Automóveis: ar-condicionado requer manutenção preventiva anual

Quando o aparelho não está em bom estado, os passageiros se refrescam com um ar impuro, repleto de bactérias e fungos

SÃO PAULO – O ar condicionado é, sem dúvida, um dos itens mais valorizados em um automóvel, principalmente nos países tropicais. Considerado um instrumento de conforto e de segurança, ele requer cuidados periódicos.

A manutenção preventiva deve ser feita anualmente – principalmente antes do verão – independentemente da quilometragem do carro e das horas de uso. Além disso, é preciso limpar ou trocar o filtro também anualmente, ou a cada 15 mil Km rodados.

O hábito de deixar o equipamento ligado por alguns minutos, no ar quente, após o uso, não tem função alguma de consertar defeitos, apenas ajuda a secar a caixa evaporadora.

PUBLICIDADE

Cuidados com a saúde

Caso o ar-condicionado não esteja em bom estado, os ocupantes do carro podem estar se refrescando com um ar impuro, repleto de bactérias e fungos. Afinal, é ele quem puxa o ar de fora, recicla e refrigera dentro do veículo.

Um dos alertas para a necessidade de revisão é o mau cheiro. Por causa da umidade do ar, fungos e bactérias se condensam e ficam alojados na caixa evaporadora, levando ar impuro e com forte odor para dentro do automóvel.

A trepidação e a falta de uso, principalmente em dias de baixa temperatura, também são vilões ao bom funcionamento do aparelho. O ideal é que os consumidores usem o ar por alguns minutos toda a semana.

A maioria dos serviços não sai por menos de R$ 100, o que faz as pessoas fugirem das oficinas. A troca de gás, trabalho feito com mais freqüência, custa em torno de R$ 140. Com informações da Agência AutoInforme.