visitar.

E para quem busca ver a abertura mais de perto, vai ser necessário desembolsar um valor mais alto: os ingressos mais baratos das áreas pagas, às margens do Rio Sena, já esgotaram. Restaram agora ingressos apenas na categoria A, a 2.700 euros (R$ 14,5 mil). Vale relembrar: será possível ver a abertura gratuitamente, na área superior que circunda as margens do Rio Sena.

Gastos com alimentação

Antes de pensar em alimentação, o turista deve se preocupar com a hidratação. E em Paris, não há necessidade de pagar por água. O Google Maps disponibiliza o endereço de todas as fontes de água na cidade, onde o visitante pode reabastecer sua garrafinha. A empresa estatal responsável pelo setor da cidade, a Eau de Paris, também disponibiliza em seu site um mapa com fontes e estabelecimentos que fornecem água gratuita.

Já sobre alimentação, as notícias não são tão boas para quem não tem tanto dinheiro disponível. O parisiense Josian Chevallier, VP de vendas e cofundador do buscador de voos Viajala, ensina:” quem busca economizar, a dica é andar. Procure estabelecimentos distantes de pontos turísticos ou de vias famosas”.

Além dos restaurantes premiados, o parisiense conta que a cidade-luz tem muitas opções de comidas de rua baratas, como o crepe francês, falafel e baguetes recheadas.

Para não passar apuros, Chevallier indica ter ao menos 25 euros por refeição, totalizando 75 euros por dia – apesar de haver opções de alimentação na rua a partir de 5 euros. Considerando a cotação atual do euro, a estimativa somaria cerca de R$ 2.800 para alimentação em uma semana.

A advogada Ana Paula Lauerti, que decidiu comemorar seu aniversário em Paris, conta que gastou cerca de 45 euros por refeição na cidade, incluindo sobremesa e bebida, em restaurantes de médio padrão, na última semana. A experiência gastronômica mais luxuosa que a advogada viveu foi num jantar em um barco que navega por duas horas no Rio Sena. Por 189 euros por pessoa, foram oferecidas três opções de entrada, prato principal e sobremesas, duas garrafas de vinho, queijos, pães, café e água.

Gastos com mobilidade

Carros de aplicativo e táxis têm elevado os custos em Paris e definitivamente não são a melhor opção para quem quer economizar, sobretudo se você terá que converter valores do real para o euro.

A advogada Ana Paula Lauerti conta que as corridas de Uber que fez recentemente em Paris tiveram duração de 15 minutos e saíram por aproximadamente 15 euros.

Segundo o parisiente Josian Chevallier, o melhor é utilizar o transporte público. “O metrô é muito abrangente em Paris e existe as linhas de ônibus para complementar”, explica.

A empresa pública responsável pela operação do transporte em Paris é a RAPT. Em seu site, ela informa que os mesmos bilhetes servem para metrô, ônibus e o trem expresso, chamado de RER.

Ainda assim, o turista terá que – mais uma vez – preparar o bolso, já que o transporte público ficará muito mais caro na cidade durante as Olimpíadas. Segundo informou a rádio francesa RFI, o preço dos bilhetes do metrô praticamente dobrará durante o período do evento esportivo.

O bilhete unitário passará a custar 4 euros (antes 2,10 euros), o que equivaleria hoje a R$ 21,48, enquanto o pacote de 10 passes passará para 32 euros (antes 16,90 euros) ou R$ 171,84 na cotação de atual.

Trabalhando com um cenário de 20 bilhetes e algum excedente para carros de aplicativo, seriam necessários ao menos R$ 500 para a locomoção.

Cidade em obras, percevejos e mais

Além da necessidade de muita grana, o turista brasileiro terá outros obstáculos para enfrentar em Paris. O primeiro deles são as obras pela cidade. A empresa responsável por elas afirma que o andamento está dentro do prazo.” Sobre outras obras, no resto da cidade, de vias públicas, a comunidade parisiente entende que não ficarão prontas até o início dos Jogos Olímpicos”, afirma Josian Chevallier.

Outra situação, mais curiosa e menos rotineira, é a infestação de percevejos. Segundo pesquisa do governo francês, 11% dos lares já foram infestados entre 2017 e 2022.

No segundo semestre de 2023, os relatos dos habitantes da cidade sobre a proliferação dos insetos dispararam e acenderam a preocupação de que a infestação não seja contida ou até retorne durante os Jogos Olímpicos, já que os percevejos tradicionalmente se reproduzem no verão europeu (entre junho e agosto).

A infestação dos animais se tornou preocupação para autoridades da capital francesa e até para o governo de Emmanuel Macron, presidente francês, com direito à convocação de reunião ministerial.

Maria Luiza Dourado

Repórter de Finanças do InfoMoney. É formada pela Cásper Líbero e possui especialização em Economia pela Fipe - Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.