Black Friday

Faturamento da Black Friday cresce 18,1%; turismo e transporte são destaques

Turismo e transporte registrou o maior crescimento no faturamento nominal por setor

SÃO PAULO – O varejo brasileiro cresceu 18,1% nesta edição da Black Friday em relação ao ano passado, de acordo com levantamento feito pela Cielo – empresa brasileira de meios de pagamentos. No faturamento acumulado, de quinta (28) até domingo (01), o e-commerce teve uma aceleração de 19,7% no período, resultado maior que os 18% projetados pela consultoria Ebit/Nielsen.

Segundo Gabriel Mariotto, diretor de Inteligência da Cielo, os números expressam o crescimento intensivo da data no país em um contexto de prévia das vendas de final de ano, responsável pelo maior faturamento do setor e amadurecimento dos lojistas, que passaram a se planejar de maneira mais eficiente para proporcionar melhores experiências de consumo aos brasileiros. “O efeito líquido é positivo, pois parece que o consumidor, de fato, está gastando mais. Isso aumenta as expectativas do setor para as compras de final de ano”, explica Mariotto.

A análise indica também maiores ganhos no comércio físico, tendo as lojas de rua uma variação positiva de 18,1% e as lojas de shopping um crescimento de 17,7%, na comparação com a última Black Friday.

PUBLICIDADE

Por setor, os avanços mostram força, sobretudo, nas áreas de Turismo e Transporte (29,7%) – impulsionado pelas promoções promovidas pelas companhias aéreas para diversos destinos nacionais e internacionais. A Gol informou que vendeu cerca de R$ 120 milhões e 450 mil bilhetes para viagens, valor recorde na comparação com outras edições da Black Friday. Também se destacaram Livrarias e Papelarias (27,5%) e Supermercados (22,9%) .

Móveis e eletrônicos, categoria que possuem itens entre os mais buscados pelos brasileiros, de acordo com dados da plataforma de comparação de preços Zoom, aparece com o faturamento de (17,9%), seguida por Vestuários e artigos esportivos (17,5%) e Alimentação – bares e restaurantes (15,5%) categoria que, para Mariotto, foi estimulado pelas idas dos consumidores às compras nos estabelecimentos comerciais.

Região Norte é destaque

Na análise por regiões, o Norte do país obteve o maior faturamento entre as lojas físicas durante o período de Black Friday. Um crescimento de 26,8% em relação a 2018, seguida de aumento também em todas as regiões – Sul (20%); Sudeste (17,4%); Nordeste (16,2%); Centro-Oeste (13,8%).

A receita das vendas por estado, durante o período, registrou maior aumento no Pará (22,8%), sendo os melhores faturamentos nos segmentos de Cosméticos e higiene pessoal (28,6%) e vestuários e artigos esportivos. Fecham o ranking de maior crescimento os estados da região Sul (Santa Catarina e Rio Grande do Sul), registrando uma variação de 22,7 e 21,5, respectivamente, ante ao último período de Black Friday.

Em São Paulo, maior unidade da federação, com 45,5 milhões de habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os faturamentos mais elevados foram registrados nos segmentos de Supermercados e Hipermercados (26,9%) e Turismo e Transporte (22,2%).

PUBLICIDADE

Invista nas bolsa. Abra uma conta na XP – é de graça.