Capitã da França treina, mas ainda é dúvida para enfrentar Brasil na Copa do Mundo

Derrota para o Brasil pode deixar a França à beira da eliminação ainda na fase de grupos, o que não ocorre desde 2003

Reuters

A capitã da seleção da França, Wendie Renard (Reuters/Molly Darlington)

Publicidade

A capitã da seleção da França, Wendie Renard, segue como dúvida para o confronto decisivo contra o Brasil na Copa do Mundo feminina em função de uma lesão na panturrilha, e uma decisão será tomada apenas pouco antes da partida, disse o técnico Hervé Renard.

A jogadora sofreu uma lesão na panturrilha durante o empate sem gols da França contra a Jamaica no domingo, mas ainda assim jogou os 90 minutos da partida. A zagueira de 33 anos treinou com a equipe antes de enfrentar o Brasil, no sábado (29), em Lang Park.

Uma derrota para o Brasil, líder do Grupo F, pode deixar a França à beira da eliminação ainda na fase de grupos, o que não ocorre desde 2003 – a equipe não se classificou para o torneio em 2007.

Conteúdo XP

Peça o melhor cartão de crédito do Brasil e tenha acesso à Salas vip e Investback nas compras

“Nossa esperança é que tudo corra bem porque precisamos dela”, disse o técnico a repórteres nesta sexta-feira (28). “Não temos 100% de certeza esta noite. Saberemos amanhã [sábado].”

Selma Bacha e Elisa De Almeida, que ficaram de fora do jogo contra a Jamaica, também treinaram. Hervé Renard disse ter “100%” de certeza Bacha estará apta para enfrentar o Brasil.

“Estamos cruzando os dedos e esperamos vê-las em campo amanhã”, acrescentou.

Continua depois da publicidade

A França não perde do Brasil há 11 jogos, com seis vitórias e cinco empates, incluindo as oitavas de final da Copa do Mundo de 2019, quando as francesas venceram por 2 x 1 na prorrogação.

Hervé Renard elogiou a seleção brasileira e a experiente técnica Pia Sundhage, que levou os Estados Unidos ao ouro olímpico em 2008 e 2012 e a Suécia à medalha de prata no Rio de Janeiro nos Jogos Olímpicos de 2016.

“A equipe delas fez grandes progressos nos últimos anos e obteve resultados muito bons”, disse Hervé Renard. “Elas têm uma treinadora muito boa com experiências muito importantes em níveis muito altos”.

“Começamos bem devagar… Então amanhã o desafio é que não seja apenas uma partida da fase de grupos, mas uma partida importante para que possamos nos classificar. Isso pode definir como o grupo fecha e vamos dar o nosso melhor.”