BYD lança seu elétrico de entrada Dolphin Mini por R$ 115.800; confira

Com preço agressivo, o modelo chega para competir como o elétrico mais barato do país, junto com o Renault Kwid e-Tech,

Giovanna Sutto

(Divulgação/BYD)

Publicidade

A BYD, fabricante chinesa de elétricos, lançou nesta quarta-feira (28) o Dolphin Mini, hatch compacto e veículo de entrada da marca no Brasil. O modelo já está disponível para reservas online e tem preço cheio de R$ 115.800, mas poderá ser adquirido por R$ 105.800 mil — para os consumidores fizerem a reserva online até hoje com um sinal de R$ 10 mil à vista, com pagamento por Pix ou boleto. Esse desconto será mantido na quinta (29) para concessionárias BYD.

Com preço agressivo, o modelo chega para competir como um dos elétricos mais baratos do país, atrás do Renault Kwid e-Tech, que tem preço sugerido de R$ 99.990, e com preço similar ao Caoa Chery iCar, que custa a partir de R$ 119.990.

Como parte da oferta para impulsionar as vendas, a chinesa distribuirá gratuitamente o carregador do veículo, que custa R$ 7 mil reais, para os consumidores que fizerem a reserva hoje. Com isso, segundo cálculos da BYD, o desconto promocional sobe para R$ 17 mil (R$ 10 mil da pré-venda mais o custo de R$ 7 mil do carregador).

Masterclass Gratuita

Rota Liberdade Financeira

Aprenda a investir e construa um patrimônio do zero com o treinamento exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O modelo e o bônus da pré-venda foram revelados pela primeira vez no último domingo (25) no programa da TV Globo Domingão, comandado por Luciano Huck, que inclusive foi o mestre de cerimônias do evento nesta quarta. De lá para cá, 6.500 unidades foram reservadas com depósitos pagos, segundo informações da BYD compartilhadas nesta quarta.

Autonomia da bateria

A versão disponível do carro tem quatro lugares e uma bateria de 38 quilowatt-hora (kWh), com autonomia de 280 km, segundo o Inmetro, e pode chegar até 340 km, de acordo com as medições internacionais WLTP (Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Procedure).

A bateria do modelo, como em outros carros eléticos, fica no assoalho do veículo, com o objetivo de trazer o peso do material para baixo e dar mais estabilidade. O banco de baterias, do tipo LFP (lítio-ferro-fosfato), é formado pelas lâminas “blade” — assinatura da BYD. Esse tipo de bateria é mais barato, porque dispensa o uso de níquel e cobalto, que são metais raros e, por consequência, mais caros.

Continua depois da publicidade

Ainda como parte de uma estratégia de vendas agressiva, a BYD fechou um acordo com a Raízen para oferecer recarga grátis durante um ano para os 3 mil primeiros compradores do veículo, limitado a 100 (kW) no mês. O ponto de recarga no modelo fica na lateral direita frontal do veículo e, além do carregador elétrico, que tem custo mais alto, o carro pode ser carregado pela tomada de três pinos 220V convencional e leva oito horas para “encher o tanque”, de acordo com a empresa.

Outras características

Com uma distância de 2,5 metros entre eixos, um pouco menos do que o “irmão mais velho” Dolphin, que tem 2,7 metros, e abre e tranca sem chaves pela maçaneta da porta do motorista, o modelo hatch é automático, tem 75 cavalos de potência, faz de 0 a 100 km/h em 14,9 segundos e comporta 230 litros de porta-malas.

O carro chega em quatro opções de cores: apricity white (branco), peack pink (rosa), polar night black (preto) e sprout green (verde fluorescente).

Pagamento

O consumidor pode reservar o modelo com pagamento de R$ 10 mil à vista no Pix ou boleto direto no app do Mercado Livre. A reserva pode ser cancelada com reembolso integral a qualquer momento. O valor pago na reserva será abatido do preço final do veículo ao finalizar o pagamento.

Após o pagamento do sinal, o cliente recebe a confirmação da pré-venda em seu e-mail.

Após o contato da BYD, confirmando que o modelo está disponível para retirada, o consumidor terá cinco dias para concluir o pagamento final. Segundo Alexandre Baldy, presidente da empresa no Brasil, os modelos vendidos na pré-venda já estão no Brasil para entrega imediata.

A BYD firmou também uma parceria com o Santander para o financiamento do veículo. Segundo Alexandre Papa, head de concessionárias do banco, afirmou que compradores do modelo terão taxas de financiamento de 0,99% ao mês com parcelas mensais que partem de R$ 929,00.

O seguro do carro com a Porto Seguro sairá R$ 2.640 por mês — preço válido para qualquer cliente, de qualquer perfil, sem limite de quilometragem. Ainda, clientes do Porto Bank, braço financeiro da seguradora, pagam 10% a menos e ganham a tag de pedágio (sem ter que pagar a mensalidade).

Equipamentos de série

A BYD listou os principais equipamentos de série do modelo:

Plano de revisões

A BYD já havia revelado o plano de revisões do compacto elétrico, que tem preços fixos conforme a quilometragem. Os valores vão se intercalando, somando um total de R$ 6.850 ao chegar em 200 mil km rodados, preços similares ao Dolphin.

Veja:

KMPreço
20 mil kmR$ 370
40 mil km R$ 1.000
60 mil km R$ 370
80 mil kmR$ 1.000
100 mil km R$ 370
120 mil kmR$ 1.000
140 mil km R$ 370
160 mil km R$ 1.000
180 mil km R$ 370
200 mil km R$ 1.000
Fonte: BYD

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do InfoMoney. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.