Que fase

Hyundai e Kia preveem menor crescimento de vendas em nove anos

Os envios das duas empresas juntas aumentarão 2,5% para 8,2 milhões de veículos em 2015, informou executivo das duas companhias

SÃO PAULO – A Hyundai Motor e a Kia Motors, as duas maiores fabricantes de veículos da Coreia do Sul, prognosticaram o menor crescimento das vendas em nove anos porque estão ficando sem capacidade para aumentar a produção e a concorrência está se intensificando nos principais mercados.

Os envios das duas empresas juntas aumentarão 2,5% para 8,2 milhões de veículos em 2015, disse Chung Mong Koo, presidente das duas fabricantes, durante um discurso de Ano-Novo dirigido aos funcionários ontem em Seul. Seria o menor crescimento desde 2006. A previsão está em sintonia com a estimativa dos analistas, de 8,2 milhões de unidades para este ano, baseada na média de cinco estimativas de uma pesquisa da Bloomberg News.

A Hyundai e a Kia “responderão ativamente” às incertezas econômicas globais e à desvalorização do iene, que dá uma vantagem à concorrência japonesa, e conseguirão “facilmente” cumprir a meta de 2015, disse Chung, 76. Juntas, as fabricantes de veículos planejam aumentar a produção em 38% na China até 2018 para satisfazer a demanda, e lançaram versões atualizadas dos modelos SUV Tucson e Sportage para preservar a participação no mercado.

“As fabricantes de veículos terão um 2015 lento, pois nenhuma tem margem para aumentar a produção sem novas fábricas ou expansões planejadas para o ano”, disse Koh Tae Bong, analista da HI Investment Securities em Seul, antes dos comentários de Chung. “Em 2015 será fundamental manter a participação no mercado e avaliar se a reação dos maiores mercados aos novos modelos SUV é boa”.

A Hyundai planeja aumentar as vendas 1,7% para 5,05 milhões de veículos em 2015 e a Kia aponta a um crescimento de 3,6% com a venda de 3,15 milhões de unidades, disseram as empresas em fatos relevantes separados ontem.

A Hyundai e sua sócia chinesa, a BAIC Motor, expandirão a produção na China em 57% com a adição de duas fábricas com capacidade de produção anual de 300.000 veículos cada uma na cidade de Chongqing e em Cangzhou, na província de Hebei, disseram as empresas no dia 30 de dezembro.

A Kia aumentará a capacidade de sua terceira fábrica na China, na província de Jiangsu, de 300.000 unidades atualmente para 450.000 até 2016.

A Hyundai produziu mais de 1 milhão de veículos na China nos primeiros 11 meses de 2014, uma alta de 7,6% em relação a um ano antes. Assim, a empresa se encaminha a cumprir uma meta de produção anual de 1,08 milhão de unidades. A Kia fabricou 610.711 veículos no período entre janeiro e novembro, comparado com sua meta de produção para o ano inteiro, de 630.000 unidades.

As ações da Hyundai e da Kia caíram 22% e 11% respectivamente desde 17 de setembro, um dia antes de a Korea Electric Power dizer que a Hyundai Motor tinha ganho o leilão de uma propriedade de alto-padrão da empresa estatal no distrito central de Gangnam na Coreia do Sul. O lance vencedor foi de 10,6 trilhões de wons (US$ 9,6 bilhões), o triplo do preço estimado.

PUBLICIDADE

Ganhar o leilão de terrenos mostra o quanto a imagem do grupo melhorou e ajudará as vendas da Hyundai e da Kia no mundo inteiro, disse Chung ontem.

A Hyundai pagará 55% do preço total do terreno, seguida pela Mobis, com 25%, e pela Kia com o restante. A Hyundai Group disse que seus planos para o local incluem um hotel, um centro de convenções e um parque temático automotivo.

As duas fabricantes de veículos e a afiliada Hyundai Mobis Co. perderam US$ 16 bilhões em valor de mercado combinado entre 17 de setembro e 30 de dezembro, o último pregão de 2014.

Para ajudar a diminuir o descontentamento dos investidores, Lee Won Hee, o diretor financeiro da Hyundai, e Park Han Woo, ex-diretor financeiro e atual CEO da Kia, disseram em outubro que as empresas estão estudando um pagamento provisório de dividendos. Em novembro, as fabricantes de veículos disseram que planejavam gastar 670 bilhões de wons na recompra de ações até 11 de fevereiro deste ano.